Entrelaçamentos entre Histórias de Vida de Mulheres Aprisionadas: Dar a Palavra, Aguçar a Escuta

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v7i1.2058

Palavras-chave:

Histórias de vida; Mulheres; Prisão; Educação; Gênero.

Resumo

O presente artigo parte do seguinte questionamento: De que modos mulheres aprisionadas em Bagé contam suas histórias de vida e, ao mesmo tempo, a partir de que condições estas mesmas histórias se entrelaçam? O objetivo principal é dar voz a essas mulheres privadas de liberdade para problematizar as condições sociais e culturais que se incorporam às histórias de vida das apenadas. O caminho metodológico partiu de autobiografias, cujas escritas foram efetuadas em cadernos pelas próprias detentas e posteriormente lidas e analisadas. Tivemos a intenção de dar voz a elas através de escritas individuais, tendo em vista que a escrita é uma das vias que possibilita a reflexão sobre suas próprias vidas. A pesquisa traz desde narrativas das vidas pré-cárcere até uma análise de suas vidas, enumerando alguns fatores quanto à ineficácia e ressocialização da prisão bem como a ausência de uma educação que qualifique essas mulheres. As marcas de gênero são algo presente no decorrer de toda a discussão, uma vez que as mulheres parecem submetidas ao domínio do “mundo masculino”, traduzido nas relações de violência estabelecidas por parte dos homens, pelo abandono afetivo, financeiro e, ainda, devido ao fato das mulheres aprisionadas estarem, em sua maioria, na prisão, devido a serem levadas a traficar a partir de figuras masculinas.

Biografia do Autor

Juniélen Veleda Gomes, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs)

Especialista em Docência no Ensino Religioso pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS).

Bagé, Rio Grande do Sul; junielenv@gmail.com

Jaqueline Lidorio de Mattia, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs)

Doutoranda no Programa de Bioenergia da Faculdade de Ciências e Tecnologia na Universidade Nova de Lisboa. Professora assistente da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs). Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul; jaquelinedemattia@gmail.com

Viviane Castro Camozzato, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs)

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora adjunta da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs). Bagé, Rio Grande do Sul; vicamozzato@gmail.com

Referências

ABRAHÃO, M. H. Memória, narrativas e pesquisa autobiográfica. História da Educação, ASPHE/FaF/UFPel, n. 14, p. 79-95, set. 2003.

CHIES, L. A. B.; VARELA, A. B. A Ambiguidade do Trabalho Prisional num Contexto de Encarceramento Feminino: o círculo vicioso da exclusão. In: XIII CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA. Sociedade Brasileira de Sociologia. 29 de maio a 01 de junho de 2007, UFPE, Recife (PE). GT30: Violência e Sociedade: segurança, controle e castigo. Anais... Pernambuco, 2007. Disponível em: < http://www.sbsociologia.com.br/portal/index.php?option=com_docman&task=cat_view&gid=160&Itemid=171 >. Acesso em: 17 abr. 2020.

FOUCAULT, M. A escrita de si. In: ______. Ética, sexualidade, política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004 (Ditos & escritos V).

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: História da Violência nas Prisões. Rio de Janeiro: Vozes, 2013.

HELPES, S. S. Mulheres na prisão: Uma reflexão sobre a relação do Estado brasileiro com a criminalidade feminina. Revista Cadernos de Estudos Sociais e Políticos, v.2, n.3, p. 160-185, jan-jul 2013.

LUKE, A. Análise do discurso numa perspectiva crítica. In: HYPOLITO, Á. M.; GANDIN, L. A. (Orgs.). Educação em tempos de incertezas. Belo Horizonte, Autêntica, 2000.

MONTERO, R. Histórias de Mulheres. Rio de Janeiro: Agir, 2008.

ONOFRE, E. M. C. O papel da escola na prisão: saberes e experiências de alunos e professores. childhood & philosophy, v.7, n. 14, p. 271-297, jul.-dez 2011.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, v.20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995.

Downloads

Publicado

16/05/2021

Como Citar

Veleda Gomes, J. ., Lidorio de Mattia, J., & Castro Camozzato, V. (2021). Entrelaçamentos entre Histórias de Vida de Mulheres Aprisionadas: Dar a Palavra, Aguçar a Escuta . RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 7(1). https://doi.org/10.23899/relacult.v7i1.2058

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo