Corpos latinos: espaços biográficos que es/barram na/da fronteira epistêmica da exterioridade

Meu corpo contém ar: da fronteira-sul

Autores

  • Marina Maura de Oliveira Noronha Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Edgar Cézar Nolasco Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v7i4.2100

Palavras-chave:

Corpo epistêmico fronteiriço; Desobediência epistêmica; Exterioridade; Crítica biográfica fronteiriça.

Resumo

Pensar em corpo, a partir de corpo epistêmico fronteiriço, justifica-se refletir acerca uma epistemologia outra descolonial, diferente dos discursos hegemônicos coloniais/modernos, os quais geram cultura e conhecimentos de suas diferenças coloniais. Assim, a proposta basilar deste trabalho, o qual dá-se atravessado pela crítica biográfica fronteiriça (NOLASCO, 2013), recai na importância de discutir a condição de “corpos” da fronteira-sul com suas práticas epistêmicas culturais, levando-se em conta, sobretudo, uma visada traçada pela Epistemologia do Sul (SANTOS, 2009), cujos saberes partem de um lócus geoistórico, no que se refere ao lócus de onde penso e erijo meu discurso crítico latino. Neste caso, o corpo epistêmico fronteiriço, tomado como uma opção descolonial, es/barra nos projetos e nas epistemologias coloniais/modernas arraigadas nos espaços fronteiriços. Para tanto, enuncio meu discurso teórico a pensar do corpo da exterioridade, demonstrando minha desobediência epistêmica de ser, pensar e re-existir com meu discurso cultural, social, político e teórico na/da fronteira de Mato Grosso do Sul. Acerca disso, por meio de histórias locais e não globais contempladas pela sapiência moderna  objetiva-se, uma epistemologia outra da fronteira-sul que encampe as particularidades de sujeitos com seus fazeres/saberes específicos, assim como o meu/nossos “corpos” situados de onde se pensa,e que, por conseguinte, re-existem no âmbito da latinidade fronteiriça. Nesse ponto, trato com os teóricos/críticos, tais como: Gloria Anzaldúa (2007), Walter Mignolo (2017), Edgar Nolasco (2013), Bessa-Oliveira (2020), Ramón Grosfoguel (2009), Aníbal Quijano (2009), Zulma Palermo (2010) e outros que dialogam com a epistemologia contemplada.

Biografia do Autor

Marina Maura de Oliveira Noronha, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutoranda em Estudos de Linguagens pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul –UFMS; E-mail: marina.m.noronha@gmail.com

Edgar Cézar Nolasco, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutor em Literatura Comparada pela Universidade Federal de Minas Gerais –UFMG; Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil; Professor dos cursos de Graduação e Pós-Graduação nível Mestrado e Doutorado; Universidade Federal de Mato Grosso do Sul –UFMS; E-mail: ecnolasco@uol.com.br.

Referências

ANZALDÚA, Gloria. Borderlands/la frontera: the new mestiza. São Francisco: Aunt Lute Books, 2007.

BESSA-OLIVEIRA, Marcos Antônio. BIOGEOGRAFIAS ARTÍSTICAS COMO

EXTERIORIDADE DOS FAZERES – Corpos latinos fronteiriços. 2018 . Disponível em https://periodicos.ufms.br/index.php/cadec/issue/view/536. Acesso em 11 agosto. 2020.

BESSA-OLIVEIRA, Marcos Antônio. A arte como espaço e FronteirAção – aproximação e separação dos múltiplos atravessamentos contemporâneos. In: Revista do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História do Brasil da UFPI. Teresina, v.8, n. 2, jul/dez. 2019.

GROSFOGUEL, Ramón. “Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais”. In: SANTOS, Boaventura de Sousa, MENESES, Maria Paula (org.) Epistemologias do Sul, 2009.

MIGNOLO, Walter. Histórias locais/projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Tradução: Solange Ribeiro de Oliveira. 1. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

MIGNOLO, Walter. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Trad. De Ângela Lopes Norte. Cadernos de Letras da UFF – Dossiê Literatura, língua e identidade, n.34, p. 287-324, 2008.

MIGNOLO, Walter D.; TLOSTANOVA, Madina. “Habitar los dos lados de la fron- tera/teorizar en el cuerpo de esa experiencia”. In: Revista IXCHEL. Volúmen I, San José, Costa Rica, 2009, p. 1-22. Disponível em: http://www.revistaixchel.org/atta- chments/047_Habitar%20los%20dos%20lados%20art_%20Walter%20Mignolo. doc%29.pdf – acessado em: 30 de maio de 2013. 286

MIGNOLO, Walter. Desafios decoloniais hoje. Trad. De Marcos de Jesus Oliveira. Epistemologias do Sul, Foz do Iguaçu/PR, 1 (1), p. 12-32, 2017.

MIGNOLO, Walter D.. Histórias locais / projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Tradução Solange Ribeiro de Oliveira. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2020.

MENESES, Maria Paula. SANTOS, Boaventura de Sousa. Introdução. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. (org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010, p. 15-27.

MENESES, Maria Paula. Corpos de violência, Linguagens de Resistência: as complexas teias de conhecimentos no Moçambique contemporâneo. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. (org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010, p. 177-214.

NOLASCO, Edgar Cézar. Perto do coração selbaje da crítica fronteriza. São Carlos: Pedro&João Editores, 2013.

NOLASCO, Edgar Cézar. Descolonizando a pesquisa acadêmica: uma teorização sem disciplinas, 2018, p. 01-34.

NOLASCO, Edgar Cézar. Por uma gramática pedagógica da fronteira-sul. Cadernos de estudos culturais, Campo Grande, MS, v. 1, p. 9-29, jan./jun. 2019. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/cadec/article/view/9688. Acesso em: 20 abr. 2020.

NOLASCO, Edgar Cézar. O jardim das fronteiras. São Paulo: Intermeios, 2020. PESSANHA, Juliano Garcia. Recusa do não-lugar. São Paulo: Editora UBU, 2018.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder e classificação social In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (orgs). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2009.

SANTOS, Boaventura de Sousa. S. O fim do império cognitivo: a firmação das epistemologias do Sul. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2019.

Downloads

Publicado

30/04/2021

Como Citar

Noronha, M. M. de O., & Nolasco, E. C. . (2021). Corpos latinos: espaços biográficos que es/barram na/da fronteira epistêmica da exterioridade: Meu corpo contém ar: da fronteira-sul . RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 7(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v7i4.2100

Edição

Seção

Latinidades – Fórum Latino-Americano de Estudos Fronteiriços

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>