Tecer saberes outros

resistências fronteiriças

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v7i4.2050

Palavras-chave:

América Latina, ; Bolívia, Domitila Chungara, Epistemologias fronteiriças

Resumo

Este trabalho tem como objetivo uma reflexão acerca de saberes dos sujeitos pertencentes a um lócus específico, a América Latina, mais especificamente a Bolívia. As narrativas contadas a partir da/na fronteira buscam resgatar o que foi reprimido pelo discurso do colonizador. Se fomos lançados às margens, cuja história local é singular, resgatar esses saberes, ou seja, as epistemologias fronteiriças, tornam-se um ato de desobediência epistêmica necessário para desvincular-nos dos padrões impostos pelo poder hegemônico. Costura-se dentre as linhas deste trabalho experiências/memórias/resistências locais como por exemplo o testemunho/vida de Domitila Barrios de Chungara uma mulher boliviana, mineira e líder feminina. Para fomentar essa discussão proposta valemo-nos de estudos de teóricos como Walter Mignolo (2014), Edward W. Said (2003, 2005), Zulma Palermo (2008, 2010,2015), entre outros.

Palavras-Chave: América Latina; Bolívia; Domitila Chungara; Epistemologias fronteiriças.

 

Biografia do Autor

Julia Evelyn Muniz Barreto Guzman, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Mestre em Estudos de Linguagens (PPGEL) com o projeto Si me permiten hablar de arquivos e memórias da exterioridade: por uma epistemologia fronteiriça pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) sob orientação do professor Dr. Edgar Cézar Nolasco. Graduada em Letras com habilitação em Língua Portuguesa, Língua Espanhola e suas respectivas Literaturas, pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), campus Cidade Universitária em Campo Grande, MS (2017). Membro do Grupo de Pesquisa Núcleo de Estudos Culturais Comparados (NECC) certificado pelo CNPq. Integrou como bolsista no Programa de Iniciação Científica no período de 2016 à 2017 com o projeto VALEXTRA: (Variação lexical : teorias, recursos e aplicações) : do condicionamento lexical às construções pragmáticas, sob orientação da professora Elizabete Aparecida Marques, com ênfase na Fraseologia. Tem experiência na área de Letras com ênfase em Teoria Literária, Estudos Culturais, Crítica Biográfica, Literatura Comparada e Estudos Fronteiriços/Descoloniais

Edgar Nolasco, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professor titular da UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL. Possui mestrado em Teoria da Literatura (UFMG), doutorado em Literatura Comparada (UFMG), com pós-doutorado em Cultura (PACC-UFRJ). Ministra as disciplinas Teoria da Literatura e Literatura Comparada na Graduação em Letras e Literatura Comparada e Teorias sem disciplina na Pós-Graduação Estudos de Linguagens. É fundador e coordenador do NECC: NÚCLEO DE ESTUDOS CULTURAIS COMPARADOS (desde 2009), e editor-presidente dos periódicos do grupo CADERNOS DE ESTUDOS CULTURAIS (desde 2009). Além de estudioso da obra de Clarice Lispector, tem pesquisado e orientando projetos acerca dos Estudos descoloniais/fronteiriços.

Referências

ACHINTE, Adolfo Albán. Artistas indígenas y afrocolombianos: entre las memorias y las cosmovisiones: estéticas de la re-existência. In: PALERMO, Zulma. Arte y estética en la encrucijada descolonial I. Buenos Aires: Ediciones Del Signo, 2009, p. 83-112.

BESSA-OLIVEIRA, Marcos Antônio. Paisagens biográficas pós-coloniais: retratos da cultura local sul-mato-grossense. Campo Grande: Life Editora, 2018.

MIGNOLO, Walter. Prefacio. In: GÓMEZ, Pablo Gómez (org.). Arte y estética en la encrucijada descolonial II. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Ediciones Del Signo, 2014.

MIGNOLO, Walter. Colonialidade: o lado mais escuro da modernidade. 2017. D

disponível em: < https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S010269092017000200507&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso: 21 abr. 2020.

PALERMO, Zulma. Revisando fragmentos del “archivo” conceptual latino-americano a fines del siglo XX. In: Tabula rasa. n. 9. Bogota: Universidad Colegio Mayor de Cundinamarca, 2008, p. 217-246.

PALERMO, Zulma. SIÑANIS, Cristina. Heterogeneidad estructual y re-existencia en la escucha. In: MILLCAYAC: Revista digital de ciencias sociales. v. II, n. 3. Mendoza: Centro de Publicaciones FCPyS, 2015, p. 105-113.

PALERMO, Zulma. Una violencia invisible: “la colonialidad del saber”. In: Cuadernos de la Facultad de Humanidades y Ciencias Sociales. n. 38. Jujuy: Universidad Nacional de Jujuy, 2010, p. 79-88.

PESSANHA, Juliano Garcia. Recusa do não-lugar. São Paulo: Uba Editora, 2018.

SAID, Edward W. Reflexões sobre o exílio e outros ensaios. Tradução de Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SAID, Edward. W. Representações do intelectual: as conferências Reith de 1993. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

VIEZZER, Moema. Si me permiten hablar... testimonio de Domitila una mujer de las minas de Bolivia. México: Siglo XXI Editores, 1999.

VIEZZER, Moema. Si me permiten hablar... testimonio de Domitila una mujer de las minas de Bolivia. La Paz: Biblioteca del Bicentenario de Bolivia, 2018

Downloads

Publicado

30/04/2021

Como Citar

Guzman, J. E. M. B., & Nolasco , E. C. . (2021). Tecer saberes outros: resistências fronteiriças. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 7(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v7i4.2050

Edição

Seção

Latinidades – Fórum Latino-Americano de Estudos Fronteiriços

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>