QUALIFICANDO OS PROCESSOS DE LEITURA E ESCRITA DOS ALUNOS EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DE ARROIO GRANDE

Autores

  • Sabrina Caetano Fernandes Leal Mestrado - Unipampa (Universidade Federal do Pampa) - Jaguarão

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i5.1878

Palavras-chave:

Leitura, formação do leitor, livros

Resumo

O projeto de intervenção teve como objetivo: Despertar nos alunos, do 8º ano do Ensino Fundamental II, o gosto pela leitura e pela escrita, nas disciplinas de Produção Textual e Português. Sobre isso, Silva (1991) indica que a leitura simboliza uma ação para que se possa produzir o saber, isso permite a percepção e a apreensão sobre as analogias que existem.

De acordo com Martins (1994), o aprendizado serve para produzir a ampliação de horizontes para o leitor, de maneira que ele possa compreender seu mundo e institua reações que possam gerar transformações. Consequentemente, a leitura e conhecimento são considerados por Martins (1994) processos interventivos de progressos para suas vidas. No que lhe diz respeito, a coletividade procurar informação através da leitura envolve localizar um embasamento sustentável para o desenvolvimento social.

Bakhtin (2002) também destaca a seriedade da leitura indissociada do social. Portanto, o intercâmbio verbal entre pessoas, possibilitada por meio da utilização da língua pelo falante e concebe o princípio criador da linguagem e apresenta modo dialógico.

Portanto, a leitura e a escrita são práticas que se arrolam e se completam, os educandos são ledores em formação, esses processos deverão estar vinculados aos métodos de leitura que são ampliadas na escola.  Dessa forma, a leitura e a escrita abrangem metodologias indissociáveis na prática discursiva, em que ler é um procedimento de cultivo de conhecimentos, a relevância de observar a leitura como prática social.

Optei por essa temática, porque vivencio essa problemática em sala de aula, onde os estudantes demonstram pouca afinidade com a leitura e escrita, e uma enorme lacuna para produzirem textos com coerência e coesão.

Relato que algumas das dificuldades dos processos de Produção Textual encontrados por mim em minha prática como docente das Áreas de Linguagens são as que envolvem o vocabulário empobrecido, carregado de gírias que os estudantes apresentam em suas produções, como o pouco domínio da língua culta, evidenciam as dificuldades de expressar suas ideias no papel, pois os alunos consideram o aspecto quantitativo ao invés do qualitativo para elaborarem suas escritas.

Por ser professora de Português e Produção Textual, percebo com mais intensidade a aversão dos alunos por qualquer atividade que abranja o ato de ler, pois os discentes, em sua grande maioria, apresentam textos precários e uma grande desmotivação em relação à leitura e a escrita, dessa maneira penso que haja necessidade de se trabalhar diferentes formas de aproximar os alunos de atividades que promovam a leitura e escrita dentro da sala de aula.

Através dessa intervenção organizei ações que despertem o interesse dos alunos por essa temática, através de rodas de conversas com pessoas da comunidade que já possuem uma vasta trajetória nesse assunto, em que enfatizam em suas produções a preocupação em apresentar o livro para formar mais leitores.

Biografia do Autor

Sabrina Caetano Fernandes Leal, Mestrado - Unipampa (Universidade Federal do Pampa) - Jaguarão

Eduacação

Letras

Alfabetização

Referências

ARROYO, M.G. Ofício de mestre-Imagens e auto-imagens. 7.ed. Petrópolis, 2004. ______. Os educandos, seus direitos e o currículo. In: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Departamento de Políticas de Educação Infantil e Ensino Fundamental. Indagações sobre currículo. Versão preliminar. Brasília, 2006.

BOGDAN, Robert C. e BIKLEN, Sari K. Investigação qualitativa em educação. Uma introdução à teoria e aos métodos. Tradutores:Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Portugal: Porto editora, 1994.

CRUZ, Magna do Carmo Silva; MANZONI, Rosa Maria; SILVA, Adriana M. P. da. Rotinas de alfabetização na perspectiva do letramento: a organização do processo de ensino e de aprendizagem. In: BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: caderno a organização do planejamento e da rotina no ciclo de alfabetização na perspectiva do letramento: ano 2: unidade 2. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Brasília: MEC, SEB, p. 16-26, 2012b. Disponível em: Acesso em: 11 jun. de 2018.

DAMIANI, Magda Floriana; NEVES, Rita de Araújo. Vygotsky e as teorias da aprendizagem. UNIrevista, vol. 1, n.2, 2006.

DENSCOMBE, M. (2007) The good research guide: for small-scale social research projects. 3. ed. New York: Open University Press.

GERALDI, João Wanderley (org.). O texto na sala de aula. São Paulo: Ática, 2006 [1984].

FERNANDEZ, Alícia. A mulher escondida na professora: uma leitura psicopedagógica do ser mulher, da corporalidade e da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.

FOUCAMBERT, Jean. A leitura em questão. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994. 157p.

GOLDENBERG, M. A arte de Pesquisar. Rio de Janeiro- São Paulo. Editora Record, 2004

HATCHUEL, A. Intervention research and the production of knowledge. In: CERF, M (et al.) Cow up a Tree. Knowing and Learning for Change in Agriculture.Case studies from Industrialised Countries. Paris: INRA, p. 55-68, 2000.

https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/arroio-grande/panorama. Acesso em: 16 jan.2018.

LAKATOS, E.M. e MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica - 5. ed. - São Paulo : Atlas 2003.

LERNER, Délia. Ler e Escrever na escola: o real, o possível e o necessário. Porto Alegre: Artmed. 2002, 120 p.

LIMA, P. G. O PPP como instrumento do exercício participativo e democrático. 6. In: LIMA, A. B. de. (org.). PPP: participação, gestão e qualidade da educação. Uberlândia: Assis Editora, 2015b, p. 93-113.

LOIS, L. Teoria e prática da formação do leitor: leitura e literatura na sala de aula. Porto Alegre: Artmed, 2010.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de; CRUZ, Giseli Barreto da. Aproximando Universidade e escola de educação básica pela pesquisa. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 125, p. 81-109, maio/ ago. 2005.

MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica.5ª Ed. São Paulo: Atlas, 2003

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MINAYO, Maria Cecília de S. (org.) Pesquisa social. 21 ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

MORAN, José Manuel. A educação que desejamos novos desafios e como chegar lá. Campinas: Papirus, 2007.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez, 2000.

RUFINO, Cristiene Silva. MIRANDA, Maria Irene. A contribuição da pesquisa de intervenção para a prática pedagógica. Horizonte Científico, v. 1, n. 1, 2007.

SEAL, Ana Gabriela de Souza. O tratamento da heterogeneidade de conhecimentos dos aprendizes no segundo ano do ciclo de alfabetização. In: BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: caderno a heterogeneidade em sala de aula e os direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetização: ano 2, unidade 7. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Brasília: MEC, SEB, p. 16-26, 2012. Disponível em: Acesso em: 11 de jun. 2018.

TRIVIÑOS, Augusto Nilbaldo da Silva (Org) e NETO, Vicente Molina. A pesquisa qualitativa na Educação Física: Alternativas metodológicas. Porto Alegre: Ed.Universidade /UFRGS/Sulina, 1999.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=430130&search=rio-grande-do-sul|arroio-grande acesso em 27 de agosto de 2017.

http://jennyferlima.blogspot.com.br/2011/05/infancia.html acesso em 18 de janeiro de 2018.

Downloads

Publicado

18/12/2020

Como Citar

Leal, S. C. F. (2020). QUALIFICANDO OS PROCESSOS DE LEITURA E ESCRITA DOS ALUNOS EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DE ARROIO GRANDE. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(5). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i5.1878

Edição

Seção

EDIÇÃO ESPECIAL - SEMANA ACADÊMICA DO CURSO DE PEDAGOGIA