A memória coletiva de mulheres nordestinas como subsídio identitário no processo criativo do espetáculo Bonita Maria

Autores

  • Hélder Paulo Cordeiro da Nóbrega Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i1.1862

Palavras-chave:

artes cênicas, artes visuais, crítica do processo, mulher no cangaço, transcriação

Resumo

O artigo aborda o processo criativo do espetáculo Bonita Maria, tendo como substrato indenitário a memória coletiva de mulheres nordestinas, e dos seus integrantes, imbricando o estudo de caso com uma pesquisa participante, subsidiados pelas teorias da transcriação e da crítica do processo.

Biografia do Autor

Hélder Paulo Cordeiro da Nóbrega, Universidade Federal da Paraíba

Mestrando em Artes Visuais UFPB/UFPE, graduado em Cinema e Audiovisual UFPB. Desenvolve pesquisas e atividades em processos de criação, voltados para a produção, que contemplem o liame entre linguagens artísticas, bem como seus possíveis imbricamentos com a diversidade de mídias.

Referências

AGAMBEN, G. O que é o Contemporâneo? In: O que é o Contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009. 92p.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, D. M. A invenção do Nordeste e outras artes. São Paulo: Cortez, 2011.

ALSCHITZ, J. 40 questões para um papel: um método para autopreparação do ator. São Paulo: Perspectiva. 2011. 116p.

ALVES, F. C. A filosofia Merleau-pontiana e a arte. Revista Palíndromo: Florianópolis, v.3, n.3, p.223-255. 2010.

BARBA, E.; SAVARESE, N. A arte secreta do ator: dicionário de antropologia teatral. Campinas - SP: Editora da Unicamp. 1995. 272p.

BRANDÃO, C. R. (Org.). Pesquisa participante. São Paulo: Editora Brasiliense, 1981. 211p.

CAMPOS, H. Da transcriação – poética e semiótica da operação tradutora. Belo Horizonte: Viva Voz, 2011. 162p.

ESTÉS, C. P. Mulheres que correm com os lobos: mitos e histórias do arquétipo da mulher selvagem. Rio de Janeiro: Editora Rocco. 1994. 628p.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. São Paulo: Edições Vértice/Editora Revista dos Tribunais Ltda. 1990. 190p.

MARTINS, R.; TOURINHO, I. Educação da Cultura Visual: conceitos e contextos. Santa Maria: Editora da UFSM, 2011. 323p.

MELLO, F. P. A estética do cangaço. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=RQRbcI4Kauc. Acesso em: 15 abril 2020.

MERLEAU-PONTY, M. O olho e o espírito. São Paulo: Cosac Naify, 2004. 192p.

PALLOTTINI, R. Dramaturgia: a construção do personagem. São Paulo: Editora Ática, 1989. 156p.

RODRIGUES, T. C.; ABRAMOWICZ, A. O debate contemporâneo sobre a diversidade e a diferença nas políticas e pesquisas em educação. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 39, n. 1, p. 15-30, jan. /mar. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v39n1/v39n1a02.pdf. Acesso em: 02 abr. 2020.

SALLES, C. A. Da Crítica Genética à Crítica de Processo: uma linha de pesquisa em expansão. SIGNUM: Estud. Ling., Londrina, n. 20/2, p. 41-52, ago. 2017.

SALLES, C. A. Gesto Inacabado: processo de criação artística. São Paulo: Annablume, 2007. 180p.

SILVA, T. T. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000. 136p.

PERROT, M. Minha história das mulheres. São Paulo: Contexto, 2007. 192p.

VIANA, L.; NETO, M. Feminino Cangaço. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=wsTCQ7LOeds . Acesso em: 16 abril 2020.

ZAMBONI, S. A pesquisa em arte: um paralelo entre arte e ciência. Campinas: Autores Associados. 2006. 123p.

Downloads

Publicado

18/05/2020

Como Citar

Nóbrega, H. P. C. da. (2020). A memória coletiva de mulheres nordestinas como subsídio identitário no processo criativo do espetáculo Bonita Maria. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(1). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i1.1862

Edição

Seção

Dossiê: - Ser vidente e ser visível: mulheres-autoras, arte e cultura na América Latina