Narrativas gaúchas: como o centauro dos pampas se transmutou em quimera

Autores

  • Silas Rodrigues Machado Universidade Federal de Juiz de Fora/UFJF http://orcid.org/0000-0002-9023-0760
  • Lais Dias de Farias Universidade da Integração Latino-Americana/UNILA

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i3.1703

Palavras-chave:

Identidade cultural, gaúcho, Stuart Hall, Amigo Punk, Torpor partes 2 e 3.

Resumo

O presente estudo tem por objetivo investigar a constituição da identidade cultural no discurso das narrativas gauchescas, levando em conta as representações do mito e não-mito presentes nos contos de Simões Lopes Neto e Cyro Martins, que habitam o imaginário do Rio Grande do Sul. Como corpus de análise, elegemos duas canções de bandas contemporâneas, Amigo Punk (1988) – Graforréia Xilarmônica – e Torpor Partes 2 e 3 (2014) – Cachorro Grande –, em que, busca-se compreender como este sujeito que agora habita um momento de fragmentação identitária é representado. Para tanto, elegemos como aporte teórico, os estudos de Stuart Hall acerca do sujeito contemporâneo.

Biografia do Autor

Silas Rodrigues Machado, Universidade Federal de Juiz de Fora/UFJF

Doutorando em Letras - Estudos Literários pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); Mestre em Literatura Comparada pela Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA).

Lais Dias de Farias, Universidade da Integração Latino-Americana/UNILA

Mestranda em Literatura Comparada pela Universidade da Integração Latino-Americana (UNILA).

Referências

ALENCAR, José. O gaúcho. Rio de Janeiro: Ática, 1978.

CORRÊA, Fernando. Graforréia Xilarmônica - Amigo Punk. Clicrbs: Ao Pé da Letra. Disponível em: < http://www.clicrbs.com.br/sites/swf/zh_aopedaletra_amigopunk/index.html#4 > Acesso em: 08 jun. 2017.

DANIEL, Carine. A mitificação e a desmitificação do gaúcho em o Vaqueano e Porteira Fechada, respectivamente. Canoas: UNILASALLE, 2007.

EINSFELD, Renata. A desconstrução do signo: representação do gaúcho em Cyro Martins. In: II Jornada UFRGS de Estudos Literários, 2012, Porto Alegre. Anais II Jornada UFRGS de Estudos Literários. Porto Alegre: Editora do Instituto de Letras, 2012. Disponível em: < https://www.ufrgs.br/ppgletras/IIjornadaestlit/artigos/port_bras/EINSFELDRenata.pdf> Acesso em: 08 jun. 2017.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LEAL, Ondina Fachel. Identidade Cultural e Identidade de Gênero em uma narrativa mítica: Quando ser Gaúcho é ser Homem. Revista de Ciências Sociais (Fortaleza), v. 43, p. 43-49, 2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufc.br/revcienso/article/download/419/401> Acesso em: 08 jun. 2017.

MENASCHE, Renata. Gauchismo: tradição inventada. Estudos Sociedade e Agricultura (UFRJ), Rio de Janeiro, v. 1, n.1, p. 22-30, 1993. Disponível em: < http://r1.ufrrj.br/esa/V2/ojs/index.php/esa/article/viewFile/15/17> Acesso em: 08 jun. 2017.

SEVERO, Cristine Zirbes. Os contos gauchescos e a construção mitológica do gaúcho. In: II Jornada de Estudos Literários, 2012, Porto Alegre. Anais da II Jornada UFRGS de Estudos Literários. Porto Alegre: UFRGS, 2012.

SILVEIRA, Verli Fátima Petri da. Imaginário sobre o gaúcho no discurso literário: da representação do mito em Contos Gauchescos, de João Simões Lopes Neto, à desmitificação em Porteira Fechada, de Cyro Martins. Tese (Doutorado em Letras). Porto Alegre: UFRGS, 2004.

Downloads

Publicado

10/03/2020

Como Citar

Machado, S. R., & de Farias, L. D. (2020). Narrativas gaúchas: como o centauro dos pampas se transmutou em quimera. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i3.1703

Edição

Seção

Dossiê - É possível globalizar sem polarizar? Diferença e diversidade no contexto latino-americano e caribenho