A Importância do Estudo das Linguagens para a Comunicação Não Violenta

Autores

  • Rodrigo Bilieri de Almeida Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1304

Palavras-chave:

Comunicação Não Violenta, Letras, Linguística, Formas da Linguagem

Resumo

O presente trabalho busca apresentar um entendimento interdisciplinar da comunicação não violenta, aplicando a este método da Psicologia e Negociações os estudos da Linguística e das Letras. Este artigo pretende defender uma importante e necessária conexão da teoria da comunicação não violenta de Marshall Rosenberg com os estudos das formas linguísticas (linguagem verbal falada, linguagem verbal escrita e linguagem não verbal corporal). Não menos importante, esta publicação apresenta e conceitua todos estes aspectos, brevemente, na sua introdução. Assim, questiona-se o quanto podemos nos comunicar de maneira não violenta considerando apenas os aspectos de uma linguagem (e.g. verbal) sem aplicar os estudos amplos das outras formas de comunicação (e.g. corporal). Da pesquisa, resulta a compreensão de que, para se comunicar de modo não violento, não é suficiente apenas a intenção ou o sentido, mas inclusive saber transmitir essa expressão em uma proposição linguística coerente. Outrossim, considerando um diálogo, além de estrutura frasal adequada à pacificação, a linguagem corporal deve sinalizar essa mesma mensagem. Quanto aos aportes bibliográficos, o artigo analisa literaturas acadêmicas e científicas, sobretudo de estudos linguísticos. A referência principal é o livro Comunicação Não Violenta: técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e interpessoais. O presente trabalho empregou o método hipotético-dedutivo. A pesquisa é qualitativa, básica, explicativa e bibliográfica.

Biografia do Autor

Rodrigo Bilieri de Almeida, Universidade Federal do Rio Grande

Graduando em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande.

Referências

ALMEIDA, N. T. Gramática da Língua Portuguesa para concursos, vestibulares, ENEM, colégios técnicos e militares...: com inúmeros exercícios resolvidos de diversos vestibulares e concursos públicos. 9. ed. rev. e atual. conforme a nova ortografia e de acordo com o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa – Volp. 4 tiragem. São Paulo: Saraiva, 2010.

CRYSTAL, D. A dictionary of linguistics and phonetics. 6th. ed. Oxford, UK: Blackwell Publishing, 2008. (The Language Library Series). Disponível em: https://anekawarnapendidikan.files.wordpress.com/2014/04/a-dictionary-of-linguistics-and-phonetics-by-david-christal.pdf. Acesso em 15 janeiro 2018.

GARCIA, A. Figuras de Linguagem e Ensino. Filologia, s/d. Disponível em: http://www.filologia.org.br/viiisenefil/03.html. Acesso em 15 janeiro 2018.

OTSUKA, D. Disfemismo. Info Escola, 2010. Disponível em: https://www.infoescola.com/linguistica/disfemismo/. Acesso em 15 janeiro 2018.

PASCHOALIN, M. A.; SPADOTO, N. T. Gramática: teoria e exercícios. Ed. renovada. São Paulo: FTD, 2008.

PEASE, A.; PEASE, B. Desvendando os segredos da linguagem corporal. Rio de Janeiro: Sextante, 2005. Disponível em: http://www.vazzi.pro.br/__sitevelho/arquivos/biblioteca/e_book/Allan%20e%20Barbara%20Pease%20-%20Desvendando%20os%20Segredos.pdf. Acesso em 15 janeiro 2018.

PIRES, Ana Carolina; LAGE, Danielle; HARTALIAN, Natalia. O Corpo Fala: A importância de gestos em entrevistas e dinâmicas de grupo. In: Eclética (Revista dos alunos do Departamento de Comunicação Social da PUC-Rio), Ano 8, n. 16, jan./jun. 2003, pp. 45-8.

ROSENBERG, M. B. Comunicação não-violenta: técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais. 2. ed. São Paulo: Ágora, 2006.

WEIL, P.; TOMPAKOW, R. O Corpo Fala: a linguagem silenciosa da comunicação não-verbal. 74. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1989.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Almeida, R. B. de. (2019). A Importância do Estudo das Linguagens para a Comunicação Não Violenta. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1304

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar