AINDA É PRECISO “OCUPAR, RESISTIR E PRODUZIR”.

Autores

  • Caroline Silva Da Silva Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1230

Palavras-chave:

, metodologia, hermenêutica, relações sociais.

Resumo

Este texto procura abordar a urgência de refletir questões de método e metodologia científica a partir do feminismo e de outras teorias que articulem gênero e epistemologia. Nessa mesma linha estabelece diálogo entre os movimentos sociais e a academia no intuito de perceber as influências que se estabelecem entre ambos. O feminismo é político, histórico, filosófico, epistemológico e pedagógico e tem o compromisso com a igualdade entre as pessoas. A partir da teoria feminista e de gênero busca-se uma aproximação com a metodologia da desconstrução e da reconstrução para entabular um diálogo no campo educativo e social. A discussão proposta pelo feminismo coaduna a perspectiva epistemológica (e política também) junto com a categoria gênero como uma mediação hermenêutica para analisar criticamente a produção científica, as relações sociais e institucionais. Por entender que a produção do conhecimento passa por experiências cotidianas, acreditamos ser pertinente aprofundar o tema metodologia feminista no campo da educação como uma das formas de construção de relações justas, de respeito e de reciprocidade.

Biografia do Autor

Caroline Silva Da Silva, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Acadêmica de serviço social

Referências

Referências

DEIFELT, Wanda. Da cruz à árvore da vida: epistemologia, violência e sexualidade. In: NEUENFELDT, Elaine; BERGSH, Karen; PARLOW, Mara.(Orgs). Epistemologia, violência e sexualidade: Olhares do II Congresso Latino-americano de Gênero e Religião. São Leopoldo: Sinodal/EST, 2008. P.13-30

FIORENZA, Elisabeth S. Caminhos da Sabedoria. Uma introdução à interpretação bíblica feminista. São Bernardo do Campo: Nhanduti Editora, 2009.

GEBARA, Ivone. Rompendo o silêncio. Uma fenomenologia feminista do mal. Petrópolis: Vozes, 2000.

LAGARDE, Marcela. Los cautiveros de las mujeres: madreposas, monjas, putas, presas y locas. 4 ed. México: UNAM, 2005. P. 165-167

PAIXÃO, Márcia. EGGERT, Edla. A Hermenêutica feminista como suporte para pesquisar a experiência das mulheres. In: Processos educativos no fazer artesanal de mulheres no Rio Grande do Sul. 1ed. Santa Cruz do Sul, EDUNISC, 2011.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Da Silva, C. S. (2019). AINDA É PRECISO “OCUPAR, RESISTIR E PRODUZIR”. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1230

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar