As orientações para o ensino de diferentes tipos de letras nas cartilhas ¿Quieres leer? (Uruguai) e Queres ler? (RS, Brasil)

Autores

  • Alessandra Amaral da Silveira Universidade Federal de Pelotas
  • Alessandra Amaral da Silveira Universidade Federal de Pelotas
  • Caroline Braga Michel Universidade Federal de Pelotas
  • Eliane Peres Universidade Federal de Pelotas.
  • Eliane Peres Universidade Federal de Pelotas.

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1211

Palavras-chave:

ensino da escrita, tipos de letras, Queres Ler?, Rio Grande do Sul.

Resumo

Tem-se como objetivo principal neste trabalho cotejar as orientações apresentadas aos professores sobre o ensino da escrita, enfatizando os tipos de letras presentes na obra didática uruguaia ¿Quieres Leer?, de José Henriques Figueira, e na adaptação Queres Ler?, feita por Olga Acauan e Branca Diva Pereira de Souza. Trata-se de uma obra utilizada para o ensino da leitura e da escrita cujo método era caracterizado como “intuitivo analítico-sintético de leitura e escrita corrente de palavras e frases básicas ou normais” e que foi adaptada pelas duas professoras gaúchas mencionadas para uso nas aulas públicas do Rio Grande do Sul no século XX, imediatamente após a missão de estudos realizada ao Uruguai, em 1914. Para tanto, analisaram-se três exemplares: duas edições uruguaias (1905; 1931) e uma edição gaúcha (1929). As análises pautaram-se nos trabalhos de Faria Filho (1998), Vidal e Gvirtz (1998), Vidal e Esteves (2003), Peres (2003), Fetter, Lima e Lima (2010) e possibilitam observar que a versão uruguaia ressaltava, nas “Notas gerais” e nas “Notas explicativas”, existentes desde as primeiras lições, a importância de exercícios musculares básicos, preparatórios para a escrita, inclusive reproduzindo, juntamente com as notas, o movimento que deveria ser realizado no exercício. Essa orientação, no entanto, foi suprimida na versão gaúcha, a Queres Ler?, o que indica uma diferença entre a versão uruguaia e a edição gaúcha no que tange à maneira como os/as professores/as deveriam conduzir o processo inicial do ensino da escrita.

Biografia do Autor

Alessandra Amaral da Silveira, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda em Educação na Universidade Federal de Pelotas. Integrante do Grupo de Pesquisa HISALES – História da Alfabetização, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares FaE/UFPel.

Alessandra Amaral da Silveira, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda em Educação na Universidade Federal de Pelotas. Integrante do Grupo de Pesquisa HISALES – História da Alfabetização, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares FaE/UFPel.

Caroline Braga Michel, Universidade Federal de Pelotas

Doutora em Educação Integrante do Grupo de Pesquisa HISALES – História da Alfabetização, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares FaE/UFPel.

Eliane Peres, Universidade Federal de Pelotas.

Doutora em Educação.  Coordenadora do Grupo de Pesquisa HISALES – História da Alfabetização, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares FaE/UFPel.

Eliane Peres, Universidade Federal de Pelotas.

Doutora em Educação.  Coordenadora do Grupo de Pesquisa HISALES – História da Alfabetização, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares FaE/UFPel.

Referências

ACAUAN, O.; SOUZA, B.D.P. Queres ler?: primeiro livro. 3ª ed. Porto Alegre: Livraria Selbach de J. R. da Fonseca & Cia. 1929.

ARAÚJO, Orestes. Historia de la escuela uruguaya. Montevideo: El Siglo Ilustrado, 1911.

ARRIADA, E.; TAMBARA, E. Uma missão pedagógica ao Uruguai: Aprendizagem, métodos, princípios. In: ASPHE, 19ª , Pelotas, Anais... Pelotas-RS, 2013.

BASTOS, M.H. C. Uma biografia dos manuais de história da educação adotados no Brasil (1860-1950). In: VI Congresso Luso-Brasileiro de História da educação, 2006, Uberlândia. Percursos e Desafios da pesquisa e do ensino em História da Educação. Uberlândia: Editora da UFU, 2006.

CALKINS, N. Lições de coisas. Tradução Rui Barbosa. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1956. (Obras completas, v. 13, t. 1).

FARIA FILHO, L.M. Cultura e Prática Escolares: escrita, aluno e corporeidade. In: Caderno de Pesquisa, n.103, março de 1998.

FETTER, S; LIMA, E; LIMA, G. O Ensino da Escrita Manual no Brasil: Dos Modelos Caligráficos à Escrita Pessoal no Século XXI In: BOCC. Biblioteca On-line de Ciências da Comunicação, v. IV, p. 1-31, 2010.

FETTER, S. Modelos caligráficos na Escola Brasileira: uma história do Renascimento aos nossos dias. 2011. 260 f. Dissertação (Mestrado em Design) - Escola Superior de Desenho Industrial, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

FIGUEIRA, J. H. ¿Quieres Leer?. Casa A. Barreiro y Ramos. S.A. Montevideo. 1943.

_____________. ¿Quieres Leer?. Casa A. Barreiro y Ramos. S.A. Montevideo. 1905.

FIGUEIRINHA, A. Lições de Pedagogia. Porto/PT: Casa editora António Figueirinhas L.D.A 1927.

MARTÍNEZ, S.A.; BOYNARD, M.A.A.P.. Uso da imprensa periódica como estratégia de divulgação e reivindicação de novas práticas de escrita no Estado do Rio de Janeiro: Campos, 1914-1915. Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, Campos, (2005).

MICHEL, C. A cartilha Queres ler?: difusão e circulação de um novo método para o ensino da leitura e da escrita no Rio Grande do Sul no início do século XX. In: PERES, E.; RAMIL, C.A. (Orgs.) Produção e circulação de livros didáticos no Rio Grande do Sul nos séculos XIX e XX. Curitiba: Editora Appris, 2018. p. 81-104.

MICHEL, C. Missão de estudos ao Uruguai: mudanças no sistema de ensino do Rio Grande do Sul (1913-1927). 2017. 283 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. 2017.

MICHEL, C.B.; PERES, E.; SILVEIRA, A.A. As cartilhas ¿Quieres Leer? e Queres Ler?: recorrências e diferenças nas notas de orientações aos professores. Educação em Foco, ano 20, n. 32, p. 145-165, set/dez. 2017. ISSN 2317-0093. Disponível em: http://revista.uemg.br/index.php/educacaoemfoco/article/view/1306 Acesso em: 26 dez. 2018.

MICHEL, C. B.; ARRIADA, E.; PERES, E.. Os livros de leitura ¿Quieres leer? e Queres ler?: do Uruguai para o Rio Grande do Sul. Momento. v. 24, n. 1, p. 151-170, jan./jun. 2015. ISSN 2316-3100. Disponível em: http://revista.uemg.br/index.php/educacaoemfoco/article/view/1306. Acesso em: 26 dez. 2018.

MONTEIRO, C. A escrita na escola primária: repercussões da obra de Orminda Marques nas décadas de 30 a 60 do século XX. 2012. 120 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2012.

NÓVOA, A.; SCHRIEWER, J. A difusão mundial da escola - alunos, professores, currículo, pedagogia. Lisboa: EDUCA, 2000.

ORMINDA, M. A escrita na escola primária. São Paulo: Melhoramentos, 1936.

PERES, E. O ensino da linguagem na escola pública primária gaúcha no período da renovação pedagógica (1930 - 1950). In: PERES; Eliane; TAMBARA, Elomar. (org.). Livros escolares e ensino da leitura e da escrita no Brasil (séculos XIX - XX), Pelotas/RS: Seiva, 2003.

PERES, E. A produção e o uso de livros de leitura no Rio Grande do Sul: Queres Ler? e Quero Ler. História da Educação, Pelotas, RS, v. 3, n. 6, p. 89-103, out. 1999. ISSN 2236-3459. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/30260. Acesso em: 26 dez. 2018.

RIO GRANDE DO SUL. A Federação, Jornal Diário, 1913, p. 5.

TRINDADE, Iole. A invenção de uma nova ordem para as cartilhas: ser maternal, nacional e mestra: queres ler?. 2001. 524f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2001.

VALDEMARIM, V. T. Método Intuitivo: os sentidos como janelas e portas que se abrem para um mundo interpretado. In: SOUZA, R. F., VALDEMARIM, V. T.; ALMEIDA, J. S. O legado educacional do século XIX. Araraquara: UNESP, 1998.

VIDAL, D. G.; ESTEVES, I. L. Modelos caligráficos concorrentes: as prescrições para a escrita na escola primária paulista (1910-1940). In: PERES, E., TAMBARA, E. (org). Livros escolares e ensino da leitura e da escrita no Brasil (séculos XIX - XX), Pelotas/RS: Seiva, 2003.

VIDAL, D.; GVIRTZ, S. O ensino da caligrafia e a conformação da modernidade escolar: Brasil e Argentina, 1880-1940. In: Revista Brasileira de Educação, n.8, p. 13-30 mai/jun/jul/ago. 1998. Disponível em: http://anped.tempsite.ws/novo_portal/rbe/rbedigital/RBDE08/RBDE08_04_DIANA_E_SILVINA.pdf. Acessado em 07 jan. 2019.

ZARILLI; H.; SORIANO, R. A. Metodologia de la lectura. Desde el deletreo a la globalizacion. Montevideo: Talleres Gráficos Sur, 1946.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Amaral da Silveira, A., Amaral da Silveira, A., Braga Michel, C., Peres, E., & Peres, E. (2019). As orientações para o ensino de diferentes tipos de letras nas cartilhas ¿Quieres leer? (Uruguai) e Queres ler? (RS, Brasil). RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1211

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar