Do ser Pomerano nos Tempos Atuais

Autores

  • Myrna Gowert Madia Berwaldt Universidade Federal do Rio Grande-RS
  • Carmo Thum Universidade Federal do Rio Grande-RS

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1136

Palavras-chave:

Cultura Pomerana, Homogeneização, Práticas Educativas, Salvaguarda.

Resumo

O Brasil é multicultural. Processos homogeneizadores tentam de longo prazo, padronizar os modos de vida, invisibilizam diferenças e negam especificidades de diferentes grupos sociais. A lógica da homogeneização naturaliza a idéia da igualdade. Esse modo de compreender a realidade brasileira escamoteia e silencia os grupos minoritários. O povo pomerano é um povo camponês. Sua relação com a terra e o território tem modos próprios de ser vivenciada. A realidade distinta configura a condição de ser um dos segmentos dos Povos e Comunidades Tradicionais. Ao longo dos tempos, desde a proposição padronizadora da modernidade á atual conjuntura, os modos de vida desses grupos sofrem ameaças de homogeinização cultural por parte do Estado. O presente trabalho pretende abordar as relações de silenciamento e negação cultural produzidas pelas práticas opressivo-padronizadoras vividas pelos pomeranos. Em nossa compreensão há uma relação direta entre o papel padronizador- homogeneizador do Estado e os casos de negação identitária. O processo de auto-reconhecimento cultural, linguístico e de valorização das tradições dos Povos se coloca como um ato de emancipação cultural e uma forma de enfrentamento das políticas padronizantes da modernidade. O direito a diferença, a permanência no espaço, a manutenção das tradições, ao uso da língua materna nos espaços oficiais e a auto-definição são direitos indeléveis.

Biografia do Autor

Myrna Gowert Madia Berwaldt, Universidade Federal do Rio Grande-RS

Acadêmica do de graduação em Pedagogia; Experiência em Educação Básica e Bolsista de Iniciação Científica. Membro do núcleo Educamemória Pesquisa-Extensão-Formação.

Carmo Thum, Universidade Federal do Rio Grande-RS

Doutor em Educação (UNISINOS/2009). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC/2000). Graduado em Pedagogia (UFPEL/1997); Atuação na Graduação e na Especialização na área de Formação de Professores, com ênfase em Fundamentos da Educação com os seguintes temas: Pressupostos da Educação; Pesquisa, Formação de Professores; Prática Pedagógica; Ação Docente; Cultura, Memória. Experiência Profissional na área de Educação, gestor da Educação Infantil, Professor de Anos Iniciais; de Educação de Jovens e Adultos; Pesquisador do tema: Educação e Memória; Educação do Campo. Povos e Comunidades Tradicionais. Professor Associado, na Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Professor no Ensino Superior. Coordenador do Núcleo Educamemória. Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação do Instituto de Educação - (PPGEdu-FURG.)

Referências

BAGNO, Marcos. Preconceito Lingüístico: o que é, como se faz. São Paulo: edições Loyola, 1999.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas. São Paulo: Edusp, 2008. Obra completa.

DIEGUES, A. C. S. O mito moderno da natureza intocada. 5. ed. São Paulo: Hucitec; NUPAUB, 2004.

MAHER, T. M. Do casulo ao movimento: a suspensão das certezas na educação bilíngue e intercultural. In: CAVALCANTI, M. C. & BORTONI-RICARDO, S. M. (Orgs.) Transculturalidade, linguagem e educação. Campinas: mercardo das Letra, 2007.

SEYFERTH, Giralda. “Colonização, imigração e a questão racial no Brasil”. Revista USP, 2004 53: 117-149.

THUM, Carmo. Extensão e Formação: Interfaces entre Memória e História, Povos Tradicionais e Infâncias do Campo. Anais. Endipe. 2014. Disponível em: http://www.uece.br/eventos/xviiendipe/. Acesso em: 14 08 2018.

______. EDUCAÇÃO, HISTÓRIA E MEMÓRIA: silêncios e reinvenções pomeranas na Serra dos Tapes. São Leopoldo, RS. 2009.

______. Povos e Comunidades tradicionais: aspectos históricos, conceituais e estratégias de visibilidade. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambiental, Edição especial. XIX Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire, p. 162 -179, junho, 2017. Disponível em: file:///C:/Users/willian/AppData/Local/Temp/6899-19960-1-PB.pdf. Acesso em: 18/08/2018.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Berwaldt, M. G. M., & Thum, C. (2019). Do ser Pomerano nos Tempos Atuais. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1136

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar