A importância do TILS na educação bilíngue de surdos: utopia X realidade

Autores

  • Rachel Gonçalves Rocha Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA
  • Fabiane Freitas Ventura

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.1008

Palavras-chave:

Tradutor intérprete da língua de sinais. Educação Ambiental. Inclusão

Resumo

Resumo: A Educação Ambiental é instrumento para que os indivíduos construam, de forma coletiva, valores sociais voltados à conservação do meio ambiente. Assim, a escola é, por excelência, o espaço em que se valoriza o bem coletivo, sem distinguir diferenças e limitações. Nesse contexto, encontra-se a educação bilíngue como promotora da educação inclusiva a alunos surdos. Entende-se que, para o processo de inclusão escolar acontecer de fato, é necessário o envolvimento de todos os agentes educacionais, incluindo os tradutores e intérpretes da língua de sinais (TILS). Portanto, essa investigação destaca a importância do TILS na educação bilíngue de surdos, despertando reflexões acerca da relação Homem X Natureza, além de dialogar sobre a importância da escola na formação de indivíduos críticos, entendendo que é primordial que todos se sintam incluídos nessa formação.

 

 

Biografia do Autor

Rachel Gonçalves Rocha, Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA

Possui graduação em Pedagogia - Licenciatura Plena - Matérias Pedagógicas do Ensino Médio (2007) e Habilitação Educação Infantil (2010) pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande. Especialização em Gestão Educacional pela Universidade Federal de Pelotas (2008). Tem experiência na área de Educação Infantil e Ensino Fundamental. Possui conhecimentos de informática, de Inglês e de Espanhol básico. Possui ainda formação complementar em Libras - Linguagem de Sinais. Atua como professora da rede municipal de ensino da Prefeitura Municipal do Rio Grande ( 2010 - Atual). Discente do Mestrado Profissional em Educação - PPGEDU - UNIPAMPA (Campus Jaguarão).

Fabiane Freitas Ventura

Graduanda do último semestre do curso de Letras Português, pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG/ RS. Pesquisadora na área de Ensino de Língua Portuguesa na Educação Básica, vinculada ao Instituto de Letras e Artes da FURG.

 

Referências

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei 4673/2004. Reconhece a profissão de Intérprete da Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Transformado na Lei Ordinária 12319/2010. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=273676

_______. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB n. 2, de 11 de setembro de 2001. Brasília: CNE/CEB, 2001c.

_______. Ministério da Educação e do Desporto, Lei nº. 9.795 de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, n. 79, 28 abr. 1999.

______. Lei n° 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União, 2002. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2017.

______. Decreto Nº 5.626/2005. Regulamenta a Lei nº 12.439, de 1º de setembro de 2010. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2010/lei-12319-1-setembro-2010-608253-veto-129310-pl.html>. Acesso em: 15 jul. 2017.

______. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Janeiro de 2008. Disponível em: <http://portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/materiais/0000011730.pdf>. Acesso em: 10 jul. 2017.

DELISLE, Jean e WOODSWORTH, Judith. Os tradutores na história. Tradução: Sérgio Bath. 1ed. São Paulo: ÁTICA, 2003. In: Intérpretes de Língua de Sinais: o trânsito nas fronteiras culturais e linguísticas. CED/UFSC. 2006.

HALL, Stuart. Da Diáspora. Identidades e Mediações Culturais. Org. L. Sovik. Trad. Adelaine La Guardia Resende et al. Belo Horizonte: Ed. UFMG; Brasília: Representação da UNESCO no Brasil, 2003.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de. O Intérprete educacional de língua de sinais no Ensino Fundamental: refletindo sobre limites e possibilidades. In: Letramento e Minorias. LODI, A. C. B.; HARRISON, K. M. P.; CAMPOS, S. R. L. e TESKE, O. (Org.). Porto Alegre: Mediação, 2002.

LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de; POLETTI, Juliana Esteves. A escola inclusiva para surdos: a situação singular do intérprete de língua de sinais. FAPESP/ANPED, 2004.

Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/27gt15/t151.pdf.

Acesso em: 04 jan. 2018.

MASUTTI, Mara Lúcia & SANTOS, Silvana Aguiar dos. Intérpretes de Língua de Sinais: uma política em construção. In: QUADROS, Ronice Muller de. Estudos Surdos III. Rio de Janeiro: Arara Azul, 2008.

MENDES, Regina Maria Russiano Mendes. Afinal: Intérprete de Língua Brasileira de Sinais, Intérprete Educacional, Professor Intérprete ou Auxiliar? O trabalho dos Intérpretes na lógica inclusiva. In: Libras em estudo: tradução/interpretação. FENEIS-SP, p.75-107. 2012. Disponível em: http://www.porsinal.pt/index.php?ps=artigos&idt=artc&cat=7&idart=102 . Acesso em: 25 jan. 2018.

ONU. Declaração Mundial de Educação para Todos e Plano de Ação para Satisfazer as Necessidades Básicas de Aprendizagem. Conferência Mundial sobre Educação para Necessidades Especiais, 1994, Salamanca (Espanha). Genebra: UNESCO, 1994.

PAGURA, Reynaldo José. Tradução & Interpretação. In: AMORIM, Lauro Maia; RODRIGUES, Cristina Carneiro; STUPIELLO, Érika Nogueira de Andrade. (Orgs). Tradução &: perspectivas teóricas e práticas. São Paulo: Editora Unesp, 2015, p. 184-207. Disponível em: http://books.scielo.org/id/6vkk8/pdf/amorim-9788568334614-09.pdf

Acesso em: 10 jul. 2017.

QUADROS, Ronice Muller de. O tradutor e intérprete de Língua Brasileira de Sinais e Língua Portuguesa. Secretaria de Educação Especial; Programa Nacional de Apoio à Educação de Surdos. Brasília: MEC/SEESP, 2004.

RESENDE, Taynara Martins. O intérprete da língua de sinais: possibilidades e Desafios - V Seminário Nacional de Educação Especial. Uberlândia-MG. 2012

Disponível em: http://www.cepae.faced.ufu.br/sites/cepae.faced.ufu.br/VSeminario/trabalhos/264_1_1.pdf

Acesso em: 04 jan. 2018.

SANTOS, Itamar; GRILLO, Jocimara; DUTRA, Perpétua Aparecida A. Intérprete Educacional: teoria versus prática. In: Revista FENEIS, nº 41, Set-Nov. 2010. P.26-30.

Disponível em: http://paulohenriquelibras.blogspot.com.br/2011/08/interprete-educacional-teoria-versus.html. Acesso em: 15 fev. 2018.

SKLIAR, Carlos. A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Editora Mediação, 1998.

Downloads

Publicado

26/11/2018

Como Citar

Rocha, R. G., & Ventura, F. F. (2018). A importância do TILS na educação bilíngue de surdos: utopia X realidade. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.1008

Edição

Seção

Dossiê: X Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental (EDEA)