A ambientalização curricular e suas contribuições para formação acadêmica

Autores

  • Bruna Carolina de Lima Siqueira dos Santos Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI
  • Antonio Fernando Silveira Guerra Universidade do Vale do Itajaí

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.961

Palavras-chave:

ambientalização, concepções, formação.

Resumo

O presente estudo revela parte de resultados de uma pesquisa de mestrado em andamento que busca compreender o processo de ambientalização e suas contribuições para a formação profissional em nossas universidades. A inserção da Educação Ambiental na Educação Superior, por meio do processo de ambientalização, caracteriza-se como um potente aliado ao bem viver comum, uma vez que pelo que é defendido neste estudo, o referido processo possibilita uma reflexão ética e moral na formação acadêmica, sobre as complexas relações consigo mesmo, com o outro, com as outras espécies e com o meio ambiente de forma transversal, permanente e contínua.

Biografia do Autor

Bruna Carolina de Lima Siqueira dos Santos, Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI

Mestrando no programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado em Educação- UNIVALI. Pós-graduação lato sensu, Especialista em Gestão e Supervisão Escolar, pelo Centro Universitário Maurício de Nassau - UNINASSAU (2014). Licenciatura Plena em Pedagogia, pela Universidade Nilton Lins (2012). Carreira desenvolvida na área de Pedagogia, experiência em regência de aulas, coordenação e apoio ao ensino em ambiente educacional presencial e a distância, orientação a pais e discentes, elaboração de atividades interdisciplinares e desenvolvimento e implementação de projetos educacionais e pedagógicos, contribuindo para a conquista de melhorias na qualidade dos processos de ensino e aprendizagem. Atualmente membro da Rede Sul Brasileira de Educação Ambiental-REASUL e pesquisadora no Grupo de Pesquisa Educação, Estudos Ambientais e Sociedade- GEEAS, vinculado ao PPGE da UNIVALI.

Antonio Fernando Silveira Guerra, Universidade do Vale do Itajaí

Pós-doutor em Educação Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande (PPGEA, em 2012); Doutor em Engenharia de Produção - Mídia e Conhecimento (2001) e mestre em Educação (1996) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Especialista em Ecologia e problemática Ambiental pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1989) Licenciado em Ciências - Habilitação em Biologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1978). É professor aposentado e atuou de 2001 a 2018 como docente e pesquisador do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação (Mestrado e Doutorado) - PPGE da Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI. Foi professor substituto de cursos de graduação da UFSC, e de 1986 a 2017 de cursos de Graduação em Biologia, Oceanografia, Engenharia Civil e dos cursos do Núcleo das Licenciaturas da Universidade do Vale do Itajaí, em Itajaí - SC. Foi Membro do Comitê Assessor do Órgão Gestor da Política Nacional de Educação Ambiental pela Rede Brasileira de Educação Ambiental - REBEA (2015-2017). Foi Líder do Grupo de Pesquisa Educação, Estudos Ambientais e Sociedade - GEEAS, vinculado ao PPGE da Univali, até 2018. Membro do grupo fundador do GT 22 de Educação Ambiental da ANPED, membro do corpo editorial e parecerista de periódicos da área de Educação e do campo da Educação Ambiental. Foi um dos idealizadores, secretario executivo e ainda atua como membro da Comissão de Gestão Participativa da Rede Sul Brasileira de Educação Ambiental - REASul, criada em 2002. Foi professor efetivo o da rede pública de ensino do Rio Grande do Sul (1980 a 1995) e do estado de Santa Catarina (1994 a 2004).Atualmente é integrante do Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - BASis. Tem experiência na área de Educação, com ênfase na formação em Educação Ambiental (EA), atuando principalmente nos seguintes temas: Prática docente; formação inicial e continuada de professores (as) educadores (as) ambientais; ambientalização curricular na educação Superior; políticas públicas para EA; produção e avaliação de atividades e materiais pedagógicos inovadores sobre o tema Educação Ambiental e sustentabilidade.

 

Referências

BRASIL. Lei 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental – PNEA e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, Brasília, 28 de abr. 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9795.htm . Acesso em: jan. 2018.

______. Lei Nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm . Acesso em: 23 abr. 2017.

______. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação – CNE. Resolução n. 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Brasília: MEC/CNE, 2012.

______. Ministério do Meio Ambiente- MMA. Resolução Nº 357, de 17 de Março de 2005 Publicada no DOU nº 053, de 18/03/2005, págs. 58-63. Alterada pela Resolução 410/2009 e pela 430/2011. Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA. Brasília: MMA, 2005.

CAPRA, Frijof. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. 2, ed. São Paulo: Cultrix, 1996.

FIGUEIREDO. Mara Lúcia; GUERRA. Antonio Fernando S. UNIFEBE Sustentável: indícios de Ambientalização Curricular em cursos de graduação. In: X ANPED SUL - Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul, 2014, Florianópolis. Texto Completo. Florianópolis, out. 2014.

_______. ; _______. ; ANDRADE. I. C. F.; CECCATO. L. L.; ARRUDA. M. P.; MENEZES. R. M. Educação para ambientalização curricular: diálogos necessários. São José. ICEP, 2017.

GUERRA, Antonio Fernando S.; CARLETTO, Denise Lemke; STEUCK, Eliane Renata; SILVA, Marcia; ORSI, Raquel Fabiane; FIGUEIREDO, Mara Lúcia; MOTA, Junior Cesar. O processo de ambientalização e sustentabilidade nos cursos de graduação da Universidade do Vale do Itajaí – Univali. 2015. Acesso em: https://www.researchgate.net/publication/299546766 . Acesso em: 29 de maio 2018.

GUIMARÃES, Mauro. Armadilha paradigmática na educação ambiental. In: LOUREIRO, Carlos Frederico B. (Org.). Pensamento Complexo, Dialética e Educação Ambiental. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011. Cap. 1. p. 15-29.

_______, _______. Sustentabilidade e Educação Ambiental. In: CUNHA, S. B; GUERRA, A. J. T.A questão ambiental: diferentes abordagens. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; 2009. p. 81-105.

JUNYENT, Mercè; GELI, Anna Maria; ARBAT, Eva. Características de la ambientalización curricular: Modelo ACES. Universitat de Girona. p. 15-32. , v. 40. In: Junyent, M.; Geli, A. M. & Arbat, E. (Org.) Ambientalización Curricular de los Estudios Superiores. 2 - Processo de Caracterización de la Ambientalización Curricular de los Estudios Universitarios. Girona: Editora UdG, 2003.

KITZMANN, Dione. Ambientalização de Espaços Educativos: aproximações metodológicas. 2007. Disponível em: https://remea/article/view/3588 Acesso em: jul. de 2017.

_______. ; ASMUS, Milton. Ambientalização sistêmica – do currículo ao socioambiente. Currículo sem Fronteiras, Rio Grande – RS; v.12, n.1, p. 269-290.

LEFF, Enrique. Discursos sustentáveis. Tradução Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Cortez, 2010.

LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Educação ambiental no Brasil, identidades e desafios. Coleção Papirus Educação. Campinas, SP: Papirus, 2011.

LOUREIRO, Carlos Frederico. Trajetória e fundamentos da educação ambiental. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

REIGOTA, Marcos. O que é educação ambiental. 2. Ed. Coleção primeiros passos. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994.

SAUVÉ, Lucie. Uma cartografia das correntes em Educação Ambiental. In: SATO, M.; CARVALHO, I. C. M. (Orgs.). Educação Ambiental - pesquisas e desafios. Porto Alegre: Artmed, 2005.

SERPA, Paulo. Uma contribuição para a compreensão do processo de ambientalização e sustentabilidade na educação superior. Itajaí, 2017, 159 p. Dissertação - Universidade do Vale do Itajaí. Programa de Pós-Graduação em Educação.

TOZONI-REIS, Marília Freitas de C. (Re) pensando a educação ambiental. In: V Congresso Ibero-Americano de Educação Ambiental, Metodologias Aplicadas à Educação Ambiental, Joinville-SC, p. 13, 2006. Disponível em: http://www2.videolivraria.com.br/pdfs/14856.pdf . Acesso em: 10 mar. 2018

TRAJBER, Rachel. SATO. Michele. Escolas sustentáveis: incubadoras de transformações nas comunidades. Revista eletrônica do mestrado em Educação Ambiental, v. especial, p. 70-78, julho 2017.

Downloads

Publicado

26/11/2018

Como Citar

Santos, B. C. de L. S. dos, & Guerra, A. F. S. (2018). A ambientalização curricular e suas contribuições para formação acadêmica. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.961

Edição

Seção

Dossiê: X Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental (EDEA)