A Sustentabilidade Econômica dos Bens Culturais Materiais em Jaguarão, RS: O Caso do Mercado Público

Autores

  • Alef Caldeira
  • Helora Ávila
  • Patrícia Severo
  • Alessandra Farinha

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.810

Palavras-chave:

Mercado Público, Jaguarão, Sustentabilidade dos Patrimônios Culturais

Resumo

O presente trabalho trata da discussão sobre a utilização ou reutilização dos patrimônios culturais materiais das cidades, em seu contexto atual e sua sustentabilidade econômica perante as modificações da cultura local. Nesse intuito será feito o estudo de caso do mercado Público de Jaguarão, RS, construído em 1867 e atualmente recém restaurado. Os produtos, mercadorias e também escravos que chegavam a Jaguarão na época, vinham principalmente pelo Rio Jaguarão e desembarcavam-no cais do porto, ficando disponíveis no mercado público, sendo este uma referência histórica para Jaguarão. A metodologia utilizada neste trabalho foi pesquisa bibliográfica e um estudo de caso a respeito do Mercado Público de Jaguarão, trazendo também considerações sobe os mercados públicos de Pelotas e Porto Alegre, visando levantar algumas questões de políticas de gestão e utilização dos espaços. A pesquisa também tem um caráter exploratório. O mercado público de Jaguarão acabe de ser entregue após um processo de restauro, e não se sabe o futuro sobre a gestão do espaço. Essa pesquisa visa expor esse local e propor uma utilização que transmita a história, mas que adapte sua estrutura de comércio em relação às necessidades de hoje.

Referências

ARANTES, Antônio Augusto. Repensando os aspectos sociais da sustentabilidade: a conservação integrada do patrimônio ambiental urbano. Projeto História, São Paulo, p.121-134, 18 maio 1999.

ARANTES, Antônio Augusto. O Patrimônio cultural e seus usos: A Dimensão urbana. Habitus Goiânia, v. 4, n. 1, p.425-435, 2006.

BRASIL. Programa Monumenta reinaugura o Mercado Público de Pelotas – RS. IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico, Brasília, 19 dez. 2012. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/741/programa-monumentareinaugura-o-mercado-publico-de-pelotas-%E2%80%93-rs.> Acesso em 19/12/2017.

MAZZEI, Enrique. Rivera (Uruguay) – Sant’Ana (Brasil): Identidad, território e integración fronteriza. Departamento de Sociologia da Universidad de la República, 2010.

TORMAM, Josi Silva. Uma Breve História: Mercado Público de Jaguarão. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 5, n. 2, p.1-1. 2013.

XAVIER, Ana Estela Vaz. A Revitalização do Mercado Público de Pelotas e sua Ressignificação Social. Relacult, [s.l.], v. 2, n. 4, p.72-89, dez. 2016. Disponível em: <http://periodicos.claec.org/index.php/relacult/article/view/355>. Acesso em: 08 dez. 2017.

CAVEDON, Neusa Rolita. “PODE CHEGAR, FREGUÊS”: A CULTURA ORGANIZACIONALDO MERCADO PÚBLICO DE PORTO ALEGRE. O&S, Salvador, v. 11, n. 29, jan. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1984-92302004000100010&script=sci_arttext&tlng=es>. Acesso em: 04 dez. 201

Downloads

Publicado

28/02/2018

Como Citar

Caldeira, A., Ávila, H., Severo, P., & Farinha, A. (2018). A Sustentabilidade Econômica dos Bens Culturais Materiais em Jaguarão, RS: O Caso do Mercado Público. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.810

Edição

Seção

Dossiê: TURISMO E PATRIMÔNIO CULTURAL