A REVITALIZAÇÃO DO MERCADO PÚBLICO DE PELOTAS E SUA RESSIGNIFICAÇÃO SOCIAL

Ana Estela Vaz Xavier

Resumo


O presente projeto tem como objetivo analisar a política urbana que ensejou a revitalização do Mercado Público Central da cidade de Pelotas/RS, bem como visa identificar as consequências desta intervenção urbana. Esta pesquisa procura investigar os aspectos econômicos, sociais, culturais e sócio-espaciais que estão relacionados com o tema, e, especialmente com o ocupante do local, antes e depois da reforma. Como metodologia, realiza-se um estudo qualitativo e quantitativo, onde serão empregadas técnicas de pesquisa científica. Busca-se ainda, compreender de que maneira a revitalização do Mercado repercutiu no público em geral. Antes da revitalização, o prédio do Mercado necessitava de reformas na parte interna e externa. Hoje, pode-se perceber uma mudança em relação à estruturação interna do prédio, além do fato de que os ocupantes deste espaço público não são os mesmos de antes. Atualmente, o Mercado Público é bastante procurado como um ponto turístico, cultural e de entretenimento, além de oferecer um comércio destinado a pessoas aparentemente de condições mais abastadas. Portanto, há interesse no questionamento acerca das transformações ocorridas neste local que faz parte do cenário do centro histórico da cidade, evidenciando a ressignificação social ocorrida.

Palavras-chave


Revitalização; Espaço Público; Espaço Social; Ressignificação Social; Centralidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, Antonio. Patrimônio cultural e cidade. In: FORTUNA, Carlos e LEITE, Rogério Proença (Orgs.). Plural de Cidade: léxicos e culturas urbanas. Coimbra: Almedina, 2009.

BALSAN, Rosane e UEDA, Vanda. O comércio informal de Pelotas: características e contradições no centro histórico da cidade. Boletim Gaúcho de Geografia, vol. 23, no. 1, mar., p. 71-80, 1998. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/bgg/article/view/38382/25685. Acesso em 25/05/2016.

BOURDIEU, Pierre. Gosto de classe e Estilo de Vida. In: ORTIZ, Renato (Org.). Pierre Bourdieu. São Paulo: Ática, 1983.

______. Razões Práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996.

BRASIL. Programa Monumenta reinaugura o Mercado Público de Pelotas – RS. IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico, Brasília, 19 dez. 2012. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/741/programa-monumentareinaugura-o-mercado-publico-de-pelotas-%E2%80%93-rs. Acesso em 25/05/2016.

FRÚGOLI JR., Heitor. Centralidade em São Paulo: trajetórias, conflitos e negociações na metrópole. São Paulo: EDUSP, 2000.

______. Centralidade em São Paulo: trajetórias, conflitos e negociações na metrópole. São Paulo: EDUSP, 2006.

______. Sociabilidade Urbana. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

GUTIÉRREZ, Rafael Adrés Barrera. La polisemia y la linguística de gentrificación. Cadernos Metrópole, vol. 16, no. 32, nov., p. 295-628, 2014.

HARVEY, David. Condição Pós Moderna: Uma Pesquisa sobre as Origens da Mudança Cultural. São Paulo: Loyola, 1992.

LEFÈBVRE, Henri. O direito à cidade. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

PARK, Robert Erza. A cidade: Sugestões para investigação do comportamento humano no meio urbano. In: VELHO, Otávio Guilherme (Org.). O Fenômeno Urbano. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1973.

PEIXOTO, Paulo. Requalificação urbana. In: FORTUNA, Carlos e LEITE, Rogério Proença (Orgs.). Plural de Cidade: léxicos e culturas urbanas. Coimbra: Almedina, 2009.

PELOTAS. Relatório de Cumprimento do Objeto: Convênio nº. 392/2002. Programa Monumenta. Prefeitura Municipal de Pelotas, Pelotas, 2002.

PEREIRA, Alvaro Luis dos Santos. A gentrificação e a hipótese do diferencial de renda: limites explicativos e diálogos possíveis. Cadernos Metrópole, vol. 16, no. 32, nov., p. 295-628, 2014.

REMY, Jean. Gran ciudad y pequeña cuidad: tensiones entre sociabilidad y estética em Simmel, La metodología implícita: forma y autoorganización social. In: MÁRQUEZ, Francisca (Ed.). Ciudades de Gerog Simmel: lecturas contemporáneas. Santiago del Chile: Ediciones Universidad Alberto Hurtado, 2012.

RUBINO, Silvana. Enobrecimento Urbano. In: FORTUNA, Carlos e LEITE, Rogério Proença (Orgs.). Plural de Cidade: léxicos e culturas urbanas. Coimbra: Almedina, 2009.

SERPA, Angelo. O espaço público na cidade contemporânea. 1 ed. 2 reimp. São Paulo: Contexto, 2011.

SIMMEL, Georg. Questões fundamentais da Sociologia: indivíduo e sociedade. Tradução de Pedro Caldas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

VARGAS, Heliana Comin e CASTILHO, Ana Luiza Howard de. Intervenções em Centros Urbanos: objetivos, estratégias e resultados. Barueri: Manole, 2006.

VILLELA, Ana Laura Vianna. Proposta de reciclagem - Mercado Público de Pelotas. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 1995.

WIRTH, Louis. O urbanismo como modo de vida (1938). In: VELHO, Otávio Guilherme (Org.). O Fenômeno Urbano. 2 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1973.

ZUKIN, Sharon. Entre o tecido físico e social das cidades. Entrevista concedida a Heitor Frúgoli Jr. e Julio Cesar Talhari. Tradução de Lilian Gasparetti Abdoullah. Revista Brasileira




DOI: http://dx.doi.org/10.23899/relacult.v2i4.355

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Ana Estela Vaz Xavier

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Qualis CAPES (2013-2016):

B2 - Ensino; B4 - Interdisciplinar; B5 - Ciência Política e Relações Internacionais; B5 - Comunicação e Informação; B5 - Letras/Linguística; B5 - Ciências Agrárias I; C - Ciências Biológicas II; C - Direito; C - História e C - Sociologia.

 

e-ISSN 2016/Atual: 2525-7870 | e-ISSN 2015/2016: 2447-018X

Realização:

Editora CLAEC - Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

Endereço Eletrônico: relacult@claec.org


Contador disponível desde 05/2016.

universidades e ensino superior
contador de visitas