A Educação Ambiental como práxis educativa: um estudo na Escola de Ensino Fundamental Joaquim Caetano da Silva na cidade de Jaguarão/RS

Autores

  • Regiane Vieira Gonzalez Universidade Federal do Pampa
  • Jefferson Marçal da Rocha Universidade Federal do Pampa

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.707

Palavras-chave:

Alimentos orgânicos, Alimentação saudável, Educação ambiental.

Resumo

Este projeto surgiu da necessidade de discutir a concepção da Educação Ambiental como práxis educativa na Escola Estadual Joaquim Caetano da Silva, pois se percebe que a problemática ambiental está ganhando cada vez mais espaço no contexto social e político contemporâneo. O objetivo é, a partir da discussão com a comunidade escolar, provocar pequenas mudanças nos hábitos alimentares de todos os envolvidos (docentes, estudantes, funcionários, pais, familiares, etc.), valorizando, a partir da implantação de uma horta escolar, a alimentação saudável, especialmente pelo consumo de alimentos orgânicos.

Biografia do Autor

Regiane Vieira Gonzalez, Universidade Federal do Pampa

Possui licenciatura pela em Ciências Físicas e Biológicas (2005) pela Universidade Católica de Pelotas (UCPEL), extensão Jaguarão. Desde 2010, é docente da rede estadual de educação, atuando como professora de Ciências na Escola Estadual de Ensino Fundamental Joaquim Caetano da Silva e de Biologia na Escola Estadual de Ensino Médio Hermes Pintos Affonso, ambas situadas na cidade de Jaguarão. É mestrada do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), Câmpus Jaguarão.

Jefferson Marçal da Rocha, Universidade Federal do Pampa

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Fundação Educacional de Alegrete (1989), mestrado em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Santa Cruz do Sul (1999), doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Paraná (2004) e Pós-doutorado em Gestão Ambiental (UNEX - Universidade de Extremadura- ESPANHA, 2006). Atualmente é professor Associado da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), professor do Mestrado profissional em Educação (PPGEdu) da Unipampa, professor colaborador do PPGA da Universidade de Caxias do Sul. Avaliador institucional do INEP e pareceristas ah doc de Bolsas BIC, Bolsas Capes, projetos Cnpq e Capes e revistas acadêmicas. Tem experiência na área de Economia e Desenvolvimento, com ênfase em Economia dos recursos naturais, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento regional, agricultura sustentável, educação ambiental, gestão ambiental e turismo.

Referências

AZEVEDO, E.de. Alimentos orgânicos: ampliando os conceitos de saúde humana, ambiental e social. São Paulo: Editora Senac, 2012.

BACHELARD, G.. A formação do espírito científico. São Paulo: Contraponto/UNESP, 1996.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: LDA, 2009.

BERGER, P. L; LUCKMANN, T.A Construção social da realidade. 32. ed. Traduzido por Floriano de Souza Fernandes. Petrópolis, Vozes, 2010.

BOFF, L. A carta da Terra e a consciência planetária:um olhar “de dentro”. In: OLIVEIRA, P.A. R; SOUZA, J.C.A. (Orgs.).Consciência planetária e religião: desafios para o século XXI. São Paulo: Paulinas. 2009.

______L. Saber cuidar: ética do humano – compaixão pela terra. Petrópolis: Vozes, 2008.

Brasil Escola – UOL (Brasil escola. uol.com. br/saúde.../o – que – são alimentos saudáveis. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttex&pid=S151797022005000200010&lng=pt&nrm=isso>. Acesso em: 23/ 07/ 2017.

Brasil. Ministério da Educação/Ministério do Meio Ambiente. Formando Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola: Construindo Agenda 21. Brasília: Coordenação Geral de Educação Ambiental, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação.Lei de diretrizes e bases da educação nacional.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CEPAL. Desarrollo rural en América Latina y el Caribe: laconstrucción de unnuevo modelo. Disponível em: <http://www.cepal.org/es/publicaciones/1661-desarrollo-rural-america-latina-caribe-la-construccion-un-nuevo-modelo >. Acesso em: 25 julho 2017.

DIAS, G.F. Educação ambiental: princípios e práticas. São Paulo, Gaia, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GALLO, S. Transversalidade e meio ambiente. Ciclo de palestras sobre o meio ambiente. Brasília: MEC/ SEF, 2001.

GHIGGI, G. A pedagogia da autoridade a serviço da liberdade: diálogos com Paulo Freire e professores em formação. Pelotas: Seiva, 2002.

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5 ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GOLDENBERG, Miriam. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. ed. 8. Rio de Janeiro: Record, 2004.

GUIMARÃES, M. A educação ambiental crítica. In: LAYRARGUES, P.P. Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do meio Ambiente, 2004.

LEFF, E. Epistemologia ambiental. São Paulo: Cortez, 2002.

______. Saber Ambiental: Sustentabilidade, Racionalidade, Complexidade, Poder. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

LOUREIRO, C.F.B. Trajetória e fundamentos da Educação Ambiental. São Paulo: Editora Cortez, 2009.

MAGALHÃES, A. M. A horta como estratégia de educação alimentar emcreche. 2003. 120 f. Dissertação (Mestrado em Agros ecossistemas). Universidade Federal de

Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

MINAYO, M.C.de S.(Org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 22 ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

MOLINA NETO, V.; TRIVIÑOS, A. S.(Org.). A pesquisa qualitativa na Educação Física: alternativas metodológicas. Porto Alegre: EDUFRGS, 1999.

REIGOTA, M. Meio ambiente e representação social. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

______. O que é educação ambiental. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 2009.

ROCHA, J. M. da. Sustentabilidade em questão: economia, sociedade e meio ambiente. Jundiaí:, Paco Editorial: 2011.

ROESSLER, H. L.O Rio Grande do Sul e a ecologia: crônicas escolhidas de um naturalista contemporâneo. 2. ed. Porto Alegre: Governo do Estado do Rio Grande do Sul/SEMA/FEPAN, 2005.

SADER, E. A ecologia será política ou não será. In: GOLDENBERG, M. (Org.).Ecologia, ciência e política: participação social, interesses em jogo e luta de ideias no movimento ecológico. Rio de Janeiro: Revan, 1992. p. 135-142.

SORRENTINO, M. et al. Educação ambiental como política pública:educação e pesquisa. v. 31. n. 2. São Paulo, 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttex&pid=S151797022005000200010&lng=pt&nrm=iso>.Acesso em: 23 julho 2017.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa- Ação. São Paulo: Cortez, 1985.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

Downloads

Publicado

28/02/2018

Como Citar

Gonzalez, R. V., & da Rocha, J. M. (2018). A Educação Ambiental como práxis educativa: um estudo na Escola de Ensino Fundamental Joaquim Caetano da Silva na cidade de Jaguarão/RS. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.707

Edição

Seção

Dossiê: CIÊNCIAS, HUMANAS, AMBIENTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL POPULAR