A força do cinema para a massificação ou para a promoção da diversidade cultural

Autores

  • Cecília Leão Oderich UFRGS
  • Mariana Baldi UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.501

Palavras-chave:

cinema, cinema independente, diversidade cultural, massificação cultural

Resumo

A imagem influencia a compreensão, o conhecimento, a formação ideológica de indivíduos e grupos. Este trabalho apresenta um ensaio que analisa a força do cinema como arte que pode tanto legitimar padrões em processos de apropriação, padronização e massificação cultural, quanto pode se constituir como um espaço de inclusão, de crítica, de diversidade cultural e diálogo intercultural. São apresentados exemplos de filmes e os desafios dos cinemas nacionais e do cinema independente quando buscam além da hegemonia do visual. A perspectivação sobre diferentes temas, desde questões étnicas, da obesidade, do colonialismo, da escolarização, da “deformidade”, por exemplo, pode ocorrer a partir do cinema de massa ou do cinema independente. A pesquisa sobre cinema pode ajudar na crítica anticolonizadora, no diálogo intercultural e na ampliação da tomada de consciência sobre a importância da arte e do cinema nas forças que conjuminam em modelos e padrões para uma suposta normalidade ou sucesso, na busca por relações menos estereotipadas.

Biografia do Autor

Cecília Leão Oderich, UFRGS

Doutoranda em Estudos Organizacionais (PPGA/UFRGS)

Mariana Baldi, UFRGS

Professora Doutora PPGA/UFRGS.

Referências

ADORNO, Theodor W. A indústria cultural. In: COHN, Gabriel. Comunicação e Indústria Cultural. São Paulo: nacional, 1975.

ADORNO, Theodor W; HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento. 3º Ed. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1947.

ALBUQUERQUE Jr., Durval Muniz. A bela ou a fera: os corpos entre a identidade da anomalia e a anomalia da identidade. In: RAGO, Margareth; VEIGA-NETO, Alfredo (Orgs.). Para uma vida não-fascista. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. (p.95-115).

ANDRADE, Rafael. Sociedade de Massas. Infoescola - Sociologia. Disponível em: http://www.infoescola.com/sociologia/sociedade-de-massas/ Acesso em: 19 de julho de 2017.

COURTINE, Jean-Jacques. História e antropologia culturais da deformidade. In: CORBIN, Alain; COURTINE, Jean-Jacques; VIGARELLO, Georges (Orgs.). História do corpo 3 – as mutações do olhar: o século XX. Petrópolis: Vozes, 2006.

HENNEBELLE, Guy. Os cinemas nacionais contra Hollywood. Rio de Janeiro: Editora Paz e terra, 1978.

HERNÁNDEZ, Fernando. Pesquisar com imagens, pesquisar sobre imagens: revelar aquilo que permanece invisível nas pedagogias da cultura visual. In: MARTINS, Raimundo, TOURINHO, Irene (orgs.). Processos & práticas de pesquisa em cultura visual & educação. Santa Maria: UFSM, 2013. p. 77-95.

ORDINE, Nuccio. A Utilidade do Inútil – Um Manifesto. Rio de janeiro: Zahar, 2016.

RETINA LATINA. Plataforma digital de difusão e promoção do cinema Latino americano. Disponível em: http://www.retinalatina.org/

SHOHAT, Ella; STAM, Robert. Crítica da imagem eurocêntrica. São Paulo: Cosac e Naif, 2006.

SIMIS, Anita. Estado e Cinema no Brasil. São Paulo: UNESP, 2015.

TIBURI, Márcia. Kbela, o filme – de Yasmin-Thayná. Revista Cult. Disponível em: http://revistacult.uol.com.br/home/2015/10/kbela-o-filme-de-yasmin-thayna/ Acesso em: 06/07/2016.

Downloads

Publicado

31/12/2017

Como Citar

Oderich, C. L., & Baldi, M. (2017). A força do cinema para a massificação ou para a promoção da diversidade cultural. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 3(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.501

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo