Repatriação e Restituição de bens culturais: caminhos possíveis

Autores

  • Karine Lima da Costa

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i4.1748

Palavras-chave:

Cultura, Museus, Patrimônio cultural

Resumo

Este estudo tem como objetivo problematizar a questão da repatriação de bens culturais, especialmente aqueles que atualmente se encontram sob a guarda de instituições museais. Os processos de repatriação foram evidenciados mundialmente nos últimos 50 anos, consequência de um movimento de consciência da importância da cultura material de diversas culturas, que por anos sofreram com o colonialismo e o domínio de outros países. Atualmente, muitos países e grupos sociais reivindicam junto a organizações mundiais, a partir da construção ainda incipiente de políticas internacionais, o retorno de seu patrimônio cultural. Para o embasamento teórico, conceitos como repatriação, restituição, discurso, nacionalismo, universalismo e réplicas contribuíram para estabelecer um diálogo com a produção de autores do campo da Antropologia, da Arqueologia, da História, da Museologia, entre outros, a exemplo de James Clifford, José Reginaldo Gonçalves, Ulpiano Bezerra de Meneses e John Merryman. Desta forma, para exemplificar a discussão se pretende apresentar alguns estudos de caso nacionais e estrangeiros (tanto os que já foram solucionados, quanto os que ainda esperam por um desfecho). A investigação centrou-se na metodologia de análise documental e bibliográfica, consultando fontes como sites oficiais, livros, artigos, catálogos, jornais, entre outros. Apoiada na perspectiva da crítica pós-colonial, que visa trazer à luz outras concepções e narrativas possíveis, esperamos contribuir para o avanço da discussão sobre a propriedade dos bens culturais, especialmente no que se refere ao debate sobre a repatriação. Na tentativa de avançar nessa discussão, apontaremos alguns caminhos possíveis que podem auxiliar na resolução desses casos, como a utilização de réplicas empregues como um recurso adicional para as nações que se encontram fora desta disputa, servindo como elementos visuais didáticos nas exposições. Estas réplicas são geralmente oriundas dos estudos das escolas de Belas Artes Nacionais, devidamente autorizadas para a realização de cópias de elementos icônicos de grandes acervos, como peças do Museu do Louvre, do Museu Britânico, do Museu do Vaticano, entre outros. O momento é propício para uma reflexão sobre o quadro mundial dos acervos museológicos, bem como a compreensão da importância desses objetos que fundamentam os discursos e narrativas construídas pelos museus.

Biografia do Autor

Karine Lima da Costa

Doutora em História; Bacharela em Museologia.

Referências

BRUNO, M. C. O. Museologia e museus: os inevitáveis caminhos entrelaçados. Cadernos de sociomuseologia, v. 25, nº 25, p. 5-19, 2006. Disponível em: http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia. Acesso em: 28 dez. 2019.

CHAUMIER, S. O que define um objeto de museu?. In: L'objet de musée. Tradução: Thelma Palha.[s.a], p. 1-12. (Capítulo de Livro)

COSTA, K. L. Acervo de réplicas e seu papel educativo no Museu de Arqueologia Ciro Flamarion Cardoso (Ponta Grossa- PR). 2013. 68 f. Trabalho de conclusão de Curso (Graduação em Museologia) – Faculdade de Biblioteconomia e Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2013. (Trabalho de Conclusão de Curso)

COSTA, K. L. Caminhos para a descolonização dos museus: a questão da repatriação das antiguidades egípcias. 2019. 300 f. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Santa Catarina. 2019. (Tese)

CURY, M. X. Exposição: concepção, montagem e avaliação. São Paulo: Annablume, 2005. (Obra Completa)

DOHMANN, M. A experiência material: a cultura do objeto. Rio de Janeiro: Rio Books, 2013. (Obra completa)

FERREIRA, L. M. Patrimônio arqueológico, pós-colonialismo e leis de repatriação. In: FUNARI, P. P. A.; PELEGRINI, S.; RAMBELLI, G. (Orgs.). Patrimônio cultural e ambiental: questões legais e conceituais. São Paulo: Annablume, 2009. v. 1, p. 67-85. (Capítulo de Livro)

GAY, A. La restitution des biens culturels à leur pays d'origine. Un débat au carrefour entre le droit, la politique et la morale. 2013. 67 f. Dissertação (Direito, Política e Moral) – Institut d’Études Politiques de Lyon, Université lumière Lyon 2, Lyon, 2013. (Dissertação)

GESTÃO DO PATRIMÔNIO MUNDIAL CULTURAL. Brasília: UNESCO Brasil, IPHAN, 2016. 163p. [Manual de referência do patrimônio mundial].

GONÇALVES, J. R. S. Antropologia dos objetos: coleções, museus e patrimônios. Rio de Janeiro, 2007. (Obra completa)

GUARNIERI, W. R. C. Bem e patrimônio cultural. In: BRUNO, M. C. O. (Org.). Waldisa Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. V.1. São Paulo: Pinacoteca do Estado: Secretaria do Estado da Cultura: Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2010. p.119 -122. (Capítulo de Livro)

GUARNIERI, W. R. C. Conceito de Cultura e sua inter-relação com o patrimônio cultural e a preservação. In: BRUNO. M. C. O. (Coord.). Waldisa Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. São Paulo: Pinacoteca do Estado: Secretaria de Estado da Cultura: Comitê Brasileiro do conselho Internacional de Museus, 2010. V. 1. P. 78-85. (Capítulo de Livro)

HAWASS, Z. Recovering Egypt´s Stolen Treasures. KMT: A Modern Journal of Ancient Egypt. Sebastopol: KMT Communications, vol. 13, n. 4, p. 19-24, 2002-3. (Artigo em Periódico Físico)

IKRAM, S. Collecting and Repatriating Egypt´s Past: Toward a New Nationalism. In: SILVERMAN, H. (Ed.). Contested Cultural Heritage: Religion, Nationalism, Erasure and Exclusion in a Global World. New York: Springer, 2011. p. 141-154. (Capítulo de Livro)

MENESES, U. B. A problemática da identidade cultural nos museus: de objetivo (de ação) a objeto (de conhecimento). Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, v. 1, n. 1, p. 207-222, 1 jan. 1993. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5282/6812. Acesso em: 23 dez. 2019. (Artigo em Periódico Digital)

PEARCE, S. M. Museums, Objects and Collections: a cultural study. Washington D.C.: Smithsonian Institution Press. 1992. (Obra completa)

PIRES, K. T. A. A defesa de uma presença: A disputa pela repatriação dos Mármores do Parthenon. 2017. 86p. Trabalho de conclusão de Curso (Graduação em Museologia) – Faculdade de Biblioteconomia e Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2017. (Trabalho de Conclusão de Curso)

Downloads

Publicado

29/03/2020

Como Citar

Costa, K. L. da. (2020). Repatriação e Restituição de bens culturais: caminhos possíveis. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i4.1748

Edição

Seção

V - Encontro Humanístico Multidisciplinar