A linguagem científica na escola – proposições para um “olhar etnográfico” sobre livros didáticos em ciências

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v6i1.1715

Palavras-chave:

linguagem, etnografia, livro didático

Resumo

O artigo tem o objetivo de explicitar a importância de um “olhar etnográfico” sobre livros didáticos em ciências nas escolas brasileiras. Conceitualmente, faz-se necessário esclarecer o que é uma pesquisa etnográfica e seus fundamentos, o que indica para o campo teórico da etnografia os conceitos de Clifford Geertz e para a linguagem os conceitos de Michel Pêcheux e Eni Orlandi. Em um trabalho de análise mais elaborado com os professores, descrever ou interpretar a linguagem dos livros didáticos é desafiar a ciência “tal qual se faz”, procurando encontrar novas formas de ensinar ciências.

Biografia do Autor

Paula Simone Busko, Programa de Pós Graduação em Educação Científica e Tecnológica (PPGECT) / Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutoranda em Educação Científica e Tecnológica (PPGECT-UFSC); Mestre em Educação e Formação - História, Política e Gestão das Instituições Escolares (UNISANTOS-SP); Especialização em Educação Ambiental e Especialização em Marketing; Participação em Grupos de Pesquisa da UFSC: DICITE (Discursos da Ciência e Tecnologia) e Literaciências (Literatura, Decolonialidade e Ensino de Ciências). 

Referências

BAKHTIN, M. O discurso no romance. In: Questões de literatura e de estética: a teoria do romance (1934-1935). Trad. Bernadini et al. 4. ed. São Paulo: Unesp, 1998. p.71-210.

BENITE, A. M. C., SILVA, J. P., ALVINO, A.C., Ferro, Ferreiros e Forja: O Ensino de Química pela Lei Nº 10.639/03. In: OLIVEIRA, J. M. (Org.). In: Educação em Foco. v. 21. n. 3. Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), 2016.

CHARLOT, B. Formação de professores: a pesquisa e a política educacional. In: PIMENTA, S.; GHEDIN, E.. Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002. p. 89-108.

FANTI, M.G. C. A linguagem em Bakhtin: pontos e pespontos. Veredas. Revista Est. Linguagem, Juiz de Fora, v.7, n.1 e n.2, p.95-111, jan./dez. 2003.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008, 323p.

GIROUX, H. O Pós-modernismo e o discurso da crítica educacional. In: SILVA, T.T. da (Org.). In: Teoria Educacional Crítica em Tempos Pós-Modernos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

MALDONADO-TORRES, N. A topologia do Ser e a geopolítica do conhecimento. Modernidade, Império e Colonialidade. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. Epistemologias do Sul. Coimbra-PT: Almedina, 2010, p. 399.

MALINOWSKI, Bronislaw. Argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo: Abril, 1976.

ORLANDI, Eni P. As formas do silêncio. Campinas: UNICAMP, 2007.

Quimica. Vários autores. Ensino médio, 2ª. ed.. Curitiba: SEED-PR, 2006. p. 248. Disponível em: < http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/livro_didatico/quimica.pdf> Acesso em 21 de jul. 2019.

RAMPTON, B., MAYBIN, J., ROBERTS, C. Methodological foundations in linguistic ethnography. In: Working Papers in Urban Language and Literacies . 2014. King’s College London. Disponível em: <https://www.kcl.ac.uk/sspp/departments/education/research/Research-Centres/ldc/publications/workingpapers/abstracts/WP125--Methodological-foundations-in-linguistic-ethnography.aspx> Acesso em: 23 de abr. 2019.

RICENTO, T. Historical and Theoretical Perspectives in Language Policy and Planning. In: Journal of Sociolinguistics. Maio, 2000, p. 235. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/227549507_Historical_and_Theoretical_Perspectives_in_Language_Policy_and_Planning> Acesso em 23 de jun. 2019.

SANTAELLA, L. ; NÖTH, W. Imagem - Cognição, Semiótica, Mídia. São Paulo: Iluminuras, 1998.

SANTOS, B. Introdução a uma ciência pós-moderna. Porto: Afrontamento, 1989.

SANTOS, M-E. Desafios pedagógicos para o século XXI. Lisboa: Horizonte, 1999.

SANTOS, M-E. (2005). Cidadania, conhecimento e educação CTS. Rumo a novas dimensões epistemológicas. Revista Iberoamericana de Ciencia, Tecnologia y Sociedad – CTS, V.6, 2005.

SOCIOLOGIA. Vários autores. Ensino Médio, 2ª. ed. Curitiba: SEED-PR, 2006. 266 p. Disponível em: <http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/livro_didatico/sociologia.pdf> Acesso em 19 de abr. 2019.

Downloads

Publicado

22/05/2020

Como Citar

Busko, P. S. (2020). A linguagem científica na escola – proposições para um “olhar etnográfico” sobre livros didáticos em ciências. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6(1). https://doi.org/10.23899/relacult.v6i1.1715

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo