Vocabulário do escritor Antônio Juraci Siqueira

Autores

  • Francisca Claudia Borges Fernandes UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ http://orcid.org/0000-0002-1727-4652
  • Eliane Pereira Machado Soares UNIFESSPA Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i2.1492

Palavras-chave:

Sociolinguística, Léxico, Imaginário Amazônico

Resumo

Este trabalho resulta de uma pesquisa sobre o vocabulário da obra literária do autor Antônio Juraci Siqueira, que reside na cidade de Belém, Estado do Pará, com o objetivo de estabelecer relações entre língua e memória, evidenciando os vocábulos que configuram o imaginário popular e a identidade coletiva da comunidade amazônida (pescadores, ribeirinhos, seringueiros). A criação literária de Siqueira, como representação da língua é, ao mesmo tempo, de caráter inovador e transgressor, seja na poesia ou na prosa, compartilha expressões, vocábulos utilizados pelos falantes de uma comunidade. Conforme Biderman (2001) o leitor, em diálogo com o texto poético, dever-se-á confrontar com a visão de mundo do artista e a significatividade daquela obra. O conjunto lexical empregado por um escritor demonstra a compreensão de sua competência para com a língua. A escolha do falante/escrevente, é a operação da aplicação do léxico de sua língua em escala subjetiva ao discurso. Os verbetes apresentados representam um recorte da pesquisa, fundamentado na Lexicologia, Terminologia, Socioterminologia, evidenciando a relação que a terminologia estabelece com a sociolinguística.  Para elaboração do glossário nos pautamos nas orientações de Faulstich (2001), para quem o glossário é um inventário terminológico, de caráter seletivo que tem como escopo registrar e deliberar termos de domínios científicos, técnicos ou culturais, independente do suporte material em que se apresenta. O vocabulário é formatado a partir do uso da ferramenta computacional Lexique Pro e será organizado em ordem alfabética e apresentará os campos semânticos, com as respectivas informações gramaticais, definições e remissivas.

Biografia do Autor

Francisca Claudia Borges Fernandes, UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ

Francisca Claudia Borges Fernandes, nascida em Vitória do Espirito Santo, formada em Letras pela Universidade Federal do Pará - UFPA, especialista em Língua Portugues, pela Faculdade de Tecnologia Equipe Darwin - FTED, aluna de mestrado academico em Letras pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará e professora de Literatura.

Eliane Pereira Machado Soares, UNIFESSPA Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Profa Dra em Linguística

 

Referências

ALVES, I. M. Questões epistemológicas e metodológicas em terminologia. In: CARVALHO, N. M. de; SILVA, M. E. B. (Orgs.) Lexicologia, lexicografia e terminologia: questões conexas. ENCONTRO NACIONAL DO GT DE LEXICOLOGIA, LEXICOGRAFIA E TERMINOLOGIA DA ANPOLL, I. Anais. Recife: UFPE, 1998.

ANTUNES, Irandé. O território das palavras: estudo do léxico em sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

ARAGÃO, Maria do Socorro Silva de. Estudos em lexicologia, lexicografia, terminologia e terminografia. Fortaleza: UFC/MÍDIA, 2009.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. Tradução de J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 1987. (Coleção Elos).

BIDERMAN, Maria Teresa Camargo. A estrutura mental do léxico. In: QUEIROZ, T. A. Estudos de Filologia e Linguística: em homenagem a Isaac Nicolau Salum. São Paulo: USP, 1981.

_________. As ciências do Léxico. In: OLIVEIRA, Ana Maria Pinto Pires de; ISQUERDO, Aparecida Negri. As ciências do léxico: Lexicologia, Lexicografia, Terminologia. 2 ed. Campo Grande, MS: UFMS, 2001.

CASCUDO, Luís Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 9. ed. São Paulo: Ediouro.

COSERIU, Eugenio. Princípios da semântica estrutural. Madrid: Gredos, 1981. Tradução de M. M. Hernandez.

CUNHA, Antônio Geraldo. Dicionário etimológico Nova Fronteira da Língua Portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996.

FAULSTICH, Enilde. Da linguística histórica à terminologia. Investigações: Linguística e Teoria Literária, Recife, v.7, p. 71-101, 1997.

______________. Proposta metodológica para a elaboração de léxicos, dicionários e glossários. Brasília: 2001. LIV/UnB/ Centro LexTerm, 2001.

FERRAZ, Aderlande Pereira. A inovação lexical e dimensão social da língua. In: SEABRA, Maria Cândida Trindade Costa de. O léxico em estudo. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2006, p. 217-234.

FIORIN, José Luiz; SAVIOLI, Francisco Platão. Temas e figuras: a seleção lexical. In: Para entender o texto: leitura e produção. 15 ed. São Paulo: Ática, 1999, p.93-99.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

LOUREIRO, João de Jesus Paes. Cultura Amazônica: uma poética do imaginário. Belém. Ed. Cejup. 1995.

MOITA, Maria da Conceição. In: Vida de professores. Porto: Porto Editora, 1995.

PIZARRO, Ana. Amazônia: as vozes do rio: imaginário e modernização. Tradução: Romulo Montes Alto. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

SAPIR, Edward. A linguagem: introdução ao estudo da fala. Trad. De J. Mattoso Câmara Júnior. São Paulo: perspectiva, 1980.

SIQUEIRA, Antônio Juraci. O Chapéu do Boto. Belém: Papachibé, 2007b.

__________. O menino que ouvia estrelas e se sonhava canoeiro. 2 ed. Belém: Tempo Editora, 2013.

__________. Piracema de Sonhos. 2 ed. Belém: 2003.

TIBIRIÇA, Luiz Caldas. Dicionário de topônimos brasileiros de origem Tupi. 1 ed. João Pessoa: Traço Editora, 1985.

Downloads

Publicado

26/09/2019

Como Citar

Borges Fernandes, F. C., & Pereira Machado Soares, E. (2019). Vocabulário do escritor Antônio Juraci Siqueira. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(2). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i2.1492

Edição

Seção

Dossiê - Léxico, cultura e identidade