Elites Gaúchas e Formas de Dominação: Disputas da Modernização Agrária

Autores

  • Josué Völz UFRGS
  • Pedro Henrique Silva de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1422

Palavras-chave:

Elites Agrárias Gaúchas, Modernização Conservadora, Pierre Bourdieu, Sistema Agrário nos Pampas, Teoria Decolonial.

Resumo

Levando em conta os entraves sociopolíticos e os processos históricos de transformação vivenciados nos pampas gaúchos, o presente trabalho buscará analisar o período correspondente a “modernização conservadora” de seu sistema agrário. Marcadamente, dois momentos – a Colonização e o pós segunda Guerra Mundial – serão centrais para o estabelecimento de determinadas praticas agrárias e sua valorização no campo do conhecimento local. Entretanto, há enfoque na formação e nas estratégias de reprodução de assimetrias de poder promovidas por um extrato da sociedade, a dizer, as elites locais - de diferentes, porém homólogos, campos de capital. Para tal, será feito uso das ferramentas metodológicas delineadas por Pierre Bourdieu, em diálogo com o arcabouço teórico identificado como Pós-colonial.

Conjuntamente, se argumenta que o pacote técnico aplicado nos sistemas agrários, mais especificamente o que busca promover o “desenvolvimento”, encontra suporte na diferença de valor inerente ao capital cultural importado de metodologias eurocêntricas. O que, por sua vez, encontra suporte na abordagem Decolonial acerca da geopolítica do conhecimento. 

Referências

DAL SOGLIO, Fábio et al. Agricultura e sustentabilidade. Universidade Aberta do Brasil – UAB/UFRGS e Curso de GraduaçãoTecnológica – Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural da SEAD/UFRGS. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

BECHIS, Martha. “Fuerzas indígenas en la política criolla del siglo XIX” in GOLDMAN, Noemi y SALVATORE, Ricardo (comp.). Caudillismos rioplatenses: nuevas miradas a un viejo problema. Buenos Aires: Eudeba, 2005.

BOLDRINI, I. I.; FERREIRA, P. M. A.; ANDRADE, B. O.; SCHNEIDER, A.A.; SETUBAL, R. B.; TREVISAN, R; FREITAS, E.M. Bioma Pampa: diversidade florística e fisionômica. Porto Alegre, editora Pallotti, 2010.

BORSATTO, Ricardo Serra. CARMO, Maristela Simões do. Agroecologia e sua epistemologia. Interciencia, v.37, n.9, p. 711-716, 2012.

BORSATTO, Ricardo Serra; CARMO, Maristela Simões do. A Agroecologia como um campo científico. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 8, n. 2, aug. 2013.

BOURDIEU, P. Homo academicus. Madrid: Siglo XXI, 2008.

BOURDIEU, Pierre. As condições sociais da circulação internacional das idéias. Enfoques, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 4-15, jan. 2002. Disponível em: <http://www.enfoques.ifcs.ufrj.br/ojs/index.php/enfoques/article/view/12>. Acesso em: 31 ago. 2018.

BOURDIEU, Pierre. La Nobleza de Estado. [S.l.: s.n.], 1996. 499 p.

BOURDIEU, Pierre. Questões de Sociologia. Tradução de Jeni Vastsman. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BUARQUE, Sérgio. Raizes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

CARVALHO, José Murilo de. Mandonismo, Coronelismo, Clientelismo: Uma Discussão Conceitual. Dados, Rio de Janeiro , v. 40, n. 2, p. , 1997 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0011-52581997000200003&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 27 nov. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S0011-52581997000200003.

COSTA, Sérgio. Dois Atlânticos: teoria social, anti-racismo, cosmopolitismo, Belo Horizonte: Editora UFMG. 2016.

CRUZ, Rafael Cabra. GUADAGNIN, Demétrio Luiz. Uma pequena história ambiental do Pampa: proposta de uma abordagem baseada na relação entre perturbação e mudança. in Costa B.P., Quoos J.H., Dickel M.A.G. (Eds.), A Sustentabilidade da Região da Campanha-RS: Práticas e Teorias a Respeito das Relações entre Ambiente, Sociedade, Cultura e Políticas Públicas. P. 155–179. UFSM, Santa Maria. 2010.

CURI, Alcides Beretta. La inmigración europea en la formación del tejido empresarial Uruguay en la región (1870-1900). Studi Emigrazione XVIII, Nº 184. 675-695. 2011.

DARWIN, C. The Voyage of the Beagle. Los Angeles: Web Book Publ?., 2010.

DE SAINT MARTIN, Monique. DA REPRODUÇÃO ÀS RECOMPOSIÇÕES DAS ELITES:: AS ELITES ADMINISTRATIVAS, ECONÔMICAS E POLÍTICAS NA FRANÇA. Tomo, Sergipe, v. 13, n. 13, p. 43-74, jan. 2008. Disponível em: <https://seer.ufs.br/index.php/tomo/article/view/467>. Acesso em: 31 ago. 2018.

DUPAS, Gilberto. O mito do progresso: ou progresso como ideologia. São Paulo, UNESP. 2006.

ESCOBAR, Arthuro. La invención del Tercer Mundo: Construcción y deconstrucción del desarrollo. El perro y la rana, 2007.

ESCOBAR, Arturo. América Latina en Movimiento No. 445, ALAI, Quito, junio 2009

FANON, Frantz [1963]. Peles Negras, Máscaras Brancas. New York: Grove Press, 1994.

FLEURY, Lorena Cândido. Multiplos olhares, uma questao: repensando a agricultura e o desenvolvimento. In DAL SOGLIO, Fábio et al. Agricultura e sustentabilidade. UAB e SEAD/UFRGS. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande e senzala. Lisboa: Livros do Brasil, 1957.

FROEHLICH, José Marcos. A novelesca reforma curricular das ciências agrárias e a sustentabilidade: novas demandas, velhos problemas. Revista Brasileira de Agroecologia Rev. Bras. de Agroecologia. 5(2): 3-15. 2010.

FONTOURA, Luiz Fernando Mazzini. A modernização da agricultura e a urbanização incompleta. CaderNAU-Cadernos do Núcleo de Análises Urbanas, v.7, n. 1, 2014.

GONZÁLES, Shirley Rodríguez. PEREIRA,Viviane Camejo, DAL SOLGIO, Fábio Kessler. A Perspectiva Orientada ao Ator em estudos sobre Desenvolvimento Rural.. Perspectivas Rurales. Nueva época, Año 13, N° 25, ISSN: 1409-3251, 2014.

GONZÁLEZ, luis Rodolfo. VARESE, Susana Rodríguez. Guaraníes y Paisanos. Montevídeo: Nuestras Raices 3, 1990.

Jackson, N., & Carter, P. Rethinking Organisatonal Behaviuor A Poststructuralist Framework. Essex, England: Pearson Education Limited. 2007.

KANT, Immanuel An answer to the question: ‘What is Enlightenment?’. (tr.: Mary Gregor). Em: KANT. Practical philosophy. (Org. Mary GREGOR). Cambridge: Cambridge U.P.,1996. [1784].

LEAL, M. G. F. & BRAGA, G. M. Extensão Rural e formação profissional: um estudo preliminar. Cadernos de administração rural. Lavras: ESAL, 5(1-2): 27-38. 1993.

MANDRINI, Raul. ORTELLI, Sara. “Una frontera permeable: Los indígenas pampeanos y el mundo rioplatense en el siglo XVIII” GUTIERREZ, H. NAXARA, R. C. LOPES, M. A. S. (orgs.); Fronteiras: paisagens, personagens, identidades; Franca: UNESP: São Paulo: Olho d’água, 2003.

MEGA, L. A. Mudanças causadas pelo programa de transferência direta de renda, bolsa família, aos beneficiários de Santa Vitória do Palmar - RS. Dissertação de Mestrado apresentada ao Curso de Serviço Social da Universidade Católica de Pelotas. UCPEL, Pelotas, 2008.

MIGNOLO, Walter D. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina.Em: Lander, E. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas.Buenos Aires, CLACSO. 2005.

MIGNOLO, Walter. “Geopolítica del conocimiento y diferencia colonial” Traducción del articulo Geopolitics of knowledge and colonial difference (The South Atlantic Quarterly 101 (2): 57-96, 2002) Neves. 2ªed. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1986.

NUNES, R. B. . Charruas e Guarani-missioneiros no Uruguai e no sul do Brasil: a etnicidade enquanto experiência. In: 29ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2014, Natal - RN. Anais da 29ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2014.

PACÍFICO, Daniela A. História da modernizacao da agricultura:umnconto de muitas facetas. In DAL SOGLIO, Fábio et al. Agricultura e sustentabilidade. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

PEREIRA, Amilcar Araujo (Org). Educação das relações étnico-raciais no Brasil: trabalhando com histórias e culturas africanas e afro-brasileiras nas salas de aula. Brasília : Fundação Vale, 2014.

PFRIMER, Matheus Hoffmann. BARBOSA JUNIOR, Ricardo César. Neo-Agro-Colonialism, Control over Life, and Imposed Spatio-Temporalities. Contexto Internacional vol. 39(1) Jan/Apr 2017

PICCIN, M. B. Os Senhores da Terra e da Guerra do Rio Grande do Sul: um estudo sobre as estratégias de reprodução social do patronato rural estancieiro. Tese de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Campinas, SP. 2012.

PILLAR, V.D. Dinâmica da Expansão Florestal em Mosaicos de Floresta e Campos no Sul do Brasil. In: Claudino-Sales, V. (org.) Ecossistemas Brasileiros: Manejo e Conservação. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, p.209-216. 2003.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires. CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales. 2005.

RADOMSKY, Guilherme Francisco Waterloo. Desenvolvimento, pós-estruturalismo e pós-desenvolvimento: a crítica da modernidade e a emergência de “modernidades” alternativas. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais. vol.26.no.74. São Paulo, fev. 2011.

RODRIGUES, José Honório. Brasil e África: outro horizonte; relações e política brasileiro-africana. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 1961.

SAID, Edward [1978]. Orientalismo: O Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SANTEIRO, T. V. Criatividade em psicanálise: produção científica internacional (1996-1998). Psicologia: Teoria e Prática, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 43-59, jul./dez. 2000. (Artigo em Periódico Físico)

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. (Orgs.) Epistemologias do Sul. São. Paulo; Editora Cortez. 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula; NUNES, João Arriscado. Introdução: para ampliar o cânone da ciência: a diversidade epistemológica do mundo, in B. S. Santos (org.), Semear outras soluções. Porto. Afrontamento, 23-101.2004

SETH, Sanjay. Post-colonial Theory and International Relations: A critical introduction. Routledge 2013.

SEYFERTH, Giralda. Colonização, imigração e a questão racial no Brasil. Revista USP, São Paulo, n.53, p. 117-149, março/maio. 2002.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso: da escravidão à Lava Jato. Leya: Rio de Janeiro. 2017.

TORRES, Nelson Maldonado. A topologia do Ser e a geopolítica do conhecimento: Modernidade, império e colonialidade. Revista Crítica de Ciências Sociais, [S.l.], n. 80, p. 71-114, jan. 2008. Disponível em: <https://journals.openedition.org/rccs/695>. Acesso em: 31 ago. 2018.

WALDRAM, M.S.; BOND, W.J.; STOCK, W.D. Ecological Engineering by a Mega-Grazer: White Rhino Impacts on a South African Savanna. Ecosystems, v.11, n.1. p.101-112. 2007.

WEBER, David J. “Borbones y bárbaros. Centro y periferia en la reformulación de la política de España hacia los indígenas no sometidos” . Anuario IEHS; Tandil, nº 13, 1998.

WEDIG, Josiane Carine. Reflexoes socioculturais acerca do mundo rural. in DAL SOGLIO, Fábio et al. Agricultura e sustentabilidade. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Völz, J., & Silva de Oliveira, P. H. (2019). Elites Gaúchas e Formas de Dominação: Disputas da Modernização Agrária. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1422

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar