"Tão nova e com os peitinhos caídos": analisando o governo dos corpos femininos no Instagram

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1307

Palavras-chave:

Espaços Virtuais, Estudos Culturais, Governo dos corpos femininos

Resumo

O presente artigo consiste na análise da rede de enunciações que se produziu a partir de uma foto postada pela atriz brasileira Bruna Marquezine no site da rede social Instagram, referente à sua participação no bloco de carnaval “A Favorita”, no Rio de Janeiro. Entendemos que, na atualidade, os sites de redes sociais se constituíram em um potente espaço de diálogo e também de propagação de discursos tidos como “verdadeiros” acerca dos mais diversos temas, dentre eles os corpos. Na foto em questão, a mesma usava short e sutiã de pedrarias que cobria parcialmente os seios, motivo pelo qual recebeu inúmeras críticas de seguidores de seu perfil, assim como tantos outros comentários de apoio à exibição do corpo natural. A postagem foi realizada em fevereiro de 2018, e tem mais de 2 milhões de curtidas e 100 mil comentários. A partir dessa repercussão, acreditamos ser importante a discussão acerca do governo dos corpos femininos, amplamente difundido na sociedade contemporânea, especialmente nos espaços virtuais. Para análise, utilizamos os pressupostos dos Estudos Culturais.

Biografia do Autor

Débora Cristina Dias Pinto, Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Programa de Pós-Graduação em Ciências: Química da Vida e Saúde

Taina Guerra Chimieski, Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde

Raquel Pereira Quadrado, Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Instituto de Educação

Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde

Programa de Pós-Graduação em Educação

Referências

BARBOZA, Heloisa Helena. A docilização do corpo feminino. In: SILVA, Daniele Andrade da, et al. (Orgs.). Feminilidades: corpos e sexualidades em debate. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013, p. 351-362.

BUSIN, Valéria Melki. Religião, sexualidade e gênero. Revista de Estudos da Religião - Rever, v. 11, n. 1, jan-jun/2011, p. 105-124. ISSN 1677-1222. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/rever/article/view/6032. Acesso em: 08 jan. 2019.

COLLING, Ana Maria. Tempos diferentes, discursos iguais: a construção do corpo feminino na história. Dourados: Ed. UFGD, 2014.

COSTA, Marisa Vorraber. Ensinando a dividir o mundo: as perversas lições de um programa de televisão. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 20, p. 71-82, maio-agosto/2002. ISSN 1413-2478. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782002000200006. Acesso em: 09 nov. 2018.

COUTO, Edvaldo S. Corpos interditados: notas sobre anatomias depreciadas. In: STREY, Marlene Neves; CABEDA, Sonia T. Lisboa (Org.). Corpos e subjetividades em exercício interdisciplinar. Porto Alegre: EDUPUCRS, 2004, p. 133-148.

______. Corpos voláteis, corpos perfeitos: estudos sobre estéticas, pedagogias e políticas do pós-humano. Salvador: Edufba, 2012.

DREYFUS, H. L; RABINOW, P. Michel Foucault: Uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Tradução: Vera Porto Carrero. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade: curso no Collége de France (1975-1976). Tradução: Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

______. Poder e saber. In: Manoel Barros da Motta (Org.). Ditos e escritos IV: Estratégia, poder-saber. Tradução: Vera Lucia Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003, p. 223-240.

______. Microfísica do poder. 28. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

______. Do governo dos vivos: curso no Collége de France, 1979-1980: excertos. Rio de Janeiro: Achiamé, 2009.

______. Vigiar e punir: História da violência nas prisões. 41.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

______. Arqueologia do saber. 8.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

GOELLNER, Silvana. A produção cultural do Corpo. In: LOURO, Guacira L., et al. Corpo, gênero e sexualidade um debate contemporâneo na educação. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2013, p. 30-42.

LIPOVETSKY, Gilles. A terceira mulher. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

LOURO, Guacira L. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

______. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. 2. ed. - Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

MARQUEZINE, Bruna. “Carnaval: fui toda de @rosacha pro bloco da Favorita hoje!!!”. 10 fev. 2018. Post do Instagram. Disponível em: https://www.instagram.com/p/BfB0EUxli _z/?hl=pt-br. Acesso em: 15 out. 2018.

PAIVA, Luciana L. Corpos amputados e protetizados: “naturalizando” novas formas de habitar o corpo na contemporaneidade. In: COUTO, Edvaldo S.; GOELLNER, Silvana V. (Org.). Corpos Mutantes: ensaios sobre novas (d)eficiências corporais. 2. ed. – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009, p. 143-164.

SILVA, Fabiane F. da; RIBEIRO, Paula R. C. O governo dos corpos femininos entre as catadoras de lixo: (re)pensando algumas implicações da educação em saúde. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 557-580, maio-agosto/2008. ISSN 0104-026X. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2008000200013. Acesso em: 07 nov. 2018.

SANTOS, Luís Henrique Sacchi. Biopolíticas de HIV/AIDS no Brasil: uma análise dos anúncios televisivos das campanhas oficiais de prevenção (1986-2000). Porto Alegre: PPG em Educação FACED/UFRGS. Tese de Doutorado, 2002.

SOUZA, Márcia Rebeca R., et al. Droga de corpo! Imagens e representações do corpo feminino em revistas brasileiras. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 62-69, junho/2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s1983-14472013000200008. Acesso em 12 jan. 2019.

TUCHERMAN, Ieda. Corpo, fragmentos e ligações: a micro-história de alguns órgãos e de certas promessas. In: COUTO, Edvaldo S.; GOELLNER, Silvana V. (Orgs.). Corpos Mutantes: ensaios sobre novas (d)eficiências corporais. 2. ed. – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009, p. 13-28.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Pinto, D. C. D., Chimieski, T. G., & Quadrado, R. P. (2019). "Tão nova e com os peitinhos caídos": analisando o governo dos corpos femininos no Instagram. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1307

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)