Práticas Multidisciplinares: Atividades Lúdicas e Tecnologia Digital aliada ao estudo de Artes e Geometria

Autores

  • Raquel Silveira da Silva Universidade Federal do Rio Grande-FURG http://orcid.org/0000-0003-3017-1401
  • Vanda Leci Bueno Gautério Universidade Federal do Rio Grande-FURG

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1253

Palavras-chave:

Ensino de Geometria, Geogebra, Material Concreto, Práticas Multidisciplinares, Projeto de Ensino.

Resumo

A Geometria, tem se apresentado como uma ferramenta importante para a compreensão dos conceitos desenvolvidos nas aulas de Matemática e quando aliada ao uso pedagógico dos materiais concretos e das tecnologias digitais tem potencializado a interação, visualização e compreensão dos conceitos em estudo. Este trabalho de caráter multidisciplinar, tem como objetivo trazer uma análise quantitativa a partir dos pressupostos teóricos de D’Ambrósio (1996), Lorenzato (2012), Prensky (2001) e Mendes (2009) para discutirmos, refletirmos e ressignificarmos os conceitos geométricos de prática pedagógica multidisciplinar desenvolvida por professores da rede pública da cidade de Rio Grande/RS, que trabalharam com Ensino por Projetos com o intuito de explorar conceitos geométricos como: ponto, reta, plano, vértices, diagonais e classificação dos ângulos, além de simetria e isometria, oportunizando o desenvolvimento da criatividade, percepção espacial e visual, capacidade de abstração e imaginação. Assim, fizeram a articulação do ensino de Matemática aos saberes de Artes realizando a construção do Tangram com dobradura, o estudo das obras Maurits Cornelis Escher, e ainda exploraram o software Geogebra. A experiência mostrou que quando os estudantes são desafiados a operar com os conceitos, os compreendem mais facilmente e as atividades lúdicas desenvolvem a autonomia, a criticidade, a cooperação e colaboração, levam os estudantes a estabelecer relações entre o que já sabem e o que desejam conhecer.

 

Biografia do Autor

Raquel Silveira da Silva, Universidade Federal do Rio Grande-FURG

Mestre em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande-FURG. Especialista em Tecnologias da Informação e Comunicação na Educação-FURG. Graduada em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande-FURG

Vanda Leci Bueno Gautério, Universidade Federal do Rio Grande-FURG

Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde da Universidade Federal do Rio Grande- FURG. Professora na Prefeitura Municipal do Rio Grande e atua no Laboratório de Educação Matemática e Física (LEMAFI), na Universidade Federal do Rio Grande- FURG.

Referências

AUSUBEL, D. P. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982.

BENEDITO E; TIAGO J. Um olhar evolucionista para a arte de M. C. Escher.Ciênc. cogn. Rio de Janeiro, v. 17, n.2,p. 63-75,set. 2012 . Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.phpscript=sci_arttext&pid=S180658212012000200007&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 07 jan. 2019.

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CRUZ, D. G. da; A utilização de Ambiente Dinâmico e Interativo na construção do conhecimento produzido. 169 p. Tese ( Mestrado em Educação Matemática) – Setor de Ciência Humanas e Sociais, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

D’AMBROSIO, U. Educação Matemática: Da teoria a prática. – Campinas, SP: Papirus, 1996.

DORIN, L. Psicologia do Desenvolvimento. 4 ed. São Paulo: Brasil, 1982.

FAZENDA, I C. A. (org). O que é interdisciplinaridade? - 2 ed. São Paulo: Cortez, 2013.

JACINTO, H; C, S. Diferentes Modos de Utilização do GeoGebra na Resolução de Problemas de Matemática para Além da Sala de Aula: evidências de fluência tecno-matemática.Bolema, Rio Claro, v. 31,n. 57,p. 266-288, Apr. 2017. Available from <http://www.scielo.br/scielo.phpscript=sci_arttext&pid=S0103636X2017000100015&lng=en&nrm=iso>. Access on 07 Jan.2019. http://dx.doi.org/10.1590/1980-4415v31n57a13.

LORENZATO, S. O Laboratório de ensino de Matemática na formação de professores. -3. Ed. – Campinas, SP. Autores Associados, 2012.

MATURANA. H. A Ontologia da Realidade. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2002.

MENDES, I. A. Matemática e investigação em sala de aula. Tecendo redes cognitivas na aprendizagem. São Paulo: Livraria da Física, 2009.

MORAN, J. M. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Ed. Papirus, 12 ed. 2006.

NOGUEIRA, M. O. G.; LEAL, D. Teorias da aprendizagem: um encontro entre os pensamentos filosófico, pedagógico e psicológico. Curitiba: Intersaberes, 2015.

PRENSKY, M. Digital natives, Digital Immigrants. On the Horizon. Vol. 9, Nº.5, 2001.

PORTES, K. A. C. A organização do currículo por projetos de trabalho. Artigo publicado em: http://www.ufjf.br/virtu/files/2010/04/artigo-2a3.pdf Acesso em 05 jan. 2019

ROGENSKI, M.L.C; PEDROSO, S.M.D. O ensino da Geometria na educação básica: realidade e possibilidades, 2014. Disponível em <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/44-4.pdf>. Acesso em 21 set 2018.

SOLDERA, L. A contextualização no ensino da matemática: um olhar a partir do entendimento de professores de matemática. Trabalho de Sistematização do Curso em Matemática – Licenciatura UNIJUÍ. Ijuí, RS, 2013.

SPINELLI, W. A construção do conhecimento entre o abstrair e o contextualizar: o caso do ensino da Matemática. 2011. 138 p. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

da Silva, R. S., & Bueno Gautério, V. L. (2019). Práticas Multidisciplinares: Atividades Lúdicas e Tecnologia Digital aliada ao estudo de Artes e Geometria. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1253

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar