A Fragilidade do Capital Social como Fator Prejudicial ao Desenvolvimento do Turismo na Quarta Colônia - RS

Autores

  • Adriana Pisoni da Silva Universidade Federal do Pampa
  • José Marcos Froehlich Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1178

Palavras-chave:

Desenvolvimento Territorial, Turismo, Capital Social, Confiança.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo apresentar reflexões sobre os obstáculos que tem dificultado a consolidação do turismo na Quarta Colônia, território na região central do Rio Grande do Sul, Brasil. O pressuposto que guiou a investigação baseia-se em que estes obstáculos estão em boa medida relacionados à debilidade do capital social no território. O embasamento teórico atendeu principalmente às noções de: a) Desenvolvimento Territorial, b) Capital Social e c) Turismo. Para a análise da constituição do capital social buscou-se evidenciar a recorrência  das categorias teóricas operacionais: Relações de Confiança, Cooperação e Ação Coletiva. A opção metodológica foi a pesquisa qualitativa, com lócus empírico no território de Santa Maria – Quarta Colônia, tendo como recorte o período temporal a partir do ano de 1995. A pesquisa de campo, contemplando as etapas de observações e aplicação de entrevistas semiestruturadas com os atores locais, foi realizada no período de 2013 a 2014. Em termos de resultados, inferiu-se que são frágeis as relações entre os atores, quase inexistentes as ações coletivas no âmbito do turismo, apresentando relatos individualistas e de competição entre eles, o que tem tornado débil o capital social no território. Conclui-se que a fragilidade do capital social é um dos principais fatores que dificultam a superação dos obstáculos para maior consolidação do turismo e de suas repercussões no desenvolvimento do território.

Biografia do Autor

Adriana Pisoni da Silva, Universidade Federal do Pampa

Doutora em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Mestra em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Bacharel em Turismo pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/RS). Professora do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA).

José Marcos Froehlich, Universidade Federal de Santa Maria

Pós-Doutor em Antropologia Social pela Universidad de Sevilla (Espanha); Doutor em Ciências Sociais pela UFRRJ; Mestre em Sociologia pela UFRGS e Graduação em Agronomia pela UFSM. Professor no Departamento e nos PPGs em Extensão Rural e em Ciências Sociais da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Referências

ABRAMOVAY, R. O Futuro das regiões rurais. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003.

ABRAMOVAY, R. Ruralidade e desenvolvimento territorial. Gazeta Mercantil, São Paulo, p. A-3, 15 abr. 2001.

ABU-EL-HAJ, J. O debate em torno do capital social: uma revisão crítica. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais – BIB, Rio de Janeiro, n. 47, p. 65-79, 1 sem. 1999.

ANÉSE, R. L. R. Arranjos produtivos locais e capital social no vale do Jaguari/RS. (Tese). Programa de Pós-Graduação em Economia da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2009.

BENI, M. C. Política e planejamento de turismo no Brasil. São Paulo: Aleph. 2006.

BOURDIEU, P. The forms of capital. In: RICHARDSON, J. (ed) Handbook of theory and research for the sociology of education. New York: Greenwood Press. 1985.

COLEMAN, J. S. Foundations of social theory. Cambridge MA: Haverd University Press. 1990.

CRUZ, R. de C. Política de turismo e território. São Paulo: Contexto. 2000.

FAVARETO, A. da S. Paradigmas do desenvolvimento rural em questão – do agrário ao territorial. Tese. Doutorado em Ciência Ambiental. FEA/USP. São Paulo. 2006.

FROEHLICH, J. M. Rural e Natureza – a construção social do rural contemporâneo na região central do Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade). Rio de Janeiro: CPDA/UFRRJ, 2002.

FUKUYAMA, F. Confiança: as virtudes sociais e a criação da prosperidade. Tradução de Alberto Lopes. Rio de Janeiro: Rocco. 1996.

HAESBAERT, R. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. 2ª edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

IDESTUR. Instituto de Desenvolvimento do Turismo. Conceitos Gerais de Turismo Rural. São Paulo. Disponível em: http://www.idestur.org.br/download/a_CONCEITO_GERAL_TURISMO_RURAL.pdf. Acesso em 17 de dezembro de 2014.

MINAYO, M. C. O desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. (Org). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes. 1994.

MUELLER, A. A. Criação de novos municípios, capital social e desenvolvimento. (dissertação). Mestrado em Desenvolvimento Regional. Santa Cruz do Sul/RS, UNISC, 2007.

PUTNAM, R. D. Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. 2ª Ed. Rio de Janeiro: FGV. 2000.

SANTOS, M. Território e sociedade: entrevista com Milton Santos. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2000.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Altas, 1987.

WORDL BANK. Measuring social capital: an integrated questionnaire. Christiaan Grootaert ... [et al.]. p. cm. -- (World Bank Working Paper; no. 18), 2004. Disponível em:

https://openknowledge.worldbank.org/bitstream/handle/10986/15033/281100PAPER0Measuring0social0capital.pdf?sequence=1. Acesso em 22 de outubro de 2014.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

da Silva, A. P., & Froehlich, J. M. (2019). A Fragilidade do Capital Social como Fator Prejudicial ao Desenvolvimento do Turismo na Quarta Colônia - RS. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1178

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar