Educação ambiental e o esverdeamento discursivo na contemporaneidade

Autores

  • Isabel ribeiro marques
  • Paula Correa Henning

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1171

Palavras-chave:

discursos, educação ambiental, esverdeante, verde.

Resumo

O presente resumo provém de inquietações que habitam uma tese de doutorado em andamento, em que se problematiza a, grande, aderência do verde a temas ambientais. Os discursos atrelados ao ambiente são constantemente pulverizados e enunciados a partir de diferentes espaços: revistas, jornais, embalagens de produtos e, muitas vezes podemos presenciar o incentivo ao consumo muito reforçado pelo subterfúgio verde: Consuma consciente! Pense verde! Produto amigo da natureza! Origem sustentável! Busca-se através da problematização de imagens provenientes da mídia e, sob aporte teórico de alguns autores da filosofia da diferença, instigar que se possa pensar sobre tantos discursos verdes, tantos ideais de verdade atribuídos as preocupações ambientais e suspeitar: Será mesmo que enquanto fizermos a nossa parte, sendo “ecologicamente corretos”, consumindo produtos que usam as questões ambientais em suas embalagens e etiquetas, ou então, agindo conforme os meios de comunicação orientam, ficará tudo bem?  Quanto do que julgamos ser opinião própria, ou conclusões obtidas através de nossos olhares, não são formações discursivas que vem sendo constantemente introjetadas em nossos modos de vida? Nesse sentido a escrita deseja problematizar discursos ambientais, campeando meios de vislumbrar essa área tão importante através de outros vieses.

Referências

BECK, D.; HENNING, P. E VIEIRA, V. Consumo e Cultura: modos de ser e viver a contemporaneidade. Educação, Sociedade e Culturas. N. 42, 2014, p.87-109. Disponível em Acesso em 30 março 2017.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Rio de Janeiro: Ed 34, 2010.

_______. Foucault. São Paulo: Editora brasiliense, 2005.

_______. Nietzsche e a Filosofia. Rio de Janeiro: Editora Rio – RJ. 1976.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. vol. 1 São Paulo. Editora 34. 2007.

_______. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. vol. 2 São Paulo. Editora 34. 1997.

FISCHER, Rosa. B. O Estatuto Pedagógico da Mídia: Questões de análise. Revista Educação e Realidade. 22(2): 59:80 Jul/Dez.1997.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, 7ª ed. 2008.

_______. Ditos e escritos IV – Estratégia, Poder-Saber. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

GARRE, Barbara Hees. O Dispositivo da Educação Ambiental: Modos de Constituir-se Sujeito na Revista Veja. Tese de doutorado Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Programa de Pós Graduação em Educação Ambiental 2015.

GARRE, Barbara; HENNING, Paula. Visibilidades e Enunciabilidades do Dispositivo da Educação Ambiental: A Revista Veja em Exame. ALEXANDRIA Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.8, n.2, p.53-74, junho 2015 ISSN 1982-5153.

GOMES, Mayra Rodrigues. Poder no jornalismo. São Paulo: Edusp, 2003.

GUIMARÃES, Leandro; ZANCO, Janice, NIGRA, Gabriele Salgado e MELO, Sara. Tecendo educação ambiental e estudos culturais. Revista Pesquisa em Educação Ambiental. vol. 5, n. 2 – pp. 73-82, 2010.

HENNING, Paula Corrêa; RATO, Cleber Gibbon,; HENNING, Clarissa Côrrea; GARRÉ, Bárbara Hees. Educação Ambiental e Discurso: estratégias biopolíticas e produção de verdades. Educação em foco, Juiz de Fora, v. 19 n. 1, p. 221-242 mar. 2014 / jun. 2014.

HENNING, Paula Corrêa; VIEIRA, Virginia Tavares; HENNING, Clarissa Corrêa; SCHLEE, Renata Lobato. Mobilizar o medo para disciplinar as práticas: uma análise dos modos de persuasão das campanhas ambientais. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental E - ISSN 1517-1256, V. Especial, jan/jun 2015.

MARQUES, Isabel. R., TEIXEIRA, Juliana. C., DIAS, Raquel. S.R. É possível resistir? Experimentações com Michel Foucault e Felix Guattari. In: HENNING. P; VIEIRA, V., MUTZ, A. Educações Ambientais Possíveis: Ecos de Michel Foucault para pensar a Educação Ambiental. Curitiba/PR: Editora Apris. 2018 São Paulo: Atheneu, 2000. p. 213-226.

NIETZCHE Friedrich. Sobre Verdade e Mentira no sentido extra-moral. 2008. Disponível em <http://imediata.org/asav/nietzsche_verdade_mentira.pdf.> Acessado em maio de 2018.

PINHO, Sergio, MAGALHAES, Camila, DUARTE, Claudia. Discursos de Natureza: Problematizações no campo da Educação Ambiental. In: HENNING. P; VIEIRA, V., MUTZ, A. Educações Ambientais Possíveis: Ecos de Michel Foucault para pensar a Educação Ambiental. Curitiba/PR: Editora Apris. 2018 São Paulo: Atheneu, 2000. p. 213-226.

SAMPAIO, Shaula Maíra Vicentini de; GUIMARÃES, Leandro Belinaso. O dispositivo da sustentabilidade: pedagogias no contemporâneo. Perspectiva, Florianópolis, v. 30, n. 2, p. 395-409, out. 2012. ISSN 2175-795X. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2012v30n2p395>. Acesso em: 09 abr. 2018.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

marques, I. ribeiro, & Henning, P. C. (2019). Educação ambiental e o esverdeamento discursivo na contemporaneidade. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1171

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar