RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS E ATIVIDADES NÃO-LINEARES: PRÁTICAS CONTEXTUALIZADAS BASEADAS NA FRONTEIRA JAGUARÃO/RIO BRANCO

Autores

  • Renan Cardozo Gomes da Silva Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1149

Palavras-chave:

REA, ELO, Ensino de Espanhol, TDIC, Fronteira.

Resumo

Os Recursos Educacionais Abertos (REA) são materiais que estimulam o processo de ensino e de aprendizagem dos alunos e, geralmente, são encontrados em plataformas de domínio público (COSTA et al., 2016). Uma das plataformas que hospeda e possibilita a produção desses recursos se intitula Ensino de Línguas Online (ELO) e se destina ao ensino e aprendizagem de línguas. Este trabalho, financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), objetiva discorrer sobre um curso de espanhol produzido na plataforma ELO, visando como público-alvo estudantes dos anos finais do ensino médio ou dos anos inciais de cursos de graduação que tenham como ênfase o ensino e aprendizagem de língua espanhola. A metodologia adotada, de cunho qualitativo, se ancorada em uma sequência de atividades destinada à produção de materiais didáticos intitulada Ciclo Recursivo (LEFFA, 2007) que se divide em 4 etapas: (1) Análise, (2) Desenvolvimento, (3) Implementação e (4) Avaliação. O curso produzido visa uma aprendizagem contextualizada, tendo como foco as regiões de fronteira, sobretudo a fronteira entre Jaguarão e Rio Branco, articulando o processo de ensino e de aprendizagem de língua espanhola e as Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC). Por fim, o curso, além de discutir sobre cultura e identidade, insere os alunos no campo das TDIC e da EaD, promovendo uma forma não-linear de aprender em rede.

Biografia do Autor

Renan Cardozo Gomes da Silva, Universidade Federal de Pelotas

Mestrando em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Pelotas, acadêmico do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade Federal do Pampa, especialista em Tecnologias da Informação Aplicadas à Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (2017) e graduado no Curso de Licenciatura em Letras Português/Espanhol e Respectivas Literaturas pela Universidade Federal do Pampa (2015). Entre os anos de 2017 e início de 2018, atuou como professor tutor do Curso de Letras Espanhol e Respectivas Literaturas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM-UAB). Atualmente, dedica-se aos estudos sobre currículo à luz dos estudos culturais, com ênfase nas regiões de fronteira. No campo das Letras, tem experiência em ensino de línguas, educação a distância e tecnologias digitais da informação e da comunicação voltadas ao ensino.

Referências

COSTA, R. A. et al. Contribuindo com o Estado da Arte Sobre Recursos Educacionais Abertos para o Ensino e a Aprendizagem de Línguas no Brasil. Veredas Online, v. 20, n, 1, p. 1-20, 2016.

BRASIL. Recursos Educacionais Abertos. Disponível em: < http://www.rea.net.br/site/>. Acesso em: 05 mar. 2017.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Proto Editora, 1994.

CANTO. C. G. S. O Desenvolvimento e a Implementação de uma Webquest Interativa e Adaptativa Destinada ao Ensino de Línguas. Tese (Doutorado) – Universidade Católica de Pelotas, 2014.

LEFFA, V. J. Uma ferramenta de autoria para o professor: o que é e o que faz. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 41, n. 144, p. 189-214, 2006.

______. Como produzir materiais para o ensino de línguas. In: LEFFA, Vilson J. (Org.). Produção de materiais de ensino: teoria e prática. 2 ed. Pelotas: EDUCAT, 2007, p. 15-41.

______. Gamificação adaptativa para o ensino de línguas. In: Congresso Ibero-Americano de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação. Buenos Aires. Anais, 2014, p. 1-12.

______. Uma Outra Aprendizagem é Possível: colaboração em massa, recursos educacionais abertos e ensino de línguas. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/tla/v55n2/0103-1813-tla-55-02-00353.pdf>. Acesso em: 02 abr. 2017.

MANZANERA, C. C. Diez ideas para aplicar el cine en el aula. Disponível em: < http://cvc.cervantes.es/ensenanza/biblioteca_ele/publicaciones_centros/pdf/manila_2009/16_aplicaciones_03.pdf>. Acesso em: 20 abril 2016.

OKADA, A. Recursos Educacionais Abertos & Redes Sociais. São Luís: EDUEMA, 2014.

SANTOS; A. I. dos. Recursos Educacionais Abertos no Brasil: o estado da arte, desafios e perspectivas para o desenvolvimento e inovação. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2013.

SÃO PAULO. Governo Estadual de São Paulo. Assembleia Legislativa. Projeto de Lei Estadual nº 989 de 14 de outubro de 2011. Institui política de disponibilização de Recursos Educacionais comprados ou desenvolvidos por subvenção da Administração Direta e Indireta Estadual. Diário Oficial do Estado de São Paulo. São Paulo, 2011.

XAVIER, A. C. Letramento Digital e Ensino. Disponível em:< http://www.ufpe.br/nehte/artigos/Letramento%20digital%20e%20ensino.pdf>. Acesso em 20 mai 2017.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Gomes da Silva, R. C. (2019). RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS E ATIVIDADES NÃO-LINEARES: PRÁTICAS CONTEXTUALIZADAS BASEADAS NA FRONTEIRA JAGUARÃO/RIO BRANCO. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1149

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar