A Milonga e o Pampa: atravessamentos culturais entre Brasil, Argentina e Uruguai

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1123

Palavras-chave:

Milonga, Dança, Pampa, Cultura

Resumo

Este artigo foi idealizado a partir de um seminário realizado na disciplina de Laboratório de Danças Folclóricas do Curso de Dança – Licenciatura da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Este estudo propõe problematizar a Milonga dentro de uma perspectiva histórica e seus desdobramentos na cultura pampeana, mais especificamente nos contextos sul-rio-grandense (Brasil), uruguaio e argentino. Para essa pesquisa foi realizado um levantamento inicial em Plataformas Digitais com o objetivo de obter trabalhos que debatessem a temática proposta. Foi observada uma carência de estudos que abordassem a Milonga, principalmente sob a perspectiva da dança. No âmbito dos materiais encontrados, foi possível perceber a significativa influência do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) para a disseminação desta poética pelo Rio Grande do Sul. Por fim, é importante ressaltar a valiosa experiência proporcionada pelo seminário realizado na disciplina de Laboratório de Danças Folclóricas, pois o mesmo possibilitou o estudo de um tema relevante para a discussão de temáticas como cultura, identidade e folclore atentando, neste caso, para as possibilidades poéticas fronteiriças e os atravessamentos culturais na Região do Pampa.

Biografia do Autor

Bruno Blois Nunes, Universidade Federal de Pelotas

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Federal de Pelotas (2006), mestrado em História pela UFPel (2015) e especialização em Linguagens Verbo-visuais e Tecnologias pelo Instituto Federal Sul-Rio-grandense (IFSul) (2017). É doutorando em Educação pela UFPel e participa do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Imaginário, Educação e Memória (GEPIEM) e Grupo de Pesquisa Observatório de Memória, Educação, Gesto e Arte (OMEGA) ambos da UFPel. Realizou Curso de Formação de Professores na Escola de Dança - Centro Cultural Jaime Arôxa (2013). É professor de dança de salão no Espaço de Terapias Corporais Claudia Weingärtner (Pelotas/RS).

Thiago Silva de Amorim Jesus, Universidade Federal de Pelotas

Professor Adjunto do Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas-UFPel/RS no Curso de Dança - Licenciatura e no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais - PPGAV. Doutor em Ciências da Linguagem pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da UNISUL - Universidade do Sul de Santa Catarina, com a tese "Corpo, ritual, Pelotas e o carnaval: uma análise dos desfiles de rua entre 2008 e 2013". Mestre pelo mesmo Programa, com pesquisa sobre a Linguagem do Corpo no Carnaval do Sul do Brasil (Bolsista CAPES-PROSUP). Pesquisador com formação de Licenciatura Plena em Dança e Especialização em Interdisciplinaridade e Linguagens, ambos pela Universidade de Cruz Alta-RS. É Coordenador do Núcleo de Folclore da UFPel ? NUFOLK e do Projeto de Ensino LIFE-LAPIS-Dança. Líder do Grupo de Pesquisa OMEGA ? Observatório de Memória, Educação, Gesto e Arte (UFPel/CNPq) e pesquisador no Grupo Dança e Educação (UFPel). Também é Professor do Curso de Especialização Lato Sensu em Artes na mesma universidade. Diretor da ANDA - Associação Nacional dos Pesquisadores em Dança (gestão 2018-2020). Artista Popular e fundador da Abambaé Companhia de Danças Brasileiras. Curador Artístico e Coordenador de Relações Internacionais do Encuentro Internacional de Folklore y Arte Popular América Unida (Uruguay). Diretor da Comissão de Frente do Grêmio Recreativo Escola de Samba Império da Baixada (Pelotas/RS). Revisor dos Periódicos Revista Subjetividades (UNIFOR), das Revistas CENA e Revista Brasileira de Estudos da Presença (UFRGS) e Associate Editor da Mabini Review - Multidisciplinary Journal, publicado pela Polytechnic University of the Philippines. Membro filiado da Organização Internacional de Folclore e Artes Populares (IOV). Possui experiência na área de Artes, com ênfase em Dança, Artes Populares e Folclore e atualmente investiga os seguintes temas: corpo, dança, cultura e carnaval, folclore de margem e poéticas populares na contemporaneidade.

Referências

ABOTT, Milena de Oliveira. Payador, Pampa e Guitarra: tempo, espaço e ecos de uma cultura. 2015. 118f. Dissertação (Mestrado em Letras), Faculdade de Letras, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2015. Disponível em: <http://repositorio.ufpel.edu.br/bitstream/ri/2737/5/Payador%2c%20pampa%20e%20guitarra.pdf>. Acesso em: 07 mai. 2018.

ALVARES, Felipe Batistella. Milonga, chamamé, chimarrita e vaneira: origens, inserção no Rio Grande do Sul e os princípios de execução ao contrabaixo. 2007. 35p. Monografia (Licenciatura em Música), Faculdade de Música, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2007. Disponível em: <http://docplayer.com.br/26568264-Milonga-chamame-chimarrita-e-vaneira-origens-insercao-no-rio-grande-do-sul-e-os-principios-de-execucao-ao-contrabaixo.html>. Acesso em: 13 out. 2018.

AYESTARÁN, Lauro. El folklore musical uruguayo. Montevideo: Arca, 1967.

CARRARO, Ghadyego; MACHADO, Jeremias. Entre acordes e versos: da identidade fronteiriça aos aspectos históricos e estruturais da milonga. RIHGRGS, Porto Alegre, n.154, p.77-88, jul. 2018. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/revistaihgrgs/article/view/79588/49035>. Acesso em: 03 nov. 2018.

CHASTEEN, John Charles. National Rhythms, African Roots: the deep history of Latin American Popular Dance. Albuquerque: University of New Mexico, 2004.

DANÇAS gaúchas de salão. Instrutor: José Roberto Bertol. Financiamento: Fundo ProCultura – Prefeitura de Caxias do Sul. Realização: Absoluta. Apoio Técnico: MTG Rio Grande do Sul. Caxias do Sul: ACIT, 2010, 1 DVD (127 min), son., col.

GOBELLO, José. Breve história crítica del Tango. Buenos Aires: Corregidor, 1999.

HATCHUEL, Françoise. El tango argentino, entre escenografía pública y sentido interior. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CORPUS, 3, 2010, Lima. Anais... Lima, 2012. p. 67-74. Disponível em: <http://www.uca.edu.sv/facultad/clases/chn/m100136/documentos/Version-digital-Libro-Corpus-opc-23-de-agosto-1(2).pdf>. Acesso em: 04 nov. 2018.

MEDEIROS, Daniel Ribeiro; SILVA, Danilo Kuhn da. Ares de milonga: apontamentos sobre elementos característicos como bases para performance. DAPesquisa, Florianópolis, v.9, n.11, p. 144-168, 2014. Disponível em: <http://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/8174>. Acesso em: 29 out. 2018.

MILONGA. In: HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 1924.

MONDINI BUENO, Rafael. Comme il faut: os códigos nas milongas relajadas em Buenos Aires. 2014. 165p. Monografia (Graduação em Ciências Sociais), Faculdade de Ciências Sociais, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/128345>. Acesso em: 14 set. 2017.

MORIN, Edgar. O método 2: a vida da vida. Tradução: Marina Lobo. Porto Alegre: Sulina, 2005.

OLIVEIRA, Alberto Juvenal de. Dicionário gaúcho: termos, expressões, adágios, ditados e outras barbaridades. 3. ed. Porto Alegre: AGE, 2005.

PAMPA. In: HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 2114.

QÜESTA, Fernanda Lourdes. La comunicación en el tango-danza. Dos casos en la ciudad de Córdoba: Milonga Plaza San Martín y Milonga La Triunfal. 2017. Monografia (Graduação em Ciências da Comunicação), Facultad de Ciencias de la Comunicación, Universidad Nacional de Córdoba, Córdoba-ARG, 2017. Disponível em: <https://rdu.unc.edu.ar/handle/11086/5829>. Acesso em: 12 dez. 2017.

RAMIL, Vitor. A Estética do Frio: conferência de Genebra. Pelotas: Satolep Livros, 2009. Disponível em: <http://www.vitorramil.com.br/textos/Vitor_Ramil_-_A_Estetica_do_Frio.pdf>. Acesso em: 27 abr. 2017.

SAVIGLIANO, Marta E. Corpos noturnos, identidades embaçadas, projetos anômalos: seguindo os passos de Cortázar nas milongas de Buenos Aires. Cadernos Pagu, Campinas, n.14, p.87-127, 2000. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8635343/3142>. Acesso em: 25 nov. 2018.

SCHWARTZ, Jorge (Org.). Borges Babilônico: uma enciclopédia. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

SEYLER, Elizabeth M. Revealing the African Roots of Argentine Tango. Dance Chronicle, London, v.31, n.1, p.104-112, feb. 2008. Disponível em: <https://www.jstor.org/stable/25598145?seq=1#page_scan_tab_contents>. Acesso em: 16 jun. 2018.

SILVA, Jeremyas Machado. As milongas e as narrativas na região do Pampa. Estudios Históricos, Rivera-UY, n.15, p. 01-13, dic. 2015. Disponível em: <http://www.estudioshistoricos.org/15/eh%201508.pdf>. Acesso em: 14 mai. 2018.

SIMÕES, Marcelo Brugnara. Passo 2 e 1 no contexto de um baile na cidade de Porto Alegre. 2010. 27p. Monografia (Graduação em Educação Física), Faculdade de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/24896/000750028.pdf?sequence=1>. Acesso em: 30 out. 2018.

VEGA, Carlos. Estudios para los orígenes del tango argentino. 2. ed. Buenos Aires: Universidad Católica Argentina, 2016.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Nunes, B. B., & Jesus, T. S. de A. (2019). A Milonga e o Pampa: atravessamentos culturais entre Brasil, Argentina e Uruguai. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1123

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.