Educação Ambiental como Centralidade na Formação de Gestores Ambientais municipais em fronteira marítima.

Autores

  • Alex Nunes Molina Universidade Federal do Rio Grande
  • Darlene Silveira Cabrera Universidade Federal do Rio Grande
  • Luis Fernando Minasi Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1104

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Formação de Educadores Ambientais, Formação de Gestores Ambientais, Políticas Públicas, Fronteira Marítima.

Resumo

Este artigo se efetiva como resultado parcial de pesquisa de mestrado, através do Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), almejando compreender que Formação de Educadores(as) Ambientais se desenvolve no Convênio 069/2015 pela FURG junto à Prefeitura Municipal do Rio Grande no contexto do Licenciamento Ambiental. Para tal, vislumbramos este convênio como centralidade compreendendo a relevância para o vir a ser da Educação Ambiental que deve contemplar Programas de Educação Ambiental, para entendimento da realidade social da Classe Trabalhadora em regiões Fronteira Marítima, exigidos nos licenciamentos municipais pelos(as) Gestores(as), os quais consideramos Educadores(as) Ambientais. Assim, essa pesquisa se desenvolve pelo referencial teórico histórico, dialético e materialista, conduzido através de uma Abordagem Qualitativa (TRIVIÑOS, 1987), valendo-se da Análise de Conteúdo (BARDIN, 1977) para sistematização e interpretação das informações coletadas na conjuntura material do fenômeno de pesquisa. Dessa forma, como resultados parciais dessa pesquisa – a partir da análise das Políticas Nacionais Meio Ambiente e Educação Ambiental e do 1º Relatório Parcial de Cumprimento do Convênio – apresentam-se objetivos que almejam o desenvolvimento da Formação de Educadores Ambientais pela perspectiva crítica da Educação Ambiental da Classe Trabalhadora frente às relações de poder emanadas da classe “não-trabalhadora” burguesa.

Biografia do Autor

Luis Fernando Minasi, Universidade Federal do Rio Grande

Professor Titular Doutor - Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa/ Portugal: Edições 70. 1977

BRASIL1. Política Nacional de Meio Ambiente, de 31 de agosto de 1981. Disponível em:<http://www.sema.rs.gov.br/upload/Lei%20Federal%20n%C2%BA%206938_1981.pdf>. Acesso em: 06/11/2016.

BRASIL2. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. – atual até a Emenda Constitucional no 57, de 18/12/2008. – São Paulo: Editora Escala, 2009.

BRASIL3. Política Nacional de Educação Ambiental, de 27 de abril de 1999. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>. Acesso em: 06/11/2016

CHEPTULIN, A. A Dialética Materialista: categorias e leis da dialética. São Paulo: Alfa-ômega, 1982.

COGGIOLA, Osvaldo. Ecologia e Marxismo. Revista Motrivivência. Ano XVI, nº 22, p. 39-46, Junho de 2004. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/.../1183/1887>. Acesso em: 06/11/2016.

FREIRE, P. - Pedagogia do Oprimido, 17º edição. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

GADOTTI, M. Comunicação Docente: ensaio de caracterização da relação educadora, São Paulo: Edições Loyla, 1975.

KONDER, Leandro. Marxismo e Alienação. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

LAYRARGUES, P. P. e LIMA, G. F. C. Mapeando as macro-tendências político ideológicas da educação Ambiental contemporânea no Brasil. In: Encontro “Pesquisa em Educação Ambiental”, 2011, Ribeirão Preto. Anais do Encontro “Pesquisa em Educação Ambiental”, 2011.

LUKÁCS, György. Ontologia dell’esseresociale. Roma: Riuniti, 1981. Tradução Sérgio Lessa, disponível em http://www.sergiolessa.com - acesso em 15/09/2012.

MARX, K. Manuscritos econômicos e filosóficos. São Paulo: Martin Claret, 2003.

MARX, K. Para a crítica da economia política. São Paulo, Ed. Nova Cultural, 1996.

MÉSZÁROS, Istvan. Educação para além do capital. 2a Ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

QUINTAS, J. S. Pensando e Praticando a Educação Ambiental no Processo de Gestão Ambiental: uma concepção pedagógica e metodológica para a prática da educação ambiental no licenciamento. Brasília: IBAMA, 2005.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Molina, A. N., Cabrera, D. S., & Minasi, L. F. (2019). Educação Ambiental como Centralidade na Formação de Gestores Ambientais municipais em fronteira marítima. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1104

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar