Formação de Educadoras (es) Ambientais como lugar de resistência: uma concepção de natureza aliada aos interesses da classe trabalhadora.

Autores

  • Darlene Silveira Cabrera UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG
  • ALEX NUNES MOLINA Universidade Federal do Rio Grande - FURG
  • Luis Fernando Minasi Universidade Federal do Rio Grande - FURG

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1103

Palavras-chave:

Concepção de natureza, Educação Ambiental, Enfrentamento ao modo de produção, Formação de Educadoras (es) Ambientais

Resumo

O presente artigo compila os resultados de uma pesquisa, a qual teve como fundante a compreensão de Educação Ambiental como espaço de resistência frente aos imperativos do modo de produção capitalista, bem como se coloca como práxis de denuncia e enfrentamento aos e dos retrocessos socioambientais organizados pelos desgovernos locais e globais. Dessa forma, o trabalho se caracteriza por uma pesquisa qualitativa, subsidiada pela metodologia de pesquisa bibliográfica e desenvolvida no Campo da Educação Ambiental. Para tanto, objetivou discutir e refletir sobre a concepção de natureza como questão sine qua non do desenvolvimento da Formação de Educadoras (es) Ambientais como lugar de enfretamento da Crise Ambiental (MÈSZÀROS, 2008; 2011) que imergimos. Assim, as reflexões resultantes da pesquisa são apresentadas, primeiro, seguindo um eixo histórico sobre como se desenvolveu a concepção de natureza e de que forma essa pode vir a influenciar o que estamos compreendendo por Educação Ambiental e por Formação de Educadoras (es) Ambientais, considerando a relação ininterrupta entre natureza – ser humano – ser humano – natureza. Em seguida, os resultados e discussões, afirmam o conceito de natureza referenciado em Karl Marx (2004; 2010; 2012; 2013) como uma das possibilidades de constituição da Educação Ambiental almejada aliada aos interesses da classe trabalhadora, a compreendendo a partir das imbricações entre: natureza natural; natureza humana; e natureza humanizada.

Biografia do Autor

Darlene Silveira Cabrera, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG

Graduada em Pedagogia Licencitura pela Universidade Federal do Rio Grane - FURG

Mestre em Educação Ambiental - PPGEA FURG

Doutoranda em Educação Ambiental - PPGEA FURG

ALEX NUNES MOLINA, Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Quimíco Industrial pela Universidade Federal de Pelotas - UFPEL

Mestre em Eucação Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grane - FURG

 

Luis Fernando Minasi, Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande o Sul - URGS

Professor Titular, aposentado, da Universiade Federal do Rio Grande - FURG, atualmente, é professor colaborador e orientador no Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental - PPGEA FURG 

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988. Disponível em: file:///C:/Users/Win7/Downloads/constituicao_federal_35ed.pdf. Acessado em: 26/12/18. (Lei brasileira)

BRASIL. Política Nacional de Meio Ambiente, de 31 de agosto de 1981. Disponível em:<http://www.sema.rs.gov.br/upload/Lei%20Federal%20n%C2%BA%206938_1981.pdf>. Acessodo em: 18/12/18. (Lei brasileira)

BRASIL. Tratado de Educação Ambiental para as Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global, de 1992. Disponível: http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/educacaoambiental/tratado.pdf. Acessodo em: 26/12/18. (Lei brasileira)

CABRERA, Darlene Silveira. A objetivação das Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Ambiental na formação de professores: um estudo de caso no Curso de Pedagogia da FURG. 2016. 198 f. Dissertação (Mestrado em Educação Ambiental) - Universidade Federal do Rio Grande –FURG, Rio Grande, 2012.(Dissertação)

COGGIOLA, Osvaldo. Ecologia e Marxismo. Revista Motrivivência. Ano XVI, nº 22, p. 39-46, Junho de 2004. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ motrivivencia/article/.../1183/1887>. Acesso em: 16/12/18. (Artigo em periódico digital)

CRUZ, Ricardo Gautério, BIGLIARDI, Rossane Vinhas, MINASI, Luis Fernando. Crise ambiental e crise do modo de produção: os limites sócio-metabólicos do capital. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Abril 2013. Disponível em: <http://www.seer.furg.br/remea/issue/view/408>. Acesso em: 10/12/18. (Artigo em periódico digital)

DESCARTES. Discurso de método [comentários: Denis Huisman]. Brasília: UnB, 1998. (Obra completa)

FOSTER, John B. A ecologia de Marx: Materialismo e a Natureza. São Paulo: CIV brasileira, 2005. (Obra completa)

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 56. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014. (Obra completa)

GORGEN, Pedro. A ética e o futuro da humanidade: considerações críticas sobre educação ambiental. Revista Pesquisa em Educação Ambiental, vol. 9, n. 1 – pg. 10-23, 2014. Disponível em: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/ pesquisa/search /search. Acesso em: 18/12/18. (Artigo publicado em periódico)

GRÜN, Mauro. Bacon: a ciência como conhecimento e domínio da natureza. In: CARVALHO, Isabel C.; GRÜN, Mauro e TRAJBER, Rachel. Pensar o Ambiente: bases filosóficas para Educação Ambiental. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2006. (Capítulo de livro)

HERMANN, Nadja. Rousseau: o retorno a natureza. Bases Filosóficas para pensar Educação Ambiental, 2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/ publicacao4.pdf>. Acesso em: 12/12/18. (Livro virtual)

JAPIASSU, H. Francis Bacon: o profeta da ciência moderna. São Paulo: Letra & Letras, 1995. (Obra completa)

KONDER, Leandro. Marxismo e Alienação. São Paulo: Expressão Popular, 2008. (Obra completa)

LAYRARGUES, Philippe Pomier. A Cortina de Fumaça: o discurso empresarial verde e a ideologia da racionalidade econômica. São Paulo: Annalume, 1998. (Obra completa)

LUKÁCS, Georg. História e consciência de classe: estudos sobre a dialética marxista. [trad. Rodnei Nascimento, revisão de trad. Karina Jannini]. São Paulo: Martins Fontes, 2003. (Obra completa)

MARX, Karl. Crítica ao Programa de Gota. São Paulo: Boitempo, 2012. (Obra completa)

__________. Manuscritos econômico-filosóficos. [trad. Jesus Ranieri]. 1.ed. São Paulo: Boitempo, 2010. (Obra Completa)

__________. Processo de trabalho e Processo de valorização. In: Antunes, Ricardo (org.) A dialética do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2004. (Capítulo de livro)

__________. O Capital – Livro I. São Paulo: Boitempo, 2013.(Obra completa)

MÉSZÁROS, István. A crise estrutural do Capital. [trad. Francisco Raul Cornejo et al.]. 2.ed. São Paulo: Boitempo, 2011. (Obra completa)

________________. A educação para além do capital. [trad. Isa Tavares]. 2.ed. São Paulo: Boitempo, 2008. (Obra completa)

SIRGADO, Angel Pino. O social e o cultural na obra de Vigotski. Revista Educação & Sociedade. V. 21. N.71. Julho de 2000. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/ S0101-73302000000200003>. Acesso em: 12/12/2018. (Artigo publico em periódico)

THOMAS, Keith. O homem e o mundo natural: mudanças de atitude em relação as plantas e aos animais. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. (Obra completa)

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Cabrera, D. S., MOLINA, A. N., & Minasi, L. F. (2019). Formação de Educadoras (es) Ambientais como lugar de resistência: uma concepção de natureza aliada aos interesses da classe trabalhadora. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1103

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar