Educação para a Paz e a Mediação de Conflitos: um Direito e um Instrumento para a Promoção da Cultura de Paz

Autores

  • Alexandre Zacaria Sebaje Unipampa-RS
  • Lúcio Jorge Hammes Unipampa-RS
  • Itamar Luis Hammes IFSUL

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1102

Palavras-chave:

Conflito, cultura de paz, formação, mediação de conflito.

Resumo

O presente estudo, centrado teoricamente na interface entre as áreas da Educação e do Direito, compreende uma investigação de abordagem qualitativa, cujo escopo abrange questões pertinentes à promoção da cultura de paz e à mediação de conflito no âmbito da escola. O lócus focal da investigação é uma escola de Ensino Médio de Pelotas pertencente à Rede Pública Estadual de Ensino do Estado do Rio Grande do Sul. O corpus analítico emerge de dados obtidos por meio de um questionário com perguntas abertas, destacando-se a Análise de Conteúdo como método precípuo de tratamento dos dados obtidos. O estudo teve como mote investigativo as seguintes indagações: (i) Você já ouviu falar a respeito de Cultura de Paz? O que você entende da mesma? (ii) O que você entende por conflito? (iii) O que você entende por mediação de conflito? No sentido de buscar respostas a tais questões, traçou-se como objetivo averiguar a percepção da comunidade escolar no que se refere à cultura de paz e à mediação de conflitos. Os resultados obtidos indicam a necessidade de qualificar os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem para a promoção da cultura de paz e mediação de conflitos dentro da escola. Sugere-se, assim, a inclusão de cursos de formação e capacitação de professores, a fim de inspirar novas e potentes discussões e construções de saberes.

Biografia do Autor

Alexandre Zacaria Sebaje, Unipampa-RS

Possui graduação em Letras com habilitação em Português/Inglês (1999), Direito (2012) e Educação Física (2017). É Especialista em Direito Penal e Processual Penal, com capacitação para o Ensino do Magistério Superior. É professor de português, português instrumental, produção textual, inglês, literatura, direito público e privado - Secretaria de Educação do Estado-RS. Tem grande experiência na área da educação, já que além de ser educador teve a oportunidade de atuar como diretor e vice-diretor de escola. Também atuou na docência superior como professor a distância do curso de Letras-UAB/UFPEL (2009 a 2013), como professor conteudista no curso Idiomas Sem Fronteiras pelo IF-Sul Pelotas (2013 a 2014) e como tutor a distância no programa Profuncionário - Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação (2014 a 2016). Atualmente é professor de Língua Portuguesa na Rede Pública Estadual-RS, tutor a distância no Curso de Letras-Espanhol da UFPel e Mestrando em Educação pela Unipampa. (

Referências

BARDIN L. Análise de conteúdo. SP: Edições 70, 2011.

BRASIL. Lei nº 13.663, de 14 de maio de 2018. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/lei/L13663.htm>. Acesso em: 19 de set. 2018.

CALLADO C. V. Educação para a Paz: promovendo valores humanos na escola através da educação física e dos jogos cooperativos. Santos/SP: Editora Projeto Cooperação Ltda, 2004.

CHRISPINO, A.; CHRISPINO, R. S. P. Políticas Educacionais de redução da violência: mediação do conflito escolar. São Paulo: Editora Biruta, 2002.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUIMARÃES, Marcelo Rezende. Educação para a paz: sentidos e dilemas. Caxias do Sul, RS: Educs, 2005.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.

MORAES, Roque. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999. Disponível em: . Acesso em: 20/08/2018.

OLABUENAGA, J.I. R.; ISPIZUA, M.A. La descodificacion de la vida cotidiana: metodos de investigacion cualitativa. Bilbao, Universidad de deusto, 1989.

ONU, Declaração e Plano de Ação Sobre uma Cultura de Paz. Resolução A/ RES/ 53/ 243, de 06 de outubro de 1999 da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. Disponível em: http://www.comitepaz.org.br. Acesso em: 15 set. 2018.

ORTEGA, Rosário et al. Estratégias educativas para prevenção das violências. Tradução de Joaquim Ozório – Brasília: UNESCO, UCB, 2002.

PISA 2015 RESULTS (VOLUME III): STUDENTS’ WELL-.https://www.oecd-ilibrary.org/education/pisa-2015-results-volume-iii_9789264273856-em acessado em 10 de set de 2018.

PIVA Júnior, Dilermano. Sala de Aula Digital: uma introdução à cultura digital para educadores. 1ª ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

SALES, Lília Maia de Morais. Mediação de conflitos: família, escola e comunidade. Florianópolis: Conceito Editorial, 2007.

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

Sebaje, A. Z., Hammes, L. J., & Hammes, I. L. (2019). Educação para a Paz e a Mediação de Conflitos: um Direito e um Instrumento para a Promoção da Cultura de Paz. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1102

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar