Processos De Subjetivação De Professor-Andarilho-Cartógrafo

Autores

  • RONALDO LUIS GOULART Centro de artes - UFPEL
  • Ursula Rosa da Silva UFPEL

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1093

Palavras-chave:

Escrita, Formação, Cartas epistolares, Experiência, Cartografia.

Resumo

Este texto surge a partir de uma atividade docente que se tornou projeto de extensão/pesquisa e que resultou na dissertação de mestrado realizada no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense – IFSUL - campus Pelotas, hoje esta proposta de pesquisa é pensada no programa de pós-graduação – Mestrado – em Artes Visuais da Universidade Federal de Pelotas – UFPEL, busca articular uma escrita cartográfica, que pensa os processos de formação de um professor-pesquisador-poeta-andarilho que tem no uso das palavras instrumentos para vir a ser... Esta em devir, e debruça sobre uma prática de escrita muito antiga, cartas epistolares. O exercício manuscrito desta forma textual surge como uma prática de ensino, com a intenção de amenizar as dificuldades de aprendizagem com a leitura e a escrita, e à medida que esta pesquisa se produzia passamos a tratar tal exercício como processo de formação mais amplo, compreendendo a escrita como uma prática capaz de reinvenção de modos de pensar e ser. Errar a palavra e torná-la outra, é um cuidado. Autores como Deleuze e Guattari, Foucault e Larrosa, dão suporte ao campo problemático desta pesquisa que se faz em meio ao método cartográfico, onde ler, escrever, experimentar são vistos como processos de formação e criação.

Referências

BÁRCENA, F. El aprendiz Eterno. Filosofía, educación y el arte de vivir. Miño y Dávila Editores, Madrid. 2012. (Obra completa)

DELEUZE, G. GUATTARI, F. Kafka: por uma literatura menor / Gilles Deleuze, Félix Guattari; tradução Cíntia Vieira da Silva; revisão da tradução Luiz B. L. Orlandi. -1. Ed.; 1. reimp. – Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014. (Filô/Margens, 4) (Obra completa)

DELEUZE, G. GUATTARI, F. O que é a filosofia? Rio de janeiro: Ed. 34, 1992. (Obra completa)

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs: Capitalismo e Esquizofrenia, v.1. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995. (Obra completa)

FOUCAULT, M. A escrita de si. In: ____.O que é um autor? Trad. António Fernando Cascais e Edmundo Cordeiro. Lisboa: Editora Vega. 1992. p. 129-160. Disponível em: < file:///D:/Users/Ronaldo/Downloads/Foucault%20Michel%20A%20escrita%20de%20si%20(1).pdf> acessado em 26/03/16. (Artigo em Periódico Digital)

GALLO, S. Em torno de uma educação menor. Educação e realidade. 27(2): 169-178. jul./dez. 2002. Disponível em: < http://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/download/25926/15194> acessado em 09/08/16. (Artigo em Periódico Digital)

HAESBAERT, R. BRUCE, G. A desterritorialização na obra de Deleuze e Guattari. Disponível em: <http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:ApuUgDg4s4J:www.uff.br/geographia/ojs/index.php/geographia/article/viewFile/74/72+&cd=1&hl=ptBR&ct=clnk&gl=br> acessado em 10/06/15. (Artigo em Periódico Digital)

IANNI, O. Teorias da globalização – 3ª edição – Editora Civilização Brasileira. Disponível em: <http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:0Qv4XjSCIhMJ:ucbweb.castelobranco.br/webcaf/arquivos/12896/7869/DESTERRITORIALIZACAO___Onipresenca_na_Ciranda_Global.doc+&cd=2&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br> acessado em 30/08/2015. (Artigo em Periódico Digital)

LARROSA, J. Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas/ texto de Jorge Larrosa, tradução de Alfredo Veiga-Neto, - 5, Ed.; 2. reimp. – Belo Horizonte; Autentica Editora, 2015. (Obra completa)

LOPONTE, G. L. Nós, metamorfoses estéticas e educação. In Ensino de arte e (des)territórios pedagógicos. Mirela Ribeiro Meira / Ursula Rosa da Silva [org] IAD/Projeto Arte na Escola. – Pelotas: Editora e Gráfica Universitária, 2010. (Capítulo de Livro)

ORRÚ, C. M. S. F. ANDRADE, M. B. P. 15º Seminário de Pesquisas em Linguística Aplicada. A escrita de si e o caráter revelador da escrita em textos não verbais. 2009. (Seminário). Disponível em: <http://site.unitau.br/scripts/prppg/la/5sepla/site/comunicacoes_orais/artigocarla_maria_marieta_benedita.pdf> acessado em 22/09/15. (Artigo em Periódico Digital)

PÉREZ, C. L. V. Imagens caleidoscópicas: as narrativas autobiográficas na formação das professoras alfabetizadoras. In: 21º Seminário Internacional: As redes de conhecimento e a tecnologia: imagens e cidadania, Rio de janeiro, 2003. Disponível em:< https://books.google.com.br/books?id=43eGpSi70RgC&pg=PA178&lpg=PA178&dq=Minha+escrita+brota+da+solid%C3%A3o,+do+fundo+desta+solid%C3%A3o&source=bl&ots=FomoOR94Hy&sig=KpRrEAuXmFAqQ1KYSXbeKNFrsY4&hl=ptR&sa=X&ved=0ahUKEwiI6wr73OAhUDhpAKHYTcBfgQ6AEIHjAA#v=onepage&q=Minha%20escrita%20brota%20da%20solid%C3%A3o%2C%20do%20fundo%20desta%20solid%C3%A3o&f=false >acessado em 12/08/16. (Artigo em Periódico Digital)

POZZANA, L. A formação do cartógrafo é o mundo: Corporificação e afetabilidade. In Pistas do método da cartografia: a experiência da pesquisa e o plano comum / organizado por Eduardo Passos, Virginia Kastrup e Silvia Tedesco – Porto Alegre: Sulina, 2014. 310 p. (2). (Capítulo de Livro)

ROLNIK, Suely: Cartografia Sentimental, Transformações contemporâneas do desejo, Editora Estação Liberdade, São Paulo, 1989. (Obra completa)

Downloads

Publicado

05/05/2019

Como Citar

GOULART, R. L., & da Silva, U. R. (2019). Processos De Subjetivação De Professor-Andarilho-Cartógrafo. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 5(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v5i4.1093

Edição

Seção

IV - Encontro Humanístico Multidisciplinar