A Interdisciplinaridade no campo científico: A Educação Ambiental e o seu suporte teórico-metodológico para uma educação não escolar

Autores

  • Carina Sinnott Duarte Graduanda em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Campus Pelotas - Visconde da Graça
  • André Rodrigues da Silva Mestrando no programa de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.1012

Palavras-chave:

Interdisciplinaridade, Educação Ambiental, educação não escolar, História da Educação

Resumo

Busca-se elucidar os principais anseios práticos que a interdisciplinaridade entre o campo da ciência biológica, em conjunto com o campo da ciência humana, pode proporcionar ao indivíduo na sua educação ambiental não formal, aquela praticada fora dos ambientes escolares e que se manifestam nas relações familiares e sociais. Historicamente, os principais elos entre as ciências promovem discussões norteadoras para que sua teoria se transforme em uma ação prática e eficaz para a sociedade, principalmente em torno de questões que os beneficiem e não agridam a liberdade dos coletivos que partilham da sociedade. Utilizou-se para esta escrita os seguintes teóricos: Para os estudos nas ciências ambientais (Viezzer e Ovalles, 1994); para os estudos no campo da História da Educação (Chartier, 1990); para os estudos no campo da Filosofia (Rousseau, 1981).

Referências

Capítulo IV, art. 225. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Acessado em 15 de agosto de 2018 às 22:32. Link disponível em: ttp://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm

CHARTIER, Roger. História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand, 1990.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FREINET, Célestin. Para uma escola do povo. São Paulo: Martins Fontes, 1966.

_____________. Pedagogia da Autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

LENOIR, Yves. Didática e interdisciplinaridade: uma complementaridade necessária e incontornável. In: FAZENDA, I. C. A. (org.). Didática e interdisciplinaridade. Campinas: Papirus, 1998, pp. 45-75.

MARCONDES, Danilo. Iniciação à história da Filosofia. 12° ed. Rio de janeiro: Zahar, 2008.

MÜLLER, Jackson. Educação Ambiental: diretrizes para a prática pedagógica. Porto Alegre: Edição FAMURS, 2000.

OVALLES, Omar; Viezzer, Moema. Manual Latino-Americano de Educação Ambiental. São Paulo: Gaia, 1994.

Política Nacional do Meio Ambiente. Acessado em 14 de agosto de 2018 às 20h:17min. Link disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L6938.htm

ROUSSEAU, Jean Jacques. Do contrato social e discurso sobre a economia política. São Paulo: Hemus, 1981.

Downloads

Publicado

26/11/2018

Como Citar

Duarte, C. S., & da Silva, A. R. (2018). A Interdisciplinaridade no campo científico: A Educação Ambiental e o seu suporte teórico-metodológico para uma educação não escolar. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.1012

Edição

Seção

Dossiê: X Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental (EDEA)