Culturas Juvenis, culturas digitais e Ensino Médio: quando o diálogo é necessário

Sueli Salva

Resumo


Este artigo tem como objetivo refletir acerca do uso das tecnologias digitais no contexto escolar de ensino médio a partir da compreensão dos professores. Apresenta análises da pesquisa “Mídias e Juventude: aspectos educativos e culturais em (des)encontro”. A produção dos dados foi realizada no Brasil, na cidade de Santa Maria, em algumas escolas públicas de ensino médio e na Itália em algumas escolas Secundárias de Segundo Grau. Autores como Gil e Micheli (2011), Barbero (2008), Belonni (2013) se constituem como referencial teórico que busca dialogar com as políticas públicas para o ensino médio no Brasil. Foi possível perceber que apesar dos documentos legais preverem a utilização das tecnologias digitais nos contextos escolares, seu uso ainda é restrito em ambos os países em decorrência, da deficiência na formação dos professores, da estrutura rígida da instituição escolar, das frágeis condições estruturais das escolas, falta de compreensão acerca dos aspectos culturais que envolve a vida juvenil, da pouca reflexão acerca da mudança na relação com o saber, provocada pelas tecnologias digitais cujo tema ainda não foi suficientemente explorado.  


Palavras-chave


ensino médio, políticas públicas, relação com o saber, tecnologias digitais, vida juvenil.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUFAT, María Jesús Gallego; MASINI, Stefano. Politica educativa e integración de las TIC en el Sistema Educativo: la situación italiana dentro del escenario internacional. In. Revista del currículum y formación del profesorado. Vol. 16, nº 3. Sept/dicembre 2012, p.245 – 284.

BARBERO, José Martín. A mudança na percepção da juventude: sociabilidade, tecnicidade e subjetividade entre os jovens. In. BORELLI, Silvia H. S. ; FILHO, João Freire. Culturas Juvenis no Século XXI. São Paulo: EDUC, 2008.

BELLONI, Maria Luiza. Mídia-educação: contextos, histórias e interrogações. In. FANTIN, Mônica; RIVOLTELLA, Pier Cesare (org). Cultura Digital e Escola – pesquisa e formação de professores. Campinas: Papirus, 2012.

BRASIL. Parecer nº 5 de 2011 – Diretrizes Curriculares Nacionais Para o Ensino Médio. Ministério da Educação, Conselho da Educação Básica: Brasília, 2011.

______. Resolução nº2 de 30 de janeiro de 2012. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília, 2012.

______. Programa Ensino Médio Inovador. Ministério da Educação. Brasília, 2009.

______. Programa Um Computador Por Aluno (ProUCA). Lei nº 12.249, de 14 de junho de 2010. MEC/Brasília, 2010.

______. Programa Ensino Médio Inovador. Ministério da Educação. Brasília, 2013.

______. Portaria nº 971, de 9 de outubro de 2009. Ministério da Educação. Brasília, 2009.

______. Portaria nº 1.140, de 22 de novembro de 2013. Brasília, 2013.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber às Praticas educativas: São Paulo: Cortez, 2013.

DAYRELL, Juarez. Escola e culturas juvenis. In: FREITAS, M. V.; PAPA, F. de C. (Orgs.). Políticas Públicas: a juventude em pauta. 2ª Ed. Ação Educativa. Fundação Friedrich Ebert. São Paulo: Cortez, 2008.

LEVY, Pierre. Cybercultura: gli usi sociali delle nuove tecnologie. Milano: Feltrinelli, 2011.

MELUCCI, Alberto. A invenção do Presente – Movimentos Sociais Nas sociedades Complexas. Petrópolis: Vozes, 2001.

REBUGHINI, Paola. A comparação qualitativa de objetos complexos e os efeitos da reflexividade. In. MELUCCI, Alberto. Por uma Sociologia Reflexiva – Pesquisa qualitativa e Cultura. Petrópolis: Vozes, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.23899/relacult.v2i4.259

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Sueli Salva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

RELACult - Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura e Sociedade

e-ISSN: 2525-7870

Facebook - Twitter - Instagram

Endereço eletrônico: relacult@claec.org


Qualis CAPES: B2 - Ensino; B4 - Interdisciplinar; B5 - Ciência Política e Relações Internacionais; B5 - Comunicação e Informação; B5 - Letras/Linguística; B5 - Ciências Agrárias I; C - Ciências Biológicas II; C - Direito; C - História e C - Sociologia.

 

Responsável Editorial:

Editora CLAEC - Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura

www.claec.org/editora

Endereço eletrônico: editora@claec.org