O lúdico e as percepções infantis através das possibilidades de interação com o meio ambiente

Autores

  • Myrna Gowert Madia Berwaldt Universidade Federal do Rio Grande-RS
  • Vilmar Alves Pereira Universidade Federal de Rio Grande-RS

Palavras-chave:

Educação infantil. Lúdico. Meio. Ambiente.

Resumo

O presente trabalho tem como foco principal apresentar percepções ambientais oriundas das relações infantis, sobre estranhamentos questionados nas vivencias, correlacionado ao meio ambiente, diferentes culturas, histórias, e seus lugares. Dessa forma através da possibilidade de desenhar, fotografar, e dialogar sobre os motivos, e importância do registro, busca entender a percepção infantil do ambiental, e o que abrange a Praça Tamandaré localizada na cidade de Rio Grande- RS. Para tanto realiza esse esforço a partir dos olhares das crianças da educação infantil, com idade entre cinco e seis anos. O Estudo proporcionou uma melhor compreensão sobre como o lúdico orienta as práticas e percepções infantis, de forma livre de expectativas adultocentricas em relação aos resultados.

Biografia do Autor

Myrna Gowert Madia Berwaldt, Universidade Federal do Rio Grande-RS

Acadêmica de graduação em Pedagogia; Experiência em Educação Básica e Bolsista de Iniciação Científica. Membro do núcleo Educamemória Pesquisa-Extensão-Formação.

Vilmar Alves Pereira, Universidade Federal de Rio Grande-RS

Coordenador do Programa de Pós Graduação em Educação Ambiental - PPGEA-FURG, Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) 2008 com ênfase em Filosofia e Educação. Mestre em Educação pela Universidade de Passo Fundo (UPF).Graduado em Filosofia pela Universidade de Passo Fundo (UPF). Líder do Grupo de Pesquisa de Fundamentos da Educação Ambiental e Popular- (GEFEAP); Tem experiência na área de Filosofia da Educação, atuando no Ensino Superior, principalmente nos seguintes temas: Fundamentos Filosóficos da Educação Ambiental; Hermenêutica e Educação Ambiental; Epistemologia da Educação Popular Ambiental ;Epistemologia nas Pesquisas em Educação e Infância e Subjetividade. Foi Coordenador das Licenciaturas da UNIPAMPA (COORLICEN). Atualmente é Professor Associado, Coordenador do Programa de Pós Graduação em Educação Ambiental - PPGEA-FURG, atuando como Professor e Pesquisador no Instituto de Educação e nos Programas de Pós Graduação em Educação (PPGEDU/FURG); Educação Ambiental (PPGEA/ FURG); Editor chefe da Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental - REMEA. (Qualis CAPES B1) Coordena o Programa de Extensão de Auxílio Ao Ingresso aos Ensino Técnico e Superior - PAIETS - (classificado no PROEXT 2015-2016 3 º Lugar Nacional) Tutor do Programa de Educação Tutorial PET- Conexões de Saberes da Educação Popular e Saberes Acadêmicos. Realiza palestras para Professores da Educação Básica nas redes de Ensino Público. Revisor de importantes Periódicos no campo da Educação. Foi Pró-Reitor de Assuntos Estudantis da FURG 01/2013 - 10/ 2016. Coordenador do Fórum dos Pró Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis - FONAPRACE Regional em 2014. Autor da Ecologia Cosmocena - Teoria no Campo dos Fundamentos da EA. Realizou trabalho encomendado em Educação Ambiental na Anped Sul em 2014 e 2016. Atuação junto ao Cnpq como docente no Programa de Pós Graduação In Company pelo Consórcio Sul nas Disciplinas de Filosofia da Ciência, Metodologia da Pesquisa em Educação e Teorias da Educação de 2011 a 2015. Integra a Rede Sul Americana de Educação Ambiental - REASUL, a Comissão Estadual do Fórum de Estudos: Leituras de Paulo Freire, a Comissão Científica do Fórum Brasileiro de Educação Ambiental - IX FBEA, do IX EPEA - Encontro Pesquisa em Educação Ambiental (Minas) e Comissão de Livros e Revistas do XVI Encontro Paranaense de Educação Ambiental - EPEA - Curitiba. Parcerias Internacionais com Acordo de Cooperação com Ministério da Educação da Nicarágua MINED e Universidade de Guadalajara - México

Referências

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

DUARTE JR., João-Francisco. Fundamentos estéticos da educação. Campinas, SP: Papirus, 1988.VIGOTSKI, Lev Semionovitch. A brincadeira e o seu papel no desenvolvimento psíquico da criança. Revista virtual de gestão de iniciativas sociais, Rio de Janeiro: Laboratório de tecnologia e desenvolvimento social, v.8, junho, 2008. Disponível em http://www.ltds.ufrj.br/gis/anteriores/rvgis11.pdf . Acessado em: 16 jun. 2017.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança.31. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008b. 79 p.

GRIGOROWITSCHS, Tamara, Mestre em Sociologia da Educação Universidade de São Paulo (USP).

Lei nº 9.394. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Congresso Nacional, 1996a.

NAVARRO, Mariana Stoeterau; PRODÓCIMO, Elaine, Brincar e mediação na escola, Rev. Bras. Ciênc. Esporte, Florianópolis, v. 34, n. 3, p. 633-648, jul./set. 2012.Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32892012000300008 . Acesso em: 11 jun. 2017.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: Ministério

da Educação e do desporto, 1996b .

SAYÃO,DeborahTomé.Corpo e movimento:notas para problematizar algumas questões relacionadas à educação infantil e à educação física. Revista Brasileira de Ciências do

Esporte,Campinas,v.23,n.2,p.55‐67,jan.2002.

SILVA,H.S. O papel do conflito cognitivo na elaboração de noções de conservação por conservação por interações de pares constantes e múltiplos.Tese de doutorado, UNICAMP

,São Paulo,1999.

PEREIRA, Vilmar A. Ecologia Cosmocena: a redefinição do espaço humano no cosmos. Juiz de –Fora, MG : GARCIA edizioni, 2016.

PIAGET,J. A equilibração das estruturas cognitivas: problema central do desenvolvimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

SARMENTO, Manuel Jacinto. As Culturas da Infância na Encruzilhada da 2ª Modernidade. In: SARMENTO, M. J.; CERISARA, A. B. Crianças e Miúdos: Perspectivas Sociopedagógicas da Infância e Educação. Porto, Portugal: Asa Editores, 2004.Texto disponível em: http://www.cedei.unir.br/submenu_arquivos/761_1.1_u1_as_culturas_na_infancia.pdf. Acesso em: 06 de junho de 2017.

SATO, Michèle; PASSOS, Luiz A. Biorregionalismo - identidade histórica e caminhos para a cidadania. In LOUREIRO, F.; LAYRARGUES, P.; CASTRO, R. (Orgs.) Sociedade e Meio Ambiente: A Construção da Cidadania na Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2002, p. 221-252.

SPIGEL, Lynn. Seducing the innocent. In:JENKINS, Henry (Ed.)

The Children’s Culture Reader. New York University Press, 1998. p.1-37.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. A brincadeira e o seu papel no desenvolvimento psíquico da criança. Revista virtual de gestão de iniciativas sociais, Rio de Janeiro: Laboratório de tecnologia e desenvolvimento social, v.8, junho, 2008. Disponível em http://www.ltds.ufrj.br/gis/anteriores/rvgis11.pdf . Acessado em: 10 jun. 2017.

Downloads

Publicado

08/05/2021

Como Citar

Berwaldt, M. G. M., & Pereira, V. A. (2021). O lúdico e as percepções infantis através das possibilidades de interação com o meio ambiente. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 6. Recuperado de https://periodicos.claec.org/index.php/relacult/article/view/999

Edição

Seção

Dossiê: X Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental (EDEA)

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)