“Moro lá no Cordu”-Conhecendo a comunidade a partir do olhar das crianças

Autores

  • Silvana Bezerra de Castro Magalhães Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca- CEFET-RJ http://orcid.org/0000-0003-1674-3207

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i3.990

Palavras-chave:

vulnerabilidade social, sociologia da criança, educação

Resumo

O presente trabalho situa-se no universo de crianças do projeto social CASA- situado no Cordoeira, comunidade vulnerável de Nova Friburgo-RJ. O projeto iniciou suas ações no contra-turno escolar no ano de 2017 e vem construindo suas ações sociopedagógicas numa perspectiva das crianças como protagonistas do processo.Uma das necessidades e objetivos desse trabalho foi conhecer o contexto da comunidade, a partir do olhar das próprias crianças, para o estudo das realidades de infância Para isso, uma das ações que analisamos foi a pesquisa realizada com as crianças sobre o contexto vivido, sobre sua comunidade e recortes das próprias sobre esse lugar físico e simbólico, tendo como grande desafio teórico-metodológico considerar as crianças atores sociais plenos, valorizando seus processos de apropriação, reinvenção e reprodução .A metodologia utilizada partiu das concepções das crianças através da realização de  oficinas que favorecessem a escuta das imagens e vivências sobre sua comunidade (diferentes linguagens artísticas). Crianças têm o direito de dizer a sua palavra a partir do seu “saber de experiência feito”. (FREIRE, 1997, 1998)O processo, ainda em construção, já indicou olhares enriquecedores de como as crianças se adaptam as dificuldades do contexto, bem como criam soluções novas para lidar com problemas e a ludicidade presente no cotidiano da comunidade.

Biografia do Autor

Silvana Bezerra de Castro Magalhães, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca- CEFET-RJ

Mestre e doutora em Educação e professora da Licenciatura em Física- CEFET-RJ

Referências

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação – uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 4. ed. São Paulo: Moraes, 1980.

________. Pedagogia da Esperança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

______. Pedagogia do oprimido. 31. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.

GATTI, B. A. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília: Liber livro, 2005.

GOBBI, M. O fascínio indiscreto: crianças pequenininhas e a criação de desenhos. In: FARIA, A. L. G. de; MELLO, S. A. (Org.). Territórios da infância: linguagens, tempos e relações para uma pedagogia para as crianças pequenas. 2. ed. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2009. p. 119-136.

LENGRUBER, Julita e MUSUMEC, Leonarda.(coord.s). Diagnóstico da segurança pública em Nova Friburgo. CONSEG/ Instituto Sou da Paz. 2009. Disponível em http://www.soudapaz.org/upload/pdf/diagn_sticonovafriburgo_fev_2009.pdf

PINTO, M.; SARMENTO, M.J.(coords.). As crianças: contextos e identidades. Braga: Universidade do Minho, 1997.

QVORTRUP, J. et al. Childhood matters: social theory, practice and politics. Aldershot: Avebury, 1994.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da infância. Educ. Soc. [online]. 2005, vol.26, n.91, pp.361-378

SILVA, J. P.; BARBOSA, S. N. F.; KRAMER, S. Questões teórico-metodológicas da pesquisa com crianças. Perspectiva, v. 23, n. 1, p. 41-64, jan./jul. 2005.

SIROTA, R. Emergência de uma sociologia da infância: evolução do objeto e do olhar. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 112, p. 7-31, mar. 2001.

Downloads

Publicado

12/05/2019

Como Citar

Magalhães, S. B. de C. (2019). “Moro lá no Cordu”-Conhecendo a comunidade a partir do olhar das crianças. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v4i3.990

Edição

Seção

Dossiê - Estudos Interdisciplinares acerca de Minorias, Grupos Vulneráveis e Inclusão Social na América Latina