Estamos vivos aos olhos de Machado? – A ideologia através de pontos-de-vista sobre “Pai contra mãe”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i2.919

Palavras-chave:

Literatura Brasileira, Cultura Brasileira, Literatura do Século XIX

Resumo

O presente artigo intenta apresentar alguns aspectos de duas passagens da recepção do conto “Pai Contra Mãe” de Machado de Assis, incluído no volume Relíquias de Casa Velha (1906). Em um primeiro momento, é revisitada a fortuna crítica para pensar o saldo de leituras recentes acerca do conto, reavaliado por seu viés de denúncia contra as mazelas da escravidão (BOSI, 1999; DUARTE, 2008; MANGUEIRA, 2010; SCARPELLI, 2013). Por outro, espera-se reintroduzir ao público atual as discussões que os contemporâneos de Machado travaram acerca do referido conto, em especial a partir da análise pontual de um comentarista pouco conhecido, o jurista e historiador da escravidão Evaristo de Moraes (1917). A partir da comparação de ambas as recepções, espera-se confrontá-las para notar o que há de semelhança ou de diferença reversível entre elas e assim, abrir espaço para uma leitura dialética do conto (e mais especificamente de seu desfecho) mais interessada na representação da ideologia do leitor do que, como costumeiramente se tem feito, desvelar a ideologia (ou contra-ideologia) do narrador.

Biografia do Autor

Lucas Bento Pugliesi, USP

Mestre em Literatura Brasileira pela USP

Professor Substituto no Departamento de Ciências da Literatura - UFRJ

Referências

ASSIS, M. “Pai contra mãe” em Relíquias de Casa Velha. 1ª Ed. Rio de Janeiro: Garnier, 1906, pp. 3-17.

AUERBACH, Erich. Mimesis: a representação da realidade na literatura ocidental. Trad: J. Guinsburg. 6ª Ed. São Paulo: Perspectiva, 2013.

BOSI, A. Machado de Assis - O enigma do olhar. São Paulo: Ática, 1999.

DUARTE, E. “Literatura afro-brasileira: um conceito em construção” Em Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n. 31, 2008, pp.11-23.

HEGEL, G.W. Fenomenologia do Espírito. Trad: Paulo Meneses com a colaboração de Karl-Heinz Efken e José Nogueira Machado. 2ª Edição Revisada. Petrópolis: Vozes, 2003.

KOJÈVE, A. Introduction to the reading of Hegel: Lectures on the Phenomenology of Spirit. Org: Raymond Queneau. Edição: Allan Bloom. Trad: James H. Nichols, Jr. Cornell University Press, 1980.

MANGUEIRA, J. “ ‘Nem todas as crianças vingam’: Relação social em ‘Pai contra mãe’” Em Darandina – Revista de Pós-Graduação em Letras UFJF, v. 2, no. 1, 2010, pp. 1-11.

MORAES, E. “A Escravidão nas Bellas Letras” Em Revista Americana, Edição 1 1917, pp. 47-61. Disponível em Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional. Acesso em: 31 de junho de 2018.

NEVES, R. “‘Pai contra mãe’ De Machado de Assis: um grito contra a escravatura” Em Babilónia - Revista Lusófona de Línguas, Culturas e Tradução, [S.l.], n. 04, dec. 2010. ISSN 1646-3730.

PROENÇA FILHO, D. “A trajetória do negro na literatura brasileira” em Estudos Avançados. Vol 18, no. 50, São Paulo Jan-Abril, 2004. ISSN: 1806-9592.

PUJOL, A. Machado de Assis. 1ª Edição. São Paulo: Typographia Brazil, 1917.

ROMERO. S. Machado de Assis – Estudo comparativo de literatura brasileira. 1ª Ed. Rio de Janeiro: Laemert & C. Editores, 1897.

SCARPELLI, M. “‘Pai Contra Mãe’ de Machado de Assis: a negativa das negativas” em Via Atlântica, n. 6, 2003, pp. 121-133.

SCHNEIDER, A. “Sílvio Romero e Machado de Assis: leituras e dissensos do fim do Oitocentos” Em Intelligere – Revista de História Intelectual, vol 2., no. 2, Set-Dez de 2016, pp. 49- 67 ISSN 2447-9020

Downloads

Publicado

02/11/2018

Como Citar

Pugliesi, L. B. (2018). Estamos vivos aos olhos de Machado? – A ideologia através de pontos-de-vista sobre “Pai contra mãe”. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4(2). https://doi.org/10.23899/relacult.v4i2.919

Edição

Seção

Dossiê - Literatura, arte e política