Uma autobiografia sem fundamento ou o fundamento pela autobiografia: uma leitura de “Bodenlos”, de Vilém Flusser

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i2.918

Palavras-chave:

Vilém Flusser, Autobiografia, Exílio, Judeidade, Desenraizamento.

Resumo

O objetivo central deste texto é realizar uma leitura da autobiografia de Vilém Flusser, intitulada Bodenlos, evidenciando alguns dos mecanismos e estratégias de que o autor lança mão para abordar a “falta de fundamento”. Além disso, este texto busca tocar, ainda que brevemente, na ligação entre o sem fundamento e a origem judaica do autor, na forte simbologia de algumas das cenas narradas e também na questão do exílio, que se faz presente ao longo de toda a obra.

Referências

ARTIÈRES, Philippe. Arquivar a própria vida. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.11, n.21, 1998.

BERNARDO, Gustavo. A gente de Flusser. In: FLUSSER, Vilém. Bodenlos: uma autobiografia filosófica. São Paulo: Annablume, 2007.

DERRIDA, Jacques, ROUDINESCO, Elisabeth. De que amanhã... Diálogo. Trad. André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

FLUSSER, Vilém. Bodenlos: uma autobiografia filosófica. São Paulo: Annablume, 2007.

HANDELMAN, Susan A. Rabbinic thought: the divinity of the text. In: The Slayers of Moses: the emergence of rabbinic interpretation in modern literary theory. Albany: State University of New York Press, 1982. P. 27-50.

JACOBS, Louis. Exile. In: ___. The Jewish religion: a companion. Oxford: Oxford University Press, 1995. P. 157.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico – de Rousseau à internet. Trad. Jovita Maria Gerheim Noronha e Maria Inês Coimbra Guedes. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

Downloads

Publicado

02/11/2018

Como Citar

da Silva Moreira, D. (2018). Uma autobiografia sem fundamento ou o fundamento pela autobiografia: uma leitura de “Bodenlos”, de Vilém Flusser. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4(2). https://doi.org/10.23899/relacult.v4i2.918

Edição

Seção

Dossiê - Literatura, arte e política