Movimento feminista: “Mulheres na Universidade-GEEUM@”

Autores

  • Gláucia da Rosa do Amaral Alves Universidade Franciscana-UFN
  • Jociléia Scherer Universidade Franciscana
  • Leonardo Guedes Henn Universidade Franciscana

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i2.896

Palavras-chave:

emponderamento, sociedade, reflexão, movimentos sociais, educaçãoC

Resumo

O presente artigo tem como tema central a trajetória do Movimento Feminista no Ocidente, o qual entende-se como um movimento social. Partindo dessa construção histórica objetivo central deste artigo é apresentar como se constitui o movimento feminista local da cidade de Santa Maria- RS a comunidade e qual seu papel social na formação dos indivíduos. Nesta perspectiva entende-se que o movimento feminista é um mecanismo de propagação de educação não formal a partir de sua organização, lutas e desafios. Nesse sentido, apresentar-se-á o movimento Mulheres na Universidade-GEEUM@, uma parceria entre as instituições Universidade Franciscana- UFN e Universidade Federal de Santa Maria- UFSM. Considera-se, que a apresentação deste movimento contribui para reforçar protagonismo social das mulheres, desde suas conquistas legais ao longo dos anos além de reforçar sua atuação para transformação social e cultural da sociedade. A metodologia adotada caracteriza-se por se constituir em uma pesquisa de natureza qualitativa. Como técnica, utilizou-se a pesquisa bibliográfica, feita através da coleta de dados em documentos, livros, artigos e teses. Utilizou-se o método de pesquisa observacional, a fim de contextualizar o Movimento Feminista GEEUM @.

Biografia do Autor

Gláucia da Rosa do Amaral Alves, Universidade Franciscana-UFN

Graduada em História, Bolsista/taxa Capes-Prosuc no Mestrado em Ensino de Humanidades e Linguagens Universidade Franciscana-

Jociléia Scherer, Universidade Franciscana

Graduada em História e Turismo,Mestranda em Ensino de Humanidades e Linguagens Universidade Franciscana- Santa Maria /RS

Leonardo Guedes Henn, Universidade Franciscana

Dr. em História.Professor no Mestrado em Ensino de Humanidades e Linguagens Universidade Franciscana- Santa Maria/RS

Referências

ALMEIDA, M. L. P (org.). Educação e movimentos sociais: novos olhares. 2 ed. Campinas (SP): Alínea, 2010.

ALVES, A. C. F; ALVES, A. K. S. As Trajetórias e Lutas do Movimento Feminista no Brasil e o Protagonismo Social das Mulheres. – Fortaleza – CE – UECE – Itaperi, 2013.

BONETI, L. W. Educação e movimentos sociais hoje. In JEZINE, E; ALMEIDA, M. L. P. (orgs). Educação e movimentos sociais: novos olhares. 2 ed. Campinas (SP): Alínea, 2010.

BRASIL. Lei 11.340, de 07 de agosto de 2006. Brasília: Presidência da República, 2006. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm. Acesso em: 15 jun.2016.

COSTA, A. A. A. O movimento feminista no brasil: dinâmicas de uma intervenção política. Revista gênero UFF,2005, p.20.

GOHN, M. G. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.14, n.50, p. 27-38, jan./mar. 2006.

_____. A Relação Movimentos Sociais e Educação. Revista Brasileira de Educação v. 16 n. 47, 2011

KAUCHAKJE, S. Movimentos sociais no século XXI: matriz pedagógica da participação política. In: JEZINE, Edineide; ALMEIDA, M. L P. (orgs). Educação e movimentos sociais: novos olhares. 2 ed. Campinas (SP): Alínea, 2010.

LAKATOS, E.Fundamentos de metodologia científica 1. - 5. ed. - São Paulo: Atlas 2003

LOURO, G. L. A emergência do “gênero”. In: LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação. 21 ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2014.

____ Gênero, sexualidade e poder. In: LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação. 21 ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2014.

MENDES, R.S; VAZ, B. J. de O; CARVALHO, A. F. O Movimento Feminista e a luta pelo empoderamento da mulher. Periódico do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Gênero e Direito Centro de Ciências Jurídicas - Universidade Federal da Paraíba Nº 03 - Ano 2015. Disponível em: http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ged/article/view/25106/14464. Acesso: 13 jun. 2017.

MENEZES, R. F. A Lei Maria da Penha: Entre (im) possibilidades de aplicabilidade para feministas e operadores do direito. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia, da Universidade Federal de Pernambuco, 2012, 110 p.

PEDRO. J. M. Corpo, prazer e trabalho. In: Nova História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012

RAGO, M. Adeus ao feminismo? Feminismo e (pós) modernidade no Brasil. Cadernos AEL, Unicamp, n. 3/4, 1995/1996. Disponível em:http://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ael/article/view/2612/2022.

ROSEMBERG, F. Mulheres educadas e a educação de mulheres. In: Nova História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012

SILVA; C; CAMURÇA, S. Feminismo e movimento de mulheres. Recife: SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia, 2010. 63p. - (Série Mulheres em Movimento, nº 1). Disponível em: http://209.177.156.169/libreria_cm/archivos/pdf_950.pdf. Acesso: 14 jun. 2017.

PEDRO, C. B; OLEGNA S. G. As conquistas do movimento feminista como expressão do protagonismo social das mulheres. Universidade Estadual de Londrina, 2010.

Downloads

Publicado

01/11/2018

Como Citar

Alves, G. da R. do A., Scherer, J., & Henn, L. G. (2018). Movimento feminista: “Mulheres na Universidade-GEEUM@”. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4(2). https://doi.org/10.23899/relacult.v4i2.896

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo