ETNOCÍDIO NA BANDA ORIENTAL: A RESISTÊNCIA ÉTNICA DOS CHARRUA PERANTE A COLONIZAÇÃO.

Autores

  • Taciane Moro Universidade Federal do Pampa
  • Ronaldo Bernadino Colvero Universidade Federal do Pampa

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i4.838

Palavras-chave:

Charrua, Etnocídio, Território, Colonização

Resumo

Os Charrua eram povos originários que viviam no território que atualmente delimita a fronteira oeste do Estado do Rio Grande do Sul e também territórios que hoje delimitam os países da Argentina e Uruguai. Esse grupo indígena tinha uma cultura e forma de viver própria, no período da colonização, a partir do Séc. XVI essa cultura sofreu algumas transformações, no entanto, essa etnia conseguiu prevalecer a sua essência mantendo alguns padrões culturais distintos dos colonizadores, o que gerou o etnocídio e quase extermínio dos mesmos. Sendo assim, a presente pesquisa tem por objetivo analisar como os povos originários Charrua enfrentaram a colonização, como os mesmos conseguiram manter o seu modo de vida indígena absorvendo algumas novas práticas e principalmente, quais foram as razões que levaram o etnocídio dos charrua nas batalhas de Salsipuedes e Mataojos (1830-1834). Esse trabalho foi desenvolvido através da metodologia qualitativa, através da pesquisa bibliográfica em diferentes fontes como livros, artigos e dissertações

Referências

BECKER, Itala Irene Basile. O que sobrou dos índios pré-históricos do Rio Grande do Sul. p. 125-147. In. SCHMITZ, Pedro Ignácio. NAUE, Guilherme. BECKER, Ítala Irene Basile. Pré-História do Rio Grande do Sul. Instituto Anchietano de Pesquisas - UNISINOS São Leopoldo, RS, Brasil. 2006

BECKER, Itala Irene Basile. Os índios Charrua e Minuano na Antiga Banda Oriental. (Dissertação de Mestrado) PUC-RS.Porto Alegre, 1982. 315f.

COLVERO, Ronaldo. Região Missioneira: Palco de Rupturas e Continuidades. p.151-164. In. COLVERO, Ronaldo. MAURER, Rodrigo. Missões em Mosaico da interpretação à prática: um conjunto de experiências.

GARCIA, Anderson Marques. MILDER, Saul Eduardo Seiguer. Convergências e divergências: aspectos das culturas indígenas Charrua e Minuano. Vivencia Revista de Antropologia. Nº39. 2012. Disponível em: <http://www.cchla.ufrn.br/Vivencia/sumarios/39/PDF_para_INTERNET_39/2_Anderson_Marques_Garcia_Saul_Eduardo_Seiguer_Milder.pdf> Acesso em: 14/10/2015.

GARCIA, Anderson Marques. MILDER, Saul Eduardo Seiguer. Particularidades Históricas e Culturais dos Charrua e dos Minuano do Pampa Sul-Americano. Estudos Históricos. CDHRPyB- Ano IV. Nº8. Uruguay. Julho 2012.

GARCIA, Elisa F. Os Sete Povos Após a Conquista de 1801: Administração Portuguesa e Agencia Indígena. p. 163-172. In. COLVERO, Ronaldo. MAURER, Rodrigo. Missões em Mosaico da interpretação à prática: um conjunto de experiências.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2006.

PANIAGUA, Edson. Fronteiras, Violência e criminalidade na região da Platina. O caso do município de Alegrete (1854-1864). 2013.

PORTO, Aurélio. História das Missões Orientais do Uruguai. Livraria Selbach. Porto Alegre. 1954

SCHMITZ, Pedro Ignácio. Migrantes da Amazônia: a tradição Tupiguarani. p. 31-64. In SCHMITZ, Pedro Ignácio. NAUE, Guilherme. BECKER, Ítala Irene Basile. Pré-História do Rio Grande do Sul. Instituto Anchietano de Pesquisas - UNISINOS São Leopoldo, RS, Brasil. 2006

SERRES, Helenize Soares. Estas Terras e Seus Donos: Políticas de espacialidade em La Cruz e no mundo guarani missioneiro (1629-1828). 2012. 225 F. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Pelotas. Pelotas RS.

VIDAL, Viviane Margareth Pouey. Os artefatos de arremesso dos campos da América Meridional: um estudo de caso das boleadeiras. 2009. 151f. Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. WARNIER, Jean-Pierre. Construire la culture matérielle: L'Homme qui pensait avec ses doigts. Paris: Presses universitaires de France, 1999.

VÍCTORA,Ceres Gomes. NETO, Antonio Leite Ruas. Querem matar os ‘últimos Charrua’: Sofrimento social e ‘luta’ dos indígenas que vivem na cidade. Revista ANTHROPOLÓGICAS, ano 15, vol.22(1): 37-59 (2011). Disponível em:< http://www.revista.ufpe.br/revistaanthropologicas/index.php/revista/article/view/222>. Acesso em: 11/10/2017

Downloads

Publicado

10/05/2018

Como Citar

Moro, T., & Colvero, R. B. (2018). ETNOCÍDIO NA BANDA ORIENTAL: A RESISTÊNCIA ÉTNICA DOS CHARRUA PERANTE A COLONIZAÇÃO. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4(4). https://doi.org/10.23899/relacult.v4i4.838

Edição

Seção

Dossiê - COINTER