Corpo e produção de identidades de meninas em uma Instituição de Acolhimento na cidade de Pelotas/RS

Autores

  • Lóry da Silveira Ribeiro Universidade Federal do Rio Grande
  • Josiane Vian Domingues Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.798

Palavras-chave:

Corpos, identidades, Instituição de acolhimento, Meninas

Resumo

Entendendo que os corpos estão sendo produzidos/educados em instituições de acolhimento, através das relações sociais e culturais que as crianças e adolescentes lá estabelecem, este trabalho apresenta como objetivo analisar as narrativas sobre corpo e produção de identidades de meninas em uma instituição de acolhimento na cidade de Pelotas – RS. Para tanto, foram utilizadas as narrativas produzidas pelas meninas moradoras da Casa das Meninas II. Esse trabalho foi construído a partir de uma abordagem dos Estudos Culturais, especificamente utilizando a produção de narrativas enquanto metodologia. Para isso, o grupo focal serviu como ferramenta para a produção dos dados. Enquanto análise, foi possível ponderar que as meninas que estão institucionalizadas, a todo instante trazem um corpo orgânico/ biológico, mas ao mesmo tempo com indícios que ele  é produzido culturalmente, sobretudo, a partir de múltiplas identidades que o atravessam. Além disso, foi possível visualizar também que as meninas produzem os seus corpos a partir das mais variadas identidades, sobretudo em relação ao gênero, onde elas reconhecem os papéis atribuídos a homens e mulheres, entretanto, acabam, por vezes, borrando suas formas hegemônicas. Enfim, por mais que as meninas estejam o tempo inteiro sendo disciplinadas e controladas em suas rotinas diárias nesta instituição, isso não impede que esses corpos escapem e produzam outros sentidos, para além daqueles que são permitidos e institucionalizados.

Biografia do Autor

Lóry da Silveira Ribeiro, Universidade Federal do Rio Grande

Acadêmica do curso de Educação Física Licenciatura da Universidade Federal do Rio Grande. Bolsista do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação da Infância (NEPE);

Josiane Vian Domingues, Universidade Federal do Rio Grande

Licenciada nos cursos de Pedagogia - hab. Anos Iniciais e Educação Física. Mestre e doutora em Educação em Ciências. Pesquisadora do Observatório de Práticas Corporais e Políticas da vida

Referências

BRASIL. Lei nº 8.069 de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília, DF, 1990.

COSTA, Marisa Vorraber. Estudos Culturais–para além das fronteiras disciplinares. In: COSTA. Marisa Vorraber. Estudos culturais em educação: mídia, arquitetura, brinquedo, biologia, literatura, cinema.- 2.ed. Porto Alegre (RS): Ed. da UFRGS, p. 13-36, 2004.

DAOLIO, Jocimar. Os significados do corpo na cultura e as implicações para a Educação Física. In: Movimento, v. 2, n. 2, 1995. Disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2184/902, acesso em outubro de 2017.

FRAGA, Alex Branco. Corpo, identidade e bom-mocismo. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2000.

GATTI, Bernardete Angelina. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. In: Série Pesquisa em Educação. Líber Livro, 2005.

GOELLNER, Silvana. A produção cultural do corpo. In: LOURO, Guacira, NECKEL, Jane e GOELLNER, Silvana. Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis: Vozes, 2003.

LARROSA, Jorge. Tecnologias do eu e educação. In: SILVA, Tomaz Tadeu. O sujeito da educação: estudos foucaultianos. Petrópolis: Vozes, 1994.

LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2. ed., 3ª reimpressão. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

MEYER, Dagmar Estermann. Gênero e educação: teoria e política, In: LOURO, Guacira Lopes; FELIPE, Jane; GOELLNER, Silvana Vilodre. Corpo, Gênero e Sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis: Vozes, 2003

MIRANDA, Rosana Torma. O corpo nas instituições de abrigo. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) Educação Física escolar. Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, 2006.

OLIVEIRA, Luciana Maria Ribeiro de. Crime é “coisa de mulher”: Identidades de gênero e identificações com a prática de crimes em posição de liderança entre mulheres jovens na cidade de Recife/PE. Tese (doutorado em Antropologia). Universidade Federal do Pernambuco, Recife, 2012.

QUADRADO, Raquel Pereira. Adolescentes: corpos inscritos pelo gênero e pela cultura de consumo. Dissertação (mestrado em Educação Ambiental). Universidade Federal do Rio Grande: Rio Grande, 2006.

SOUZA, Nádia Geisa.Silveira O corpo: incrições do campo biológico e do cotidiano. In: Educação & Realidade, v. 30, n. 1, 2005. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/23017/13299, acesso em outubro de 2017.

WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, Tomaz Tadeu; HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

Downloads

Publicado

28/02/2018

Como Citar

Ribeiro, L. da S., & Domingues, J. V. (2018). Corpo e produção de identidades de meninas em uma Instituição de Acolhimento na cidade de Pelotas/RS. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.798

Edição

Seção

Dossiê: ESTUDOS DE GÊNERO, FEMINISMO E SEXUALIDADES