Representações femininas no Cinema brasileiro do século XXI: uma análise de Loucas pra Casar

Autores

  • Giovana dos Passos Colling Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Caroline Pereira Camargo Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.749

Palavras-chave:

cultura, literatura, artes

Resumo

Este artigo propõe compreender as representações da mulher no cinema brasileiro contemporâneo. Busca entender o papel feminino nas tramas cinematográficas, levando em consideração o cinema como reflexo de uma realidade social. Traz autores como Rossini, para tratar do cinema brasileiro hegemônico; Mulvey, com seus estudos sobre as representações femininas na sétima arte e Berardo Bueno, trabalhando os conceitos de arquétipo e estereótipo no cinema. Analisa o filme do gênero comédia Loucas pra Casar a partir de suas personagens femininas, cujas inserções na trama reiteram um papel conferido à mulher na sociedade e no imaginário coletivo. Conclui que, neste caso empírico, é perceptível como o cinema brasileiro reproduz construtos sociais sobre o ser mulher, reafirmando, assim, arquétipos e estereótipos construídos por um discurso patriarcal.

Referências

ALVES, Ana Luíza. A representação feminina no Cinema brasileiro: uma breve história, 2017. Disponível em <http://valkirias.com.br/representacao-feminina-cinema-brasileiro/>. Acesso em: 30 junho 2017.

BERARDO BUENO, Murilo Gabriel. Cinema e Arquétipos Femininos: representação das relações de gênero na filmografia de Tata Amaral. Dissertação de mestrado, UFG, 2012. Disponível em <https://mestrado.fic.ufg.br/up/76/o/Dissertacao_final_em_PDF_MURILO_GABRIEL_BERARDO_BUENO.pdf>. Acesso em: 30 junho 2017.

GUBERNIKOFF, Giselle. A imagem: representação da mulher no cınema. Caxias do Sul: Conexão – Comunicação e Cultura, v. 8, n. 15, p.65-77, jun. 2009.

GUIMARÃES, Ingrid. Entrevista para a Purepeople. 2015. Disponível em <http://www.purepeople.com.br/noticia/ingrid-guimaraes-comenta-papel-em-loucas-para-casar-obsessao-pelo-casamento_a37161/1> Acesso em: 30 junho 2017.

LOUCAS PRA CASAR. Roberto Santucci (Direção), Glaz Entretenimento e Globo Filmes (Produção), 2016. 2h 46min. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=urEqH2XNIbw>. Acesso em: 26 junho 2017.

MENDONÇA, Marua Luiza Martons de; SENTA, Clarissa Raquel Motter Dala. A representação do feminino no Cinema brasileiro contemporâneo: um novo olhar sobre a velhice e o envelhecimento em Chega de Saudade. Revista Razón y Palabra, n° 78, nov 2011. Disponível em <http://www.razonypalabra.org.mx/N/N78/06_MartinsMotter_M78.pdf>. Acesso em: 28 junho 2017.

MULVEY, Laura. Prazer visual e cinema narrativo. In: XAVIER, Ismail (Org.). A experiência do cinema: antologia. Rio de Janeiro: Embrafilme, 1983.

ROSSINI, Miriam de Souza. O corpo da nação: imagens e imaginários no cinema brasileiro. In: Revista Famecos, n° 34, dez 2007.

ROSSINI, Miriam de Souza; OLIVEIRA, Vanessa Kalindra Labre de; NILSSON, Bibiana; ALMEIDA, Guilherme Fumeo. Tendências do Cinema Brasileiro contemporâneo: modelos de produção e de representação. Porto Alegre: Sessões do Imaginário, p.2-11, ago. 2016.

PINA, Neila Renata Silva. Mulher no Cinema brasileiro. Disponível em <http://www.congressods.com.br/anais/gt_06/MULHER%20NO%20CINEMA%20BRASILEIRO.pdf>. Acesso em 28 junho 2017.V Congresso em Desenvolvimento Social, 2016.

SANGION, Juliana. Vale a pena ver de novo? A Globo Filmes e as novas configurações do audiovisual brasileiro na pós-retomada. Tese (Doutorado em Multimeios) Universidade Estadual de Campinas: Campinas, 2011.

Downloads

Publicado

28/02/2018

Como Citar

Colling, G. dos P., & Camargo, C. P. (2018). Representações femininas no Cinema brasileiro do século XXI: uma análise de Loucas pra Casar. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.749

Edição

Seção

Dossiê: ESTUDOS DE GÊNERO, FEMINISMO E SEXUALIDADES