REFLEXÕES SOBRE A RODA DE MEMÓRIA COMO FONTE PARA O ESTUDO DO PATRIMÔNIO INDUSTRIAL USINA TERMOELÉTRICA CANDIOTA I

Autores

  • Rosilene Oliveira Silva Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.743

Palavras-chave:

Patrimônio industrial, Usina Candiota I, Memória

Resumo

Este trabalho analisa a importância do patrimônio industrial Usina Candiota I, especialmente no que se refere às indústrias carboníferas para o município de Candiota (RS). O Centro Cultural Candiota I, o remanescente do antigo complexo carbonífero, situado no pampa gaúcho, no município de Candiota. O local que abrigou um segmento da indústria sul rio-grandense, a indústria carbonífera. O município é conhecido nacionalmente por seu potencial industrial, principalmente no setor carbonífero. Contudo essa realidade, já conta com algumas décadas de história que pode ser contada a partir das memórias dos primeiros operários, que iniciaram suas atividades durante a década de 1960. O presente trabalho objetiva explorar como a roda de memória pode salvaguardar o patrimônio industrial baseado no exemplo de Candiota. Buscamos, em primeiro momento refletir sobre possíveis contribuições da roda de memória para a preservação do patrimônio industrial.

Referências

BOM MEIHY, José e HOLANDA, Fabíola. História Oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto, 2007.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Histórico da cidade de Candiota. IBGE Cidades, 2011.

Disponível:<http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1>

Acesso: 15.08.2017.

CANDAU, Joel. Memória e identidade. 3ºed.(trad. Maria Letícia M. Ferreira). São Paulo: Contexto, 2016.

DENCKER, Ada de Freitas Maneti. Pesquisa em turismo: Planejamento, Métodos e Técnicas. São Paulo: Futura, 1998.

FERREIRA, Maria Letícia Mazzucchi. Patrimônio industrial: lugares de trabalho, lugares de memória. Museologia e patrimônio, Rio de Janeiro, v.2, n.1, p.22-34, jan./jun.2009<.http://revistamuseologiaepatrimonio.mast.br/index.php/ppgpmus/article/viewFile/43/23> Acesso: 28.05.2017.

FRANÇOIS, ETTIENNE. As novas relações entre memória e História após a queda do muro de Berlim. Memória em Rede, v 2, n 2,2010. Disponível: <https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/Memoria/article/view/9553/6393>Acesso: 09.12.2017.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar os projetos de pesquisa. 4º ed. São Paulo: Atlas, 2002.

IPHAE/RS. Bem Tombado: Candiota I. Disponível:<http://www.iphae.rs.gov.br/Main.php?do=BensTombadosDetalhesAc&item=47601> Acesso em: 22.01.2017.

SILVA e MELLO, Leonardo . Patrimônio industrial: passado e presente. Revista eletrônica do Iphan. São Paulo, 2006. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/patrimonio_industrial_passado_e_presente.pdf> Acessado: 24.11.2017.

THE INTERNATIONAL COMMITTEE FOR THE CONSERVATION OF THE INDUSTRIAL HERITAGE (TICCIH). Carta de Nizhny Tagil sobre o patrimônio industrial. Nizhny Tagil, 17 jul. 2003. Disponível em: <http://ticcih.org/wpcontent/uploads/2013/04/NTagilPortuguese.pdf>. Acesso em: 28.09. 2017.

Downloads

Publicado

28/02/2018

Como Citar

Silva, R. O. (2018). REFLEXÕES SOBRE A RODA DE MEMÓRIA COMO FONTE PARA O ESTUDO DO PATRIMÔNIO INDUSTRIAL USINA TERMOELÉTRICA CANDIOTA I. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.743

Edição

Seção

Dossiê: HISTÓRIA, MEMÓRIA E IDENTIDADES