“Bom é ser do Rio”: aspectos sobre a trajetória musical de João Leal Brito na cidade do Rio de Janeiro (1941-1954)

Autores

  • Vinicius Carvalho Veleda Universidade Federal de Pelotas
  • Jonas Moreira Vargas Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.742

Palavras-chave:

Boates, João Leal Brito, música nos anos 1950, trajetória, Rio de Janeiro.

Resumo

O seguinte artigo visa estudar a trajetória do pianista João Leal Brito na cidade do Rio de Janeiro. João começou sua carreira artística em 1935 atuando como pianista na Rádio Cultura, em sua terra natal, Pelotas/RS. Não demorou para ser contratado pela Rádio Farroupilha de Porto Alegre, por onde atuou entre os anos de 1936-1938. Foi para São Paulo no ano seguinte a fim de atuar em rádios e boates da capital paulista. Até que, por volta de 1941, mudou-se para a então Capital Federal, a cidade do Rio de Janeiro, onde permaneceu até seu falecimento em setembro de 1966. Nesta cidade, primeiramente, João Brito integrou a orquestra do maestro Napoleão Tavares, e em 1944 formou seu próprio conjunto. Nestes meados dos anos de 1940, Britinho foi contratado pelas rádios Globo e Tupi. No início da década de 1950, passou a atuar na complexa noite carioca, mais precisamente entre as boates situadas na Zona Sul, em Copacabana. Entre as boates que atuou estão: Perroquet, Vogue e Casablanca. Contudo, foi nesta última boate, que se tornou famoso pianista, arranjador e maestro. Por lá permaneceu por pelo menos dois anos, atuando em oito espetáculos. Para este artigo, propomos, portanto, estudar a participação de Britinho nestas boates entre 1952-1954.

Referências

ALBIN, R. C. Dicionário Houaiss Ilustrado: Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: Paracatu, 2006. (Obra completa)

BOURDIEU, P. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta; AMADO, Janaína. (Orgs.). Usos e abusos da História Oral. 8 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006. pp. 183-92. (Capítulo de livro)

CABRAL, S. MPB na Era do rádio. São Paulo: Lazuli, 2011. (Obra completa)

CARDOSO, S. T. Dicionário Biográfico de Música Popular. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 1965. (Obra completa)

CARDOSO, S. O. & MACHADO, H. L.. “A Galeria do Amor” – cidade, corpo e emoções na música de Agnaldo Timóteo. In: XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Rio de Janeiro. Anais. João Pessoa, 2015. (Trabalho em Anais de Congresso)

CASTRO, R. Chega de saudade: a história e as histórias da Bossa Nova. São Paulo: Companhia das Letras, 1990. (Obra completa)

______. A noite do meu bem: a história e as histórias do samba-canção. São Pauo: Companhia das Letras, 2015. (Obra completa)

CONTIER, A. D. Música no Brasil: História e Interdisciplinaridade. Algumas interpretações (1926-80). In: Anais do XVI Simpósio da Associação Nacional dos Professores de História/ ANPUH/ História em Debate: problemas temas e perspectivas. Rio de Janeiro, 22 a 26 de junho de 1991. (Trabalho em Anais de Congresso)

DOSSE, F. O desafio biográfico: escrever uma vida. São Paulo: Editora da USP, 2009. (Obra Completa)

ESTEPHAN, S. Aníbal Augusto Sardinha, o Garoto (1915-1955) e a Era do Rádio no Brasil. Projeto História, São Paulo, n. 43, pp. 161-83, dez. 2011.

LENHARO, A. Cantores do rádio: a trajetória de Nora Ney e Jorge Goulart e o meio artístico de seu tempo. Campinas: Editora da Unicamp, 1995. (Obra completa)

LEVI, G. A herança imaterial: trajetória de um exorcista no Piemonte do século XVII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000. (Obra Completa)

______. Usos da biografia. In: FERREIRA, Marieta; AMADO, Janaína. (Orgs.). Usos e abusos da História Oral. 8 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006. pp. 167-82.

LOPES, M. A. Foi assim: contribuição para um estudo histórico do samba-canção (1946-1957). 2011. 109 p. Dissertação (Mestrado em História Social), Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011. (Dissertação)

MACHADO, C. & PINHO, F. Memórias sem maquiagem. São Paulo: Cultura, 1978. (Obra completa)

MATOS, M. I. Dolores Duran: experiências boêmias em Copacabana nos anos 50. 2 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. (Obra completa)

MÁXIMO, J. & DIDIER, C. Noel Rosa: uma biografia. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1990. (Obra completa)

MELLO, Z. H. de. & SEVERIANO, J. A canção no tempo: 85 anos de músicas brasileiras. São Paulo: Editora 34, 1997. (2 vols.). (Obra completa)

MESQUITA, C. De Copacabana à Boca do Mato: o Rio de Janeiro de Sérgio Porto e Stanislaw Ponte Preta. Rio de Janeiro: Edições Casa de Rui Barbosa, 2008. (Obra completa)

MORAES, J. G. V.; SALIBA, E. T. (Orgs.). História e música no Brasil. São Paulo: Alameda, 2010. (Capítulo de livro)

NAPOLITANO, M. História & Música: história cultural da música popular. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. (Obra completa)

OLIVEIRA, M. R. Lupicínio Rodrigues: a cidade, a música, os amigos. 1995. 262 p. Dissertação (Mestrado em História), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 1995. (Dissertação)

______. Uma leitura histórica da produção do compositor Lupicínio Rodrigues. 2002. 302 p. Tese (Doutorado em História), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002. (Tese)

SANTOS, J. F. dos. Antônio Maria: noites de Copacabana. 2 ed. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1996. (Obra completa)

SCHMIDT, B. Em busca da terra da promissão: a história de dois líderes socialistas. Porto Alegre: Palmarinca, 2004. (Obra completa)

SANTOS, V. S. M. Minha alma canta, vejo o Rio de Janeiro: a Zona Sul carioca entre crônicas e canções. 2013. 270 p. Tese (Doutorado em História, Política e Bens Culturais), Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro, 2013. (Tese)

Downloads

Publicado

28/02/2018

Como Citar

Veleda, V. C., & Vargas, J. M. (2018). “Bom é ser do Rio”: aspectos sobre a trajetória musical de João Leal Brito na cidade do Rio de Janeiro (1941-1954). RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.742

Edição

Seção

Dossiê: HISTÓRIA, MEMÓRIA E IDENTIDADES