A construção da aproximação: Um estudo sobre a linguagem fílmica em “Histórias que só existem quando lembradas”

Autores

  • Sandra Maria Costa dos Passos Colling Universidade Feevale
  • Michel Rodrigues Borges Universidade Feevale

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.714

Palavras-chave:

Cultura, artes, literatura

Resumo

Resumo

Este estudo tem por objetivo analisar os elementos que compõem o cotidiano das personagens em processo de envelhecimento e como este é apresentado através dos recursos cinematográficos no filme brasileiro Histórias que só existem quando lembradas (MURAT, 2012). As informações para a análise foram levantadas por meio da observação do filme citado e como referencial teórico para a elucidação e discussão do tema foram utilizados os autores Vânia Carneiro de Carvalho, Cleci Eulalia Favaro, Michel Chion e Carlos Gerbase. O estudo aponta que o envelhecimento é carregado de elementos, signos e significados, de histórias e memórias, que são resgatadas através da narrativa, mostrando em especial, como se constroem as relações de aproximação entre as personagens e também do filme com o espectador.

Palavras-Chave: aproximação, cinema, envelhecimento, imagem, narrativa.

Biografia do Autor

Sandra Maria Costa dos Passos Colling, Universidade Feevale

Graduação em Artes Visuais.

Especialização em Arteterapia.

Mestranda em Processos e Manifestações Culturais pela Universidade Feevale.

Michel Rodrigues Borges, Universidade Feevale

Mestrando em Processos e Manifestações Culturais pela Universidade Feevale.

Referências

Referências

CARVALHO, Vânia Carneiro de. Gênero e Artefato: O Sistema Doméstico na Perspectiva da Cultura Material – São Paulo, 1870-1920 / Vânia Carneiro de Carvalho. – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/Fapesp, 2008. 368p.

CHION, Michel. O roteiro de cinema; Tradução Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

FAVARO, Cleci Eulalia. Imagens femininas: contradições, ambivalências, violências. - Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

GERBASE, Carlos. Cinema: primeiro filme: descobrindo, fazendo, pensando. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2012

HISTÓRIAS QUE SÓ EXISTEM QUANDO LEMBRADAS. Produtora: Júlia Murat. Fotografia: Lucio Bonelli. Brasil. Produção: MPM Filmes. Distribuição: Vitrine Filmes, 2012.

MAUSS, Marcel. Sociologia e antropologia. Marcel Mauss / tradução Paulo Neves. – 2ª ed. – São Paulo: Cosac Naify, 2015.

RICOUER, Paul. Tempo e narrativa 2 A configuração do tempo na narrativa de ficção. Tradução Márcia Valéria martinez de Aguiar; revisão da tradução Claudia Berliner. - São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

Downloads

Publicado

28/02/2018

Como Citar

Colling, S. M. C. dos P., & Borges, M. R. (2018). A construção da aproximação: Um estudo sobre a linguagem fílmica em “Histórias que só existem quando lembradas”. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.714

Edição

Seção

Dossiê: LITERATURA, LINGUAGENS E ARTES