Associação Cruzeiro Jaguarense em Jaguarão RS (1881-2016): Entre a História e a Memória

Autores

  • Alan Dutra de Melo Universidade Federal do Pampa/Universidade Federal de Pelotas http://orcid.org/0000-0002-3734-8727
  • Ronaldo Bernardino Colvero Universidade Federal do Pampa/Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.679

Palavras-chave:

Associação Cruzeiro Jaguarense, História, Jaguarão, Memória.

Resumo

O estudo em questão faz parte da tese em andamento, desenvolvida no Curso de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural, vinculado à Universidade Federal de Pelotas, sobre a Associação Cruzeiro Jaguarense, situada em Jaguarão, mais conhecida como Clube Jaguarense, cuja sede central está localizada no centro da cidade, dentro do perímetro da zona de tombamento realizado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e que encontra-se desde 2011 interditado devido a queda da cobertura, que embora recomposta não possibilitou o seu uso pleno. Trata-se de exemplar identificado pelo órgão mencionado como de proteção rigorosa. O objetivo do estudo é compreender a importância do clube para a cidade à partir da metodologia do estudo que é de natureza interdisciplinar com enfoque qualitativo, utilizando como fonte principal os jornais à partir do século XIX e entrevistas realizada com pessoas com vinculação a entidade.  Os resultados, apontam para a importância do bem cultural, destacando a materialidade como suporte de memória. As memórias, por sua vez, são associadas ao bem associadas ao bem como integrantes do patrimônio imaterial da entidade. Além disso, o estudo revelou vínculos com a história, especialmente no final do século XIX, durante a suas origens como Club Jaguarense, fundado em 1881.

Biografia do Autor

Alan Dutra de Melo, Universidade Federal do Pampa/Universidade Federal de Pelotas

Professor Assistente II da Universidade Federal do Pampa - Câmpus Jaguarão. Doutorando em Memória Social e Patrimônio Cultural pela Universidade Federal de Pelotas (2014 - 2018) . Foi coordenador do Curso de Bacharelado em Produção e Política Cultural (2013-2014) e do Curso de Especialização em Culturas, Cidade e Fronteiras (2012). Professor nos Cursos de Bacharelado em Produção e Política Cultural e no de Tecnologia de Gestão em Turismo. Foi coordenador Programa de Educação Tutorial PET Produção e Política Cultural (2013-2015). Mestre em Memória Social e Patrimônio Cultural (UFPel). Especialista em Sociologia e Política (UFPel). Possui Graduação em Direito (UFPel). A área de atuação inclui as seguintes áreas: Patrimônio Cultural, Turismo Cultural, Paisagem Urbana, Plano Diretor, Cidade, Política Cultural, Educação Patrimonial e Direito Urbanístico. Desde 2015 é membro associado do Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Monumentos e Sitios ICOMOS Brasil e também pesquisador associado do Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura CLAEC.

 

Ronaldo Bernardino Colvero, Universidade Federal do Pampa/Universidade Federal de Pelotas

Possui graduação em Estudos Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1998), graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1999), mestrado em História pela Universidade de Passo Fundo (2003) e doutorado em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2009). É professor adjunto na Universidade Federal do Pampa, atuando no curso de Ciências Sociais - Ciência Política e Licenciatura em Ciências Humanas, atualmente professor do Pós-Graduação de Políticas Públicas da Universidade Federal do Pampa e do Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio da Universidade Federal de Pelotas. Desde 2003 vem participando, elaborando e orientando projetos de pesquisa nas áreas de História, Relações Internacionais, Ciências Sociais, Ciência Política, Educação, Memória, Patrimônio e Políticas Públicas.

Referências

ANDERSON, B. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BLOG da professora Fátima. Docência em movimento. http://brfatima.blogspot.com.br/ acesso em 13/07/2017

BOTELHO, I. S. Entre danças e Tramas: os espaços de sociabilidade e os fundadores do Clube Social Harmonia Jaguarão (1882-1890). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso, Licenciatura em História. Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Jaguarão, 2016.

BOTELHO, I. S. Entre danças e Tramas: os espaços de sociabilidade e os fundadores do Clube Social Harmonia Jaguarão (1882-1890). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso, Licenciatura em História. Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Jaguarão, 2016.

BOTH, A. C. A trama que sustentava o Império: mediação entre as elites locais e o Estado Imperial Brasileiro (Jaguarão, segunda metade do século XIX). 2016. Porto Alegre. Dissertação de Mestrado em História. Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre.

CARVALHO, J. M. Cidadania no Brasil. O longo Caminho. 3ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

EU, Conde D’. Viagem Militar ao Rio Grande do Sul. Companhia Editora Nacional: São Paulo, 1936). Fonte: Disponível em:<http://www.brasiliana.com.br/obras/viagem-militar-ao-rio-grande-do-sul acesso em 14/07/2017>. Acesso em: 21/07/2017.

CUSTÓDIO, L. A. et al. Roteiros de Arquitetura da Costa Doce – Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Editora SEBRAE, 2009.

ENSSLIN, L. C. Ecletismo arquitetônico em Jaguarão: um estudo de caso (1870-1940). 2005. 115 f. Dissertação, Mestrado em Arquitetura. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2005. Fonte: Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/4458/000501515.pdf?sequence=1>. Acesso em: 25/07/2017.

FRANCO, S. da C. Gaúchos na academia de Direito de São Paulo no século 19. Revista Justiça e História. s.d. Fonte: Disponível em: <https://www.tjrs.jus.br/export/poder_judiciario/historia/memorial_do_poder_judiciario/memorial_judiciario_gaucho/revista_justica_e_historia/issn_16765834/v1n1_2/doc/04._Sergio_Franco.pdf>. Acesso em: 21/05/2017

GRAY, D. Pesquisa no mundo real. 2. Ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Jaguarão. Acesso em 07/08/2016. www.ibge.gov.br

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL – IPHAN. Dossiê para o tombamento do centro histórico do município de Jaguarão. Fonte: Disponível em: <http://wp.ufpel.edu.br/sigwebjaguarao/files/2014/09/Dossi%C3%AA-Tombamento-Jaguar%C3%A3o.pdf>. Acesso em: 14/07/2017.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL – IPHAN. Iphan.gov.br acesso em 24/11/2017.

JAGUARÃO. Apontamentos para um monografia em Jaguarão.: 2. Exposição AgroPecuária. Porto Alegre: Intendência Municipal de Jaguarão, 1912.

JAGUARÃO. Processo Prefeitura Municipal 2771/2014-21927 aberto em 22/04/2014 denominado PAC Cidades Históricas – Clube Jaguarense.

JUSBRASIL. https://www.jusbrasil.com.br/home acesso em 30/07/2017

MARTINS, R. D. A ocupação do espaço na fronteira Brasil-Uruguai: a construção da cidade de Jaguarão. 2001. 271 f. Tese, Doutorado em Histórias Especializadas. Universidade Politécnica da Catalunha, Espanha, 2001. Fonte: Disponível em: <http://upcommons.upc.edu/handle/2117/93390>. Acesso em: 25/07/2017.

MIRANDA, W. M. Arquitetura e urbanismo na fronteira Brasil / Uruguai: espaco comercial construido em Jaguarao / Rio Branco (1800-1940). Pelotas, 2000. 419f. Tese (Doutorado em Integracao Regional) - Universidade Federal de Pelotas.

PELOTAS. Prefeitura Municipal de Pelotas. Praça Cipriano Barcelos. http://www.pelotas.rs.gov.br/noticias/detalhe.php?controle=MjAxMi0wNi0yMA==&codnoticia=31285 acesso em 13/07/2017

RIZZON, C. Tempos e lugares do regionalismo. Fonte: http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/Ebooks/Web/978-85-397-0198-8/Trabalhos/15.pdf acesso em 29/07/2017

RODRIGUES, C. R. Sociedade Harmonia Jaguarão – um século de história. Cadernos Jaguarenses. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Jaguarão/Prefeitura municipal de Jaguarão. Jaguarão, 1990. p. 63-79.

SOARES, E. Á. de S. Edição comemorativa ao Sequicentenário da Resistência ao Ataque Blanco a Jaguarão em 27 de janeiro de 1865. Porto Alegre: Evangraf, 2015.

SILVA, E. S. Ensino de Direito no Brasil: perspectivas históricas gerais. s.d. Fonte: Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/pee/v4n1/v4n1a08 acesso em 21/05/2017>. Acesso em: 25/07/2017.

VARGAS, J. M. Entre a paroquia e a corte: uma análise da elite política do Rio Grande do Sul (1868-1889). 2007. 279 f. Dissertação, Mestrado em História. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007. Fonte: Disponível em: <http://observatory-elites.org/wp-content/uploads/2011/11/Vargas-Paroquia-Corte-UFRGS.pdf>. Acesso em: 25/07/2017.

Downloads

Publicado

28/02/2018

Como Citar

Melo, A. D. de, & Colvero, R. B. (2018). Associação Cruzeiro Jaguarense em Jaguarão RS (1881-2016): Entre a História e a Memória. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 4. https://doi.org/10.23899/relacult.v4i0.679

Edição

Seção

Dossiê: HISTÓRIA, MEMÓRIA E IDENTIDADES

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>