Práticas e Políticas Educacionais na América Latina

Autores

  • Alessandra Fontes Carvalho da Rocha Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Washington Kuklinski Pereira Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME-RJ) e Fundação de Estudos do Mar (FEMAR)

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.653

Palavras-chave:

Educação, Políticas Educacionais, Práticas Educacionais, América Latina, Processo ensino-aprendizagem

Resumo

As políticas públicas de educação ao redor do mundo estão passando por um processo de padronização internacional – destacamos, por exemplo, o sistema PISA (Programme for International Studant Assiment). Na contramão dessas ações de mecanização do processo de ensino-aprendizagem, professores procuram promover práticas educativas que priorizam a formação crítica, lúcida e reflexiva dos estudantes. Ao submetermos uma proposta de simpósio ao I Seminário Latino-Americano de Estudos em cultura, o nosso interesse foi, além de problematizar questões referentes à educação, construir um espaço de discussão e reflexão sobre tal temática vislumbrando possibilidades de trabalhos e ações que tivessem como eixo norteador a quebra do paradigma normativo das atuais políticas de padronização do processo ensino-aprendizagem. Com esse intuito, surge o Simpósio Temático – 08, intitulado Práticas e Políticas Educacionais na América Latina, que teve como objetivo principal reunir pesquisadores, principalmente professores-pesquisadores, e licenciandos em formação que discutissem as políticas de educação atuais e trouxessem relatos de experiência sobre suas práticas educacionais no Ensino Fundamental, Ensino Médio e Ensino Superior. É a partir desses apontamentos e interesses que apresentamos neste artigo as reflexões empreendidas durante os três dias de encontro no nosso simpósio.

 

 

Biografia do Autor

Alessandra Fontes Carvalho da Rocha, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Estudos de Literatura; professora de Didática e Prática de Ensino Português – Literaturas; Universidade Federal do Rio de Janeiro; Rio de Janeiro; Rio de Janeiro; Brasil; contato: profa.alessandra.fontes@gmail.com

Washington Kuklinski Pereira, Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME-RJ) e Fundação de Estudos do Mar (FEMAR)

[1] Doutor em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; Professor da Fundação de Estudos do Mar;Professor da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, atuando nas escolas Frei Gaspar e Comunidade Vargem Grande; Contato: prof.washington.kuklinski@gmail.com

Referências

ARAÚJO, Inês L. Da “pedagogização” à educação: acerca de algumas contribuições de Foucault e Habermas para a filosofia da educação. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 3, n. 7, p. 75-88, set./dez. 2002.

ARROYO, Miguel. Outros Sujeitos, Outras Pedagogias. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio. Brasília: MEC, 2000.

______. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental: Língua Portuguesa. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. ______. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: Língua Portuguesa. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

FANON, Frantz. Os Condenados da Terra. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Trad. Lígia M. Ponde Vassalo. Petrópolis: Vozes, 1987.

FREIRE, Paulo. A educação como prática da liberdade. 23ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

_______. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43ª ed., São Paulo: Paz e Terra, 2011.

_______. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

_______. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. 1ª ed. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. 5ª edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

MATTOS, Ilmar Rohloff de. O Tempo Saquarema: a formação do Estado Imperial. Rio de Janeiro: Access-Editora, 1999.

MEDINA, João Paulo. O brasileiro e seu corpo: educação e política do corpo. Campinas: Papirus, 2000.

MORAIS, Regis de. Sala de aula: que espaço é esse? Ed. Papirus, 1994.

NETO, João Colares da Mota. Paulo Freire e o pós-colonialismo na educaçãoPopular latino-americana. Revista Educação Online nº 14, p.25-38 , ago./dez. de 2013.

NORTON, C. Os mecanismos da escrita criativa. Lisboa: Temas e Debates – Actividades editoriais, 2001.

NOVASKI, Augusto João Crema. Sala de aula: uma aprendizagem do humano. In.: MORAIS, Regis de. Sala de aula: que espaço é esse? Ed. Papirus, 1994.

RINCÓN, Lenin González. Neocolonialismo pedagógico VS Educación libertadora nuestroamericana. In: Portal Aporrea. Disponível em: https://www.aporrea.org/educacion/a186225.html

VASCONCELOS, Maria Lúcia M. C.; BRITO, Helena Pires de. Conceitos de educação em Paulo Freire. 3. ed. Petrópolis/RJ: Vozes; São Paulo: Mack Pesquisa, Fundo Mackenzie de Pesquisa, 2009.

Downloads

Publicado

31/12/2017

Como Citar

Rocha, A. F. C. da, & Pereira, W. K. (2017). Práticas e Políticas Educacionais na América Latina. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 3(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.653

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo