Descolonização da escola e questão indígena: porque e para quem?

Autores

  • Taíse Chates IFBA/UFSCar

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.623

Palavras-chave:

Descolonização da escola, Descolonização do saber, etnologia indígena, Lei 11.645/08.

Resumo

O texto busca apresentar o objeto da pesquisa de doutorado, em fase inicial no Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal de São Carlos, intitulada “A descolonização do saber e a escolarização: Educação escolar indígena e a Lei 11.645/08”, aprofundando elementos indispensáveis à investigação do tema proposto. A pesquisa em questão terá como foco a temática indígena, com observação participante no contexto escolar indígena junto ao povo pataxó de Coroa Vermelha, bem como no contexto não indígena, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia – Campus Porto Seguro e em escolas da rede municipal e estadual de Salvador. Com base na discussão sobre a descolonização da escola, a investigação tem como foco como a questão indígena é abordada no contexto escolar e em que medida está inclusa na reconfiguração constante do sistema escolar. Porém, como analisar um processo tão complexo como o de descolonização, partindo do pressuposto de que a escola é uma instituição social originalmente não-indígena e, ao mesmo tempo, vem sendo utilizada por povos indígenas em prol de suas demandas e interesses, como se observa na ampla literatura sobre educação escolar indígena? Esta é a questão central sobre a qual se debruça o texto aqui apresentado, visando utilizar dados já acessados após a escrita do projeto de doutorado, bem como reflexões teórico-metodológicas sobre a temática abordada.

O texto busca apresentar o objeto da pesquisa de doutorado, em fase inicial no Programa de Pós-Graduação emAntropologia da Universidade Federal de São Carlos, intitulada “A descolonização do saber e a escolarização:Educação escolar indígena e a Lei 11.645/08”, aprofundando elementos indispensáveis à investigação do temaproposto. A pesquisa em questão terá como foco a temática indígena, com observação participante no contextoescolar indígena junto ao povo pataxó de Coroa Vermelha, bem como no contexto não indígena, no InstitutoFederal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia – Campus Porto Seguro e em escolas da rede municipal eestadual de Salvador. Com base na discussão sobre a descolonização da escola, a investigação tem como fococomo a questão indígena é abordada no contexto escolar e em que medida está inclusa na reconfiguraçãoconstante do sistema escolar. Porém, como analisar um processo tão complexo como o de descolonização,partindo do pressuposto de que a escola é uma instituição social originalmente não-indígena e, ao mesmo tempo,vem sendo utilizada por povos indígenas em prol de suas demandas e interesses, como se observa na amplaliteratura sobre educação escolar indígena? Esta é a questão central sobre a qual se debruça o texto aquiapresentado, visando utilizar dados já acessados após a escrita do projeto de doutorado, bem como reflexõesteórico-metodológicas sobre a temática abordada.

Biografia do Autor

Taíse Chates, IFBA/UFSCar

Possui licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (2008) e mestrado em Antropologia pela Universidade Federal da Bahia (2011). Atualmente é professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - IFBA e doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de São Carlos. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em etnologia, atuando principalmente nos temas educação indígena e educação escolar indígena, bem como na temática indígena na escola, com foco na Lei 11.645/08.

Referências

BONFIM, Anari Braz; COSTA, Francisco Vanderlei Ferreira da. Revitalização de língua indígena e educação escolar indígena inclusiva. Salvador: Empresa Gráfica da Bahia/EGBA, 2014.

CHATES, Taíse de Jesus. Ensino de sociologia e Lei 11.645/08: experiências de ensino, pesquisa e extensão no IFBA. Em Debate, Florianópolis, n. 14, p. 122-139, ago. 2016. ISSN 1980-3532. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/emdebate/article/view/1980-3532.2015n14p122>. Acesso em: 09 ago. 2017. doi:http://dx.doi.org/10.5007/1980-3532.2015n14p122.

________, Taíse de Jesus. A domesticação da escola realizada por indígenas: uma etnografia histórica sobre a educação e a escola Kiriri. Salvador.Dissertação(Mestrado em Antropologia)-Universidade Federal da Bahia, 2011.

CORREIA, Juliana Santos. Experiência e perspectiva da estudante indígena no Curso Técnico Integrado em Biocombustíveis no IFBA Campus Porto Seguro / BA. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso Técnico Integrado ao Médio em Biocombustíveis). Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, 2015.

GOLDMAN, Marcio. Quinhentos anos de contato: por uma teoria etnográfica da (contra)mestiçagem. Mana [online]. 2015, vol.21, n.3 [cited 2017-08-09], pp.641-659. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132015000300641&lng=en&nrm=iso>. ISSN 0104-9313. http://dx.doi.org/10.1590/0104-93132015v21n3p641.

GRANDE, Sandy. Red Pedagogy: Native American social and political thought. Oxford: ROWMAN & LITTLEFIELD PUBLISHERS, INC, 1964. HAMMERSLEY, M. & ATKINSON, P. Ethnography: principles and practice. 2 ed. London; New York: Routledge, 1995.

LUCIANO, Gersem dos Santos. O Índio Brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade; LACED/Museu Nacional, 2006.

MIGNOLO, Walter. Desobediência Epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Cadernos de Letras da UFF – Dossiê: Literatura, língua e identidade. n. 34, p. 287-324, 2008.

WALSH, Catherine (Ed.). Pedagogías decoloniales: prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Tomo I. Quito, Ecuador: Ediciones Abya-Yala, 2013.

Downloads

Publicado

31/12/2017

Como Citar

Chates, T. (2017). Descolonização da escola e questão indígena: porque e para quem?. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 3(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.623

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo