Como se constrói territorialmente a descolonialidade nas políticas públicas? Reflexões sobre a Cultura Viva Comunitária na Argentina

Autores

  • Juan Ignacio Brizuela Universidade Federal da Bahia - UFBA
  • José Márcio Barros Universidade Estadual de Minas Gerais - UEMG

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.593

Palavras-chave:

Cultura Viva Comunitária, Descolonialidade, Diversidade Cultural, Políticas Culturais, Território

Resumo

Pretendemos refletir neste texto sobre a construção territorial da Cultura Viva Comunitária na Argentina, dando visibilidade aos diversos interesses e projetos políticos em disputa na atualidade. Embasamos estas ponderações nas práticas culturais, artísticas e intelectuais de organizações territoriais de base sedimentadas em localidades suburbanas e metropolitanas da província de Buenos Aires. Estes grupos comunitários estão vinculados ao movimento da Cultura Viva Comunitária na América Latina, além de participar de redes de cooperação cultural latino-americanas e caribenhas. Observamos nestas instituições culturais uma construção territorial autônoma que se relaciona de forma contraditória com os territórios estatais, empresariais e do resto das organizações da sociedade civil. O território, tradicionalmente associado ao Estado, se manifesta de formas difusas, cooperativas e conflitantes nestas instituições culturais, explicitando uma complexidade na construção de políticas públicas da cultura que merece um estudo aprofundado. Sendo assim, destacamos uma indissociabilidade entre território e políticas culturais, registrando o conjunto de intervenções que se disputam o poder material e simbólico – geográfico no sentido amplo – nos aglomerados onde atuam estes grupos artísticos organizados. Finalmente, nos perguntamos sobre a possibilidade de uma construção territorial descolonial nas políticas públicas para a diversidade na América Latina e quais os desdobramentos teóricos e práticos desta alternativa.

Referências

BALDONI, César (Comp.). La democracia que queremos es posible: el movimiento por la Carta Popular. Buenos Aires: CTA Ediciones, 2011.

BITTNER, Astrid Cecilia; FAISAL Valeria Inés. Alianza Metropolitana de Arte y Transformación Social: análisis de una experiencia de trabajo en red. Tesina de grado. Lic. Ciencias de la Comunicación Social, Universidad de Buenos Aires (UBA). Tutora prof. Daniela Bruno. Dezembro 2007. 103 p.

BUENOS AIRES. Informe sobre Desarrollo Humano en la Provincia de Buenos Aires 2004-2005. La Plata: Fundación Banco de la Provincia de Buenos Aires, 2005. Disponível em: <http://hdr.undp.org/sites/default/files/argentina_buenos_aires_2004_2005_sp.pdf> Acesso em: 10 ago. 2017.

GARCÍA CANCLINI, Néstor. Introducción. Políticas Culturales y crisis de desarrollo: un balance latinoamericano. In: GARCÍA CANCLINI, N. (ed.). Políticas Culturales en América Latina. México: Grijalbo, 1990 [1987].

HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do fim dos “territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006 [2004].

KUSCH,Rodolfo. El Hedor de América. In: TASAT, J.; PEREZ, P. (coord.). El Hedor de América: Reflexiones interdisciplinarias a 50 años de la América Profunda de Rodolfo Kusch. Buenos Aires: UNTREF-CCC, 2013. p. 35-36 [1961].

_____________. América Profunda. Rosario: Fund. Ross, 2012 [1962].

OCHOA, Ana María. Políticas culturales, academia y sociedad. In: MATO, D. (coord.): Estudios y Otras Prácticas Intelectuales Latinoamericanas en Cultura y Poder. Caracas: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO) y CEAP, FACES, Universidad Central de Venezuela. p. 213-224.

SANTINI, Alexadre. Cultura Viva y la construcción de un repertorio común para las políticas culturales en América Latina. Programa Iberculturaviva da OEI. Brasília, 21 set. 2015. Disponível em: <http://iberculturaviva.org/cultura-viva-e-a-construcao-de-um-repertorio-comum-para-as-politicas-culturais-na-america-latina/?lang=es> Acesso em: 10 ago. 2017.

SANTOS, Milton. Território e sociedade: Entrevista com Milton Santos. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2000.

______________. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4ª ed. 7ª reimp. São Paulo: Edusp, 2012 [1996].

YÚDICE, George. El recurso de la cultura: Usos de la cultura en la era global. Barcelona: Gedisa, 2002.

Downloads

Publicado

31/12/2017

Como Citar

Brizuela, J. I., & Barros, J. M. (2017). Como se constrói territorialmente a descolonialidade nas políticas públicas? Reflexões sobre a Cultura Viva Comunitária na Argentina. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 3(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.593

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo