As fronteiras do pensamento nômade: (i/e)mergir para a teorização epistolográfica

Autores

  • francine carla de salles cunha rojas UFMS

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.557

Palavras-chave:

teoria da carta, teorização, fronteira.

Resumo

A presente explanação desenvolve-se a partir das (MIGNOLO, 2003) cartas publicadas do escritor mineiro Fernando Sabino: Cartas na mesa (2002), Cartas a um jovem escritor e suas respostas (2003) e Cartas perto do coração (2011). Lidas em conjunto e de forma linear as cartas são (des)locadas de seu lócus (abstrato) original, isto é, o espaço intimo da convivência com os amigos. Tal fato já indica relevante característica do texto epistolar sinalizado no título da explanação, “pensamento nômade”, trata-se de uma metáfora fornecida por Brigitte Diaz em seu livro O gênero epistolar ou o pensamento nômade (2016) e que evoca, de forma apropriada, a natureza andarilha das cartas. Uma outra metáfora necessária e que transcende o texto é a das “teorias itinerantes” (MIGNOLO, 2003), sua presença justifica-se ao provocar reflexões em torno da teorização epistolográfica, visto que várias teorias já viajaram por cartas, como a psicanalise, fato que Jacques Derrida em Mal de arquivo (2001) menciona, e as considerações modernistas presente nas cartas de intelectuais como Mário de Andrade. Mas, e a teoria da carta? Terá ela viajado através do texto epistolar? Ou então foi forçada a, tal como um intruso, viajar a reboque nos espaços liminares da teorias européias? Ou, então, sua viajem foi inviabilizada justamente por ser “teoria” e não teorização?. Leitura essencialmente metafórica está envolta nas considerações de Walter Mignolo em Histórias locais/projetos globais (2003) acerca da dupla natureza da fronteira, geográfica e epistemológica, a fim de sustentar que a teorização epistolar nasce a partir das fronteiras

Biografia do Autor

francine carla de salles cunha rojas, UFMS

doutoranda em Letras pela UFMS campus de Três Lagoas

Referências

ANDRADE, Mário de; SABINO, Fernando. Cartas a um jovem escritor e suas repostas. Rio de Janeiro: Record, 2003.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Trad. Myriam Ávila. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010. (Humanitas).

DIAZ, Brigitte. O gênero epistolar ou o pensamento nômade: formas e funções da correspondência em alguns percursos de escritores no século XIX. Trad. Sandra Ferreira. São Paulo: EDUSP, 2016.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Trad. Myriam Ávila. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010. (Humanitas).

LISPECTOR, Clarice; SABINO, Fernando. Cartas perto do coração. Rio de Janeiro: Record, 2011.

MIGNOLO, Walter. Histórias locais/projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Trad. Solange Ribeiro de Oliveira. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. (Humanitas).

SABINO, Fernando. Cartas na mesa. Rio de Janeiro: Record, 2002.

SOUZA, Eneida M. de. Janelas indiscretas: ensaio de crítica biográfica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

Downloads

Publicado

31/12/2017

Como Citar

rojas, francine carla de salles cunha. (2017). As fronteiras do pensamento nômade: (i/e)mergir para a teorização epistolográfica. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 3(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.557

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo