BIOgeografias na Fronteira Sul (Brasil/Paraguai/Bolívia)

Autores

  • Marcos Antônio Bessa-Oliveira UEMS - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul/ NAV(r)E - Núcleo de Artes Visuais em (re)Verificações Epistemológicas http://orcid.org/0000-0002-4783-7903

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.541

Palavras-chave:

biogeografias, bovinocultura, bovinoculturismo, Mato Grosso do Sul, pós-colonialidade

Resumo

A produção artística de Mato Grosso do Sul esteve nos últimos anos vinculada a duas noções de arte e cultura bovinas: uma, a bovinocultura como repertório cultural das produções artísticas; outra, o bovinoculturismo como modelo para as produções artísticas. Ambas “culturas bovinas” – bovinocultura e bovinoculturismo – esboçam opções de discussões acerca das questões às quais estão envoltas. Uma delas, à bovinocultura, é que esta noção está relacionada com trabalhos artísticos que se valem do boi como característica cultural intrínseca às biogeografias fronteiriças dos sul-mato-grossenses. Já o bovinoculturismo, podemos dizer que uma de suas noções na cultura está posta por uma sistematização de controle dos sujeitos dessas biogeografias das produções artísticas locais nessa mesma fronteira sul. A primeira toma da “imagem” do boi como paisagem biográfica constituinte da cultura local, enquanto a segunda se vale do boi real a partir das relações mercadológicas instauradas pelo/do agronegócio em que o boi vale mais que uma vida (in)(h)umana. Portanto, tomando dessas primeiras ideias, este trabalho quer discutir acerca da “cultura do boi” como repositório cultural e como controle da cultura local sul-mato-grossense nessa tríplice fronteira (Brasil/Paraguai/Bolívia) a partir das noções de biogeografia e paisagens biográficas como epistemes para uma arte descolonial. Nesse sentido, a ideia é discutir trabalhos artísticos e as biogeografias dessa fronteira sul, nas diferentes linguagens com suas identidades, que estão produzindo arte e conhecimento e circulando entre os espaços, tomando como ilustração a “imagem” – simbólica ou real – do boi, para produção ou inscrição.

Biografia do Autor

Marcos Antônio Bessa-Oliveira, UEMS - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul/ NAV(r)E - Núcleo de Artes Visuais em (re)Verificações Epistemológicas

Graduado em Artes Visuais e Mestre em Estudos de Linguagens pela UFMS - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Doutor em Artes Visuais pelo IAR - UNICAMP. É professor do curso de Graduação em Artes Cênicas (TEATRO e DANÇA) da e do PROFEDUCA – Programa de Mestrado Profissional em Educação – UEMS - Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul – na Cadeira de Artes Visuais ministrando as disciplinas de História da Arte, Artes Visuais, Itinerários Científicos III, Arte e Cultura Regional, Arte Educação, Itinerários Científicos IV para os 1º, 3º e 4º anos do curso. É líder do Grupo de Pesquisa NAV(r)E – Núcleo de Artes Visuais em (re)Verificações Epistemológicas – UEMS/UEMS. É membro do NECC – Núcleo de Estudos Culturais Comparados – UFMS e do Núcleo de Estudos Visuais – UNICAMP.

Referências

ANJOS, Moacir dos. A arte brasileira e a crise de representação. Revista ZUM/IMS – Revista de Fotografia. São Paulo: Instituto Moreira. Publicado em: 07 de julho de 2017, p. 1-6. Disponível em: http://revistazum.com.br/colunistas/crise-de-representacao/. Acesso em: 10 jul. 2017.

BHABHA, Homi K.. DissemiNação: o tempo, a narrativa e as margens da nação moderna. In: _____. O local da cultural. Tradução Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis, Gláucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998. p. 198-238.

Autor; NOLASCO, Edgar Cézar. “Entre saudades e contaminações: o artista à procura de um olhar perdido em Mato Grosso do Sul”. RAÍDO - Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), v. 4, n. 7, p. 181-205, jan./jun. 2010. ISSN 1984-4018. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/Raido/article/view/576/531. Acesso em: 22 jul. 2017.

Autor. BIOGEOGRAFIAS OCIDENTAIS/ORIENTAIS: (i)migrações do bios e das epistemologias artísticas no front. Cadernos de Estudos Culturais: Ocidente/Oriente: migrações, Campo Grande, MS: Ed. UFMS, v. 8. n. 15. p. 97-144, , jan.-jun., 2016.

Autor; NOLASCO, Edgar Cézar. Do moderno ao contemporâneo, o boi insiste em manter-se personagem da obra de arte sul-mato-grossense. Porto arte: revista de Artes Visuais. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Artes. Programa de Pós-graduação em artes Visuais. 20, n. 34, maio 2015, p. 69-88. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/PortoArte/article/view/62311. Acesso em: 18 de jul. 2017.

_____. HOMEMCOMOIMAGEM: uma leitura visual imagético/real dos trabalhos de conclusão da disciplina TIN/2016 dos alunos do 3o ano do curso de artes cênicas – UEMS. Revista da FUNDARTE / Fundação Municipal de Artes de Montenegro – FUNDARTE. – ano 17, n. 33 (Jan./Jul. 2001). Montenegro, RS: Ed. da FUNDARTE, 2017, p. 70-92. Disponível em: http://seer.fundarte.rs.gov.br/index.php/RevistadaFundarte/article/view/445. Acesso em: 18 de jul. 2017.

Autor. Três décadas de arte em Mato Grosso do Sul: balanços e desafios futuros. In: Autor; TORCHI-CHACAROSQUI, Gicelma da Fonseca (Orgs.). Misturas e diversidades: reflexões diversas sobre arte e cultura contemporâneas. São Carlos, SP: Pedro & João Editores, 2012. p. 73-92.

CANTON, Katia. Tempo e memória. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009. [Coleção temas da arte contemporânea].

_____. Narrativas enviesadas. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009. [Coleção temas da arte contemporânea].

CAUQUELIN, Anne. A invenção da paisagem. Tradução Marcos Marcionilo. São Paulo: Martins, 2007. (Coleção Todas as Artes).

Home Page – Facebook – Confraria Socioartista. Disponível em: https://www.facebook.com/pg/confrariasociartista/photos/?ref=page_internal. Acesso em: 23 maio de 2017.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. Trad. Miriam Chnaiderman e Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 2008. (Estudos; 16).

_____. A escritura e a diferença. [tradução Maria Beatriz Marques Nizza da Silva, Pedro Leite Lopes e Pérola de Carvalho]. 4. ed.. São Paulo: Perspectiva, 2009. (Estudos; 271 / dirigida por J. Guinsburg).

_____. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Trad. Claudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

FIGUEIREDO, Aline. Arte aqui é mato. Cuiabá: Editora da UFMT, 1990.

GARCIA, Pedro Guilherme. “Pedro Guilherme Garcia: “Governo e prefeitura não adquirem nossas obras””. Entrevista postada em 16 de maio de 2017. In: FRAGA, Alex. Blog do Alex Fraga. Disponível em: http://blogdoalexfraga.com.br/2017/05/16/entrevistapedroguilherme/. Acesso em: 17 de maio de 2017, p. 1-7.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, nº2, p. 15-46, jul./dez. 1997. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71361. Acesso em: 18 de jul. 2017.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Organização Liv Sovik; Tradução Adelaina La Guardia Resende ... [et al]. Belo Horizonte: Editora UFMG; Brasília: Representação da UNESCO no Brasil, 2003. (Humanitas).

HISSA, Cássio Eduardo Viana. A mobilidade das fronteiras: inserções da geografia na crise da modernidade. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002. (Humanitas).

PEDROSA, Mario. In: Humberto Espíndola – 20 anos de Bovinocultura. Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 1987. Disponível em: http://www.humbertoespindola.com.br/001-index_frameset.htm. Acesso em: 18 maio de 2017.

MIGNOLO, Walter D.. Histórias locais / projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamente liminar. Tradução Solange Ribeiro de Oliveira. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

MIGNOLO, Walter D.. Habitar los dos lados de la frontera/teorizar en el cuerpo de esa experiencia. Revista IXCHEL. Volúmen I, San José, Costa Rica, 2009, p. 1-22. Disponível em: http://www.revistaixchel.org/attachments/047_Habitar%20los%20dos%20lados%20art_%20Walter%20Mignolo.doc%29.pdf – acessado em: 30 de maio de 2013. Acesso em: 18 de jul. 2017.

NOLASCO, Edgar Cézar. Contrabando cultural. In: Autor; TORCHI-CHACAROSQUI, Gicelma da Fonseca (Orgs.). Misturas e diversidades: reflexões diversas sobre arte e cultura contemporâneas. São Carlos, SP: Pedro & João Editores, 2012. p. 29-39.

REVISTA DASARTES. AGENDA – Evandro Prado | JB Goldenberg Escritório de Arte. Disponível em: http://dasartes.com.br/agenda/evandro-prado-jb-goldenberg-escritorio-de-arte/. Acesso em: 15 julho de 2017.

Downloads

Publicado

31/12/2017

Como Citar

Bessa-Oliveira, M. A. (2017). BIOgeografias na Fronteira Sul (Brasil/Paraguai/Bolívia). RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 3(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.541

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo