Globalização por Caminhões

Autores

  • Tayna Tagliati Souza Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.536

Palavras-chave:

caminhoneiro, fluxos, globalização, trabalho

Resumo

Esse trabalho é uma etnografia produzida com caminhoneiros, cujo objetivo contempla compreender como aspectos da cultura de trabalho dos motoristas se relacionam com a globalização, bem como dar voz à esses profissionais. Assim, em um período de quatro meses foram conduzidas entrevistas semiestruturadas com sete motoristas, quatro deles em ambiente de trabalho e três em ambientes de lazer ou descanso. Todas as entrevistas aconteceram na cidade de Florianópolis, entre 2015 e 2016. A partir da pesquisa, constatou-se que existe uma forte distinção entre motoristas autônomos e empregados, e que não seria possível realizar um trabalho sobre caminhoneiros sem levar em consideração tal distinção. Também ficou evidenciado que os motoristas rodoviários se entendem como executores de uma dinâmica de fluxos, e que sua profissão é imprescindível para manter ativo o status da globalização. Além disso, uma das principais características  do processo globalizador, a compressão tempo-espaço, assume um sentido contrário à saúde e boa qualidade de vida para os caminhoneiros. Por fim, ao atravessar fronteiras de Estados, os profissionais também atravessam fronteiras morais e legais. Na mesma fração de hora podem percorrer o status de fretistas competentes ao status de contrabandistas imorais.


Biografia do Autor

Tayna Tagliati Souza, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduação em Ciências Sociais em 2017. Intercâmbio acadêmico na University of Hradec Králové na República Tcheca em 2016/17.

Referências

APPADURAI, Arjun. Modernity at large : cultural dimensions of globalization. London:

University of Minnesota Press, 1996

BECK, Ulrich. O que é Globalização.São Paulo, SP: Paz e Terra, 1999

CAVAGIONI, Luciane Cesira et al. Agravos à saúde, hipertensão arterial e predisposição ao

estresse em motoristas de caminhão. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2009, vol.43, n.2,

pp.1267-1271

CNT– CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO TRANSPORTE. Boletim estatístico. Brasília,

vários números. Disponível em

HANNERZ, Ulf. Fluxos, fronteiras, híbridos: palavras-chave da antropologia transnacional.

Mana-Estudos de Antropologia Social. Volume 3, n. 1. Rio de Janeiro: Contracapa, 1997.

HANNERZ, Ulf. Os limites de nosso auto-retrato. Antropologia urbana e globalização.

Mana vol.5 n.1 Rio de Janeiro Apr. 1999

HARVEY, David. A condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança

cultural. São Paulo: Loyola, 1992

HARVEY, David. A Produção capitalista do espaço. 2.ed. São Paulo: Annablume, 2006

HARVEY, David. O espaço como palavra-chave. Revista GEOgraphia. Rio de Janeiro: UFF,

v. 14, n. 28, 2006

HARVEY, David. Between Space and Time:Reflections on the Geographical Imagination.

Annals of the Association of American Geographers. Vol. 80, n 3, p. 418-434, 1990

KAPRON, Rafael Antônio. História do trabalho dos caminhoneiros no Brasil: profissão, jornada e ações políticas. 2012. 201f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação

em História. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, Brasil

LEMOS, LUCIA ; MARQUEZE, Elaine ; MORENO, C. R. C. . Prevalência de dores

musculoesqueléticas em motoristas de caminhão e fatores associados. Revista Brasileira de

Saúde Ocupacional, v. 39, p. 26-34, 2014

LEOPOLDO, K. ; LEYTON, VILMA ; OLIVEIRA, L. G. . Uso exclusivo de álcool e em

associação a outras drogas entre motoristas de caminhão que trafegam por rodovias do

Estado de São Paulo, Brasil: um estudo transversal. Cadernos de Saúde Pública (Online), v.

, p. 1916-1928, 2015.

MASSON, Valéria Aparecida; MONTEIRO, Maria Inês. Estilo de vida, aspectos de saúde e

trabalho de motoristas de caminhão. Rev. bras. enferm. [online]. 2010, vol.63, n.4, pp.533-

REBELO, Francine. Mulheres motoristas de caminhão: viajando pelos arranjos familiares.

Trabalho apresentado no 10. Seminário Internacional Fazendo Gênero, Florianópolis, 2013.

RIBEIRO, Gustavo Lins. Outras globalizações: cosmopolíticas pós-imperialistas. Rio de

Janeiro: EdUERJ, 2014

SANTOS, Boaventura. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das

emergências. Revista Crítica de Ciências Sociais, 63. p. 237-280. Outubro 2002.

SASSEN, Saskia. Sociologia da globalização. Porto Alegre: Artmed, 2010

Downloads

Publicado

31/12/2017

Como Citar

Souza, T. T. (2017). Globalização por Caminhões. RELACult - Revista Latino-Americana De Estudos Em Cultura E Sociedade, 3(3). https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.536

Edição

Seção

Artigos - Fluxo Contínuo